Urbs Magna

MORO CONDENA LULA

Posted in BRASIL, ELEIÇÕES 2018, Lula, POLÍTICA, Sérgio Moro e Lula by dibarbosa on 12 de julho de 2017

NOVE ANOS E MEIO DE PRISÃO SEM PROVA ALGUMA, MAS LULA VAI RECORRER E NÃO ESTÁ INELEGÍVEL.

Luiz Inácio Lula da Silva  acaba de ser condenado

(quarta-feira 12 de julho de 2017) 

A denúncia é que, no caso do triplex no Guarujá (SP), a OA pagou R$ 3,7 milhões em propina ao ex-presidente através de reforma do imóvel, bemcomo o armazenamento do acervo presidencial.

Lula foi condenado em primeira instância por apenas um magistrado, e por isso, ainda não está inelegível. A defesa vai recorrer ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), onde um desembargadores decidirão se o condena ou e o absolve em decisão colegiada denominada acórdão. Portanto, se Lula tiver uma condenação em primeira instância, só pelo juiz Moro, ele pode ser candidato.

Se o caso for julgado pelo TRF-4 antes da eleição para presidente, Lula pode ter o registro de candidatura negado. Mas se o TRF-4 julgar somente após o prazo para registro de candidaturas, Lula poderá tanto ter o registro cassado como concorrer sub judice.

Simpatizantes do Partido dos Trabalhadores afirmam que a condenação é inconstitucional e não aceitarão através de Militância Ativa e Luta.

Moro sabe: Lula está limpo na Petrobras

Posted in #FORATEMER, BRASIL, Fora Temer, operação lava jato, POLÍTICA, Sérgio Moro e Lula by dibarbosa on 29 de maio de 2017

Moro mandou auditar Lula na Petrobras, mas… NADA.

Em fins de março deste ano, o juiz Sérgio Moro solicitou que a empresa KPMG Auditoria e Asseguração, contratada no início de 2017, constatasse possíveis irregularidades do ex-presidente Lula relacionadas à Petrobras, ordenando que eventuais provas fossem encaminhadas à 13ª Vara Federal de Curitiba.

A KPMG respondeu à solicitação de Sergio Moro:

“Em resposta ao ofício supra, a KPMG Auditores Independentes vem, respeitosamente, à presença de V.Exa, esclarecer que, durante a realização de auditoria das demonstrações contábeis da Petrobras, que abrangeu os exercícios sociais encerrados no período de 31.12.2006 e 31.12.2011, efetivada por meio de procedimentos e testes previstos nas normas profissionais de auditoria, não foram identificados pela equipe de auditoria atos envolvendo a participação do ex-presidente da república, Sr. Luiz Inácio Lula da Silva, na gestão da Petrobras que pudessem ser qualificados como representativos de corrupção ou configurar ato ilícito”

A PricewaterhouseCoopers, outra auditora que atuou paralelamente à primeira analisando o período entre 2012 e 2016, também não encontrou quaisquer atos de corrupção de Luiz Inácio Lula da Silva.

%d blogueiros gostam disto: