Urbs Magna

Enquete da VEJA continua com LULA presidente

Mesmo com a direita brasileira – que odeia o PT e Lula – correndo atrás do prejuízo, depois que a Veja publicou uma enquete online sobre a condenação do petista, o ex-presidente continua a surpreender a revista situando-se agora com 67% de aprovação popular para a campanha presidencial de 2018.

O resultado inesperado, que não agradou aos editores, ainda não foi alterado desde que a publicação foi lançada associada à matéria comemorativa de 13jul17 que celebra a condenação de Lula no dia anterior.

Lula será preso ou voltará à Presidência da República em 2018?“ – é o tema da enquete que até o fechamento desta publicação já acumula 187.558 votos apresentando 67% para Lula retornando à presidência e 33% vislumbrando sua prisão.

Diversos sites conservadores estão lançando campanhas para que seus leitores votem e revertam o resultado que antes somavam 73% Lula Presidente e 27% Lula Preso. Ou seja, o espaço mais acessado da direita brasileira está mantendo um resultado favorável ao ex-presidente sinalizando sua alta popularidade.

Se você é gay, você precisa ler isto (não se preocupe, ninguém está vendo)

Posted in FILOSOFIA, Livros, PENSAMENTO, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 27 de junho de 2016

27 jun 2016 03:33 GMT

GAY PARADEVocê sabia que existe mais de 50 classificações de gênero?

Alguns deles estão no final da matéria.
UrbsMagna quer saber a qual deles você pertence.
Obrigado!

Seja por hereditariedade, por formação ou com base em sentimentos transportados desde a infância através dos anos, ainda que imerso em toda uma confusão de gêneros que se tornou midiática nos últimos anos, devo confessar que sou um hetero que carregou por muitos anos um tradicional patriotismo homofóbico brasileiro, este que se vê na atualidade, pareado a um racismo descabido – ainda que num tom humorístico nem tão racista assim – pois que abomino completamente aqueles que o são.
Neste dia de hoje, acabo de assistir a um vídeo em que um soldado da polícia britânica marcha pelas ruas de um centro urbano juntamente com seu grupamento e recebe permissão para sair de formação e pedir seu namorado, que o assistia eufórico, em casamento diante do público que mais parecia uma torcida organizada quando os dois se beijaram diante das lentes prontamente preparadas para aquele momento e… confesso, …ver aquilo me abalou.
Se você, que me lê neste momento, é gay e acha que estou tentando me justificar contigo, tenho algo a dizer: o que esperar de mim que nasci num tempo em que a população mundial tinha 4 bilhões de pessoas a menos? Logo eu que jamais desrespeitei quem quer que fôsse nesta vida por quaisquer que fossem os motivos, mesmo admitindo que sempre mantive um pé distante do alardeante cadafalso dedurador de sexualidades desviadas.
Agora… antes de você pensar que estou dando sinais de que passei a apoiar sua opção de gênero apenas para ajudar a conter essa explosão demográfica, aqui vai um presente: uma coleção de livros de uma Literatura Gay ou LGBT que pesquisei na internet para te ofertar, os quais jamais lerei pois não tive a menor curiosidade, apenas necessito me acostumar com este universo e bem viver nele sem ter que me assustar tanto quando sair de casa. E apesar de muitos não concordarem com o termo, essa rotulação de livros gays ainda se faz necessária para que o público-leitor-homossexual encontre as histórias de desejos e conflitos que permeiam sua vida.
Para ler as resenhas dos livros é só clicar nos títulos e você será direcionado para o blog de um gay assumido que fez todas as indicações aqui detalhadas. Tenho certeza que, assim,  minha contribuição também vai para o menino. Para comprar as publicações, alguns têm a opção dos links. Aí está a lista dos 41 Livros Homossexuais:

1) O Armário by: Fabrício Viana. A obra tem um tom autobiográfico, mas também traz conhecimentos sobre psicologia e sexualidade ajudando o leitor a compreender mais a questão da homossexualidade, por que alguns gays ficam no armário por anos e quais as vantagens de poder ser quem você é.
Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1Ydke5Z

2) Bem-Te-Vi by: Marli Porto, é um livro infantojuvenil publicado em 2014, pela Editora Orgástica. Com 88 páginas de história, mais recomendações de leitura relacionadas à sexualidade, a obra narra a história de Daniel, um adolescente que se descobre diferente dos outros meninos do colégio e acaba se apaixonando por Matheus.
Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1YdkrWR

3) Condicional by: Paulo Sérgio Moraes publicado no Brasil em 2013 de forma independente, é um desses livros com uma narrativa tão gostosa e envolvente que fica difícil defini-lo em gêneros. A obra com temática LGBT está repleta de drama e ação, só não tem muito romance – para quem é fã de livros gays com personagens melosos e amores fantasiosos. Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1ryE8hj

4) Confissões ao Mar by: Escrito por Kadu Lago, romance com temática gay mescla fluxo de pensamentos, cartas e a estética visual para contar a história do protagonista Mateus, suas experiências de vida, o amadurecimento, a autodescoberta da sexualidade, as paixões, os amores, suas lembranças e confissões.

5) O Conhecimento Liberta by: Rita de Cássia de Araújo publicado em 2012 pela Editora Escândalo. Lésbica assumida desde criança e ativista na luta pelos direitos civis, a autora produziu este estudo para ajudar na análise e reflexão das nossas vidas, bem como na oportunidade de transmitir informações importantes para a busca por respeito e dignidade das mulheres.

6) O Delicioso Livro de Histórias Coloridas de Monsieur Nova by: Rafael Nova, formato digital, de forma gratuita em comemoração aos três anos da Editora Escândalo. O ebook tem 124 páginas e traz 13 contos, alguns microcontos e outros textos do autor.

7) Diário de uma Garota Atrevida by: Karina Dias publicado pela Editora Malagueta em 2012. O livro de ficção de literatura lésbica tem 184 páginas e aborda as experiências de Mariana, desde o seu primeiro beijo em outra menina e as mentiras que precisa contar para ninguém descobrir os seus segredos até a aceitação da própria sexualidade e envolvimentos sérios com outras garotas.

8) A Festa by: Felipe Sales Mariotto. O livro de 336 páginas foi lançado em 2014 pela Editora Multifoco no selo Desfecho Romances e conta a história de Richard, Italo e seus amigos, um grupo de modelos que, após um acidente, vê suas vidas se transformarem. Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1T2O4sA

Graham – O Continente Lemúria

Escrito por A. Wood, pseudônimo do autor brasileiro Vinícius Fernandes, publicado pela Editora Selo Jovem, em 2014. O livro de fantasia, de 208 páginas, conta a história de Peter Graham, um rapaz gay que se tornou caçador de vampiros e encara sua jornada marcada por tragédias, paixões e muita ação.

Homossilábicas Vol. 2

Livro de contos com temática LGBT, publicado pela Editora Escândalo, em 2013. Com nove histórias diferentes escritas por sete autores, a coletânea traz abordagens e estilos narrativos diversos do universo gay.

Homossilábicas Vol 3

Coletânea de contos com temática gay Homossilábicas Volume 3, publicada pela Editora Escândalo no final de 2013. Homossilábicas é o nome do concurso literário promovido pela editora, cujos textos vencedores foram selecionados para compor o livro.

Loveless

Coletânea de contos da Editora Escândalo, lançada em 2013, cujos textos publicados foram selecionados em um concurso literário. Os autores deveriam escrever sobre o universo gay, porém sem abordar o amor romântico, como indica o nome do livro, adjetivo em inglês que indica a ausência de amor.

Orgias Literárias da Tribo

Não deixe o nome te assustar se for puritano. A coletânea de textos LGBT foi organizada pelo escritor Fabricio Viana e publicada pela Editora Orgástica, em 2014. Não se tratam de textos eróticos, como é possível pensar num primeiro momento. O livro traz textos sobre os cotidianos, desejos e sentimentos de 10 autores gays, lésbicas e trans, de São Paulo. Crônicas, poemas, contos, conselhos, desabafos, experiências engraçadas e desencontros. Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1YdkYb7

O Príncipe, o mocinho ou herói podem ser gays

Escrito por Roberto Muniz Dias, publicado em 2013, em Porto Alegre (RS), pela Editora Escândalo, traz a análise bibliográfica de duas histórias infantis, mostrando as novas possibilidades de narrativas na sociedade pós-moderna e promovendo um debate sobre a sexualidade. Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1T2OrTV

As Rosas e a Revolução

Da escritora Karina Dias, publicado pela ENC Comunicação. O romance lésbico de 352 páginas tem uma história linda e envolvente, que se passa no período da ditadura militar no Brasil, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Se a época não era fácil para os jovens estudantes, artistas, jornalistas, imaginem só como foi para a protagonista do livro, Vilma Solano, uma adolescente filha de um coronel militar que contribuiu com a tortura.

Uma crônica sobre a pergunta

No romance, o leitor terá a oportunidade de mergulhar nos encontros e desencontros do protagonista, o jovem e idealista, Babil. Nesta jornada de perguntas, Babil encontrará muitas respostas, refletirá e descobrirá que nem sempre as coisas acontecem do jeito que esperamos. Dilemas sobre sua vida pessoal e profissional surgem a todo instante.

Ursos Perversos

Coletânea de contos eróticos gays para quem gosta de histórias com personagens ursos (bears), termo popularizado na cultura gay para designar homens grandes, peludos e que projetam uma imagem bruta e rústica. Organizado pelo escritor Fabrício Viana, com a participação dos autores Alberto de Avyz, Roberto Maty, Tony Goes, Sérgio Viula e Vitor Paulino, o livro foi publicado em 2014, pela Editora Orgástica. Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1T2OAGU

As 7 Cores que Amei

Do escritor e jornalista Occello Oliver, publicado pela Alma G Edições, em 2014, e lançado no Rio de Janeiro, cidade onde o autor vive e a qual é cenário de grande parte dos seus textos. A obra apresenta uma mistura de nostalgia e inocência com o desenvolvimento da personalidade e maturidade, de vivências dentro do meio gay, que não limitam as narrativas, pelo contrário, deixam as histórias mais coloridas e ricas em emoções e sensibilidade.

Adeus a Aleto

Do escritor Roberto Muniz Dias, publicado em 2011. A história do livro se passa em diversos tempos e lugares (Amsterdã e Paris). Narrada em primeira pessoa por um escritor que se vê encantado por Nikov, um jovem russo por quem ele fica fissurado desde o encontro inicial e acaba mergulhando numa viagem psicológica. Ficção e realidade se misturam; Quem seriam aquelas pessoas? Seriam personagens criados pelo próprio narrador? Fantasmas que voltavam para o perturbar, tocar na ferida, fazê-lo sangrar e enxergar o que desejava ignorar?

Confira: Entrevista com o escritor Roberto Muniz Dias

Um Buquê Improvisado

Do escritor Roberto Muniz Dias, de 142 páginas, publicado em 2012, pela Editora Escândalo. O título pode sugerir uma história romântica, e sem dúvidas algumas passagens da obra podem acender o coração dos aficionados pelo ideal do casamento, porém a riqueza da narrativa reside no estilo da escrita do autor e no resgate que o protagonista faz de si mesmo.

Urânios

Do escritor Roberto Muniz Dias, é um romance que aborda o poliamor, o relacionamento entre três homens, através da visão do terceiro elemento, um artista que está tentando se reencontrar e entender o que aconteceu. O livro, de 104 páginas, foi publicado em 2014, pela Metanoia Editora, e a ilustração da capa foi feita pelo próprio autor.

Maré Vazante e outras estórias

Do escritor Alexandre Melo, de 112 páginas, foi publicado em 2013, pela Editora Escândalo. A obra traz diversos contos com temática gay, quase todos escritos em primeira pessoa, o que dão um tom intimista às narrativas, em uma mistura de memórias e fantasias, romantismo e erotismo.

Variáveis Vias do Desejo

Livro de contos do escritor Thiago Thomazini, foi publicado em 2012, pela Editora Escândalo. A coletânea traz histórias curtas e rápidas, com personagens gays cheios de vícios, desejos e paixões, flertando com o proibido, o perigoso e o imoral.

Censurado: Sexo, Taras e Fetiches

Censurado: Sexo, Taras e Fetiches é um livro de 6 contos eróticos gays, escritos por 6 autores: Alexandre Calladinni, Christian Petrizi, Davy Rodrigues, Léo Rossetti, Occello Oliver e Reynaldo Araújo, e publicado pela Lado B Edições, no Rio de Janeiro, em 2013. A leitura não é recomendada para menores de 18 anos!

Sim, sou gay e daí? Desabafos do gay Alice no País das Maravilhas

Do escritor e jornalista Valdeck Almeida de Jesus. A obra foi publicada em 2012, pela Chiado Editora, e ao longo de suas 134 páginas é narrado em primeira pessoa por André, um gay que se envolve em diferentes furadas em busca do amor.

A Sesmaria Esquecida

Romance histórico com temática homossexual (personagens gays), escrito por Luciano Cilindro de Souza, e publicado em 2013, pela Editora Escândalo. A obra de 240 páginas transporta o leitor para a Vila de Nossa Senhora do Rosário (posteriormente chamada de Cachoeira), a partir do ano de 1618, onde somos apresentados ao protagonista Trajano Brasileiro de Souza Laranjeiras, um senhor de engenho.

Fora do Armário

Do jornalista, relações públicas e escritor Occello Oliver, publicado em 2012, pela Metanoia Editora, de 126 páginas, aborda a questão da homossexualidade no Brasil, pincelando questões relacionadas à cultura gay, a homofobia, o amor, a história, a religião, a saúde e os direitos.

Sabores e Dissabores de Antigos Amores

Livro de contos do escritor Thiago Thomazini, publicado em 2014, pela Editora Escândalo.

Errorragia

Roberto Muniz Dias convida o leitor para dar uma espiada em sua gaveta de papeis amarelos. Contos e crônicas estão misturados com naturalidade, de forma que não causam estranhamento ao leitor esta diversidade de gêneros textuais.

Ninguém Me Explicou na Escola

Fernando Favaretto aborda os relatos de um adolescente seminarista que compartilha seus segredos e inquietações com o leitor, bem como suas primeiras experiências homossexuais.

A Visita

Do dramaturgo e escritor Alex Francisco, publicado pela All Print Editora, em 2013. Conheça a história do casal gay Dalmo e Tales, uma visita inesperada na prisão e as memórias boas e ruins dos personagens principais.

Corpo Condenado

Conheça a história de Gael e Natasha, garotos de programa que têm um pacto: eles só podem fazer programas juntos. Livro escrito pelo dramaturgo e escritor Alex Francisco.

Eu, Inabalável

Livro de estreia do autor Josué Matos. Alan é um adolescente gay assassinado. Seu irmão Leo quer vingança. Descubra o que acontece no romance policial, publicado pela Editora Selo Jovem, em 2014. Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1Ydlwhn

Theus: Do Fogo à Busca de Si Mesmo

4º livro do escritor Fabrício Viana. A obra de ficção conta a história de Prometheus, um jovem que morava na fazenda e acaba se mudando para São Paulo, após seus pais descobrirem que ele é gay. Compre o eBook (Amazon Brasil): http://amzn.to/1YdlDcy

Sr. Villela: Meu Amigo Imaginário

A história é narrada em primeira pessoa, de maneira confessional, no qual o personagem principal, Denis descreve desde o dia em que encontrou o seu caderno e conversou pela primeira vez com o seu amigo imaginário, cujo nome era Sr. Villela, sua atração por outros rapazes, suas aventuras até a sua velhice.

Morangos Azuis

A narrativa de ficção aborda o amor, a partir de dois planos temporais, nos quais os personagens principais se vêem diante de suas escolhas e também do inevitável, das ações e reações e como o presente e futuro estão relacionados.

Leon

O romance conta a história do jovem Leon, sua mudança para o Rio de Janeiro, onde começou a estudar Medicina e as transformações que acontecem em sua vida. Do garoto que cresceu na fazenda para o rapaz cobiçado por homens e mulheres por causa de sua beleza. Compre o eBook (Amazon Brasil):http://amzn.to/1T2PhzX

Uma Cama Quebrada

Peça teatral do escritor Roberto Muniz Dias, de 80 páginas, publicado pela Giostri Editora. A obra possuí um tom dramático e se foca nas principais situações vividas pelos três homens que se sentem livres e presos em um relacionamento amoroso.

Olho Grego

Segundo romance do escritor Paulo Sérgio Moraes. Conheça a história de Heitor, Fred e Ísis. Um livro em que o amor se apresenta como forma genuína de proteção diante dos desafios que surgem ao longo da vida.

Implacável Sedução, Inexorável Solidão

Dois jovens gays marcam um encontro pela internet e saindo deste universo de máscaras virtuais, tudo pode acontecer quando eles se conhecem ao vivo. Essa é uma das premissas do livro do escritor Christian Petrizi.

Trilhas de Silêncio

Israel é um jovem estudante de jornalismo que está à procura de mais informações sobre o seu pai. Ao investigar mais sobre o passado de sua família, ele embarca em uma jornada de autodescoberta e silêncios. Compre o eBook na Amazon: http://amzn.to/1U9mWIA

Quem entender mais do assunto e quiser apontar correções e/ou omissões, sinta-se à vontade! Mande e-mail ou deixe um comentário.

Adeus Copa (Desculpe qualquer coisa)

Posted in BRASIL, ESPORTES, INTERNET, OPINIÃO, PROTESTOS NO BRASIL, TENDÊNCIAS, VERGONHA DE SER BRASILEIRO by dibarbosa on 3 de junho de 2014

Copa do mundo 2014

Escrevi semana passada sobre a Copa e sobre a lição que o Brasil está prestes a dar ao mundo. Ainda há o que dizer a respeito. Segundo Cosme Rímoli, jornalista esportivo do Portal R7: “Levantamento mostra que apenas 41% do que foi prometido [ referindo-se as obras para a Copa ] acabou cumprido”. Ou seja: “59% das obras que beneficiariam a Nação sumiram do organograma da Copa”. A Fifa queria oito sedes. Nós definimos que 12 arenas seriam construídas, por razões políticas – que no Brasil quase sempre se traduzem em vantagens econômicas para alguns. “Com quatro elefantes brancos assumidos. Cuiabá, Brasília, Natal e Manaus”, escreve Rímoli, que cita declarações do Ministro dos Esportes de Lula, em 2007, ano em que ganhamos a disputa pelo direito de sediar a Copa: “O Brasil não vai gastar um centavo com os estádios que serão construídos ou reformados para a Copa do Mundo. A CBF nos apresentou uma estimativa de 1,1 bilhão de dólares (na época, R$ 2,2 bilhões). Dinheiro da iniciativa privada. Será a melhor Copa de todos os tempos”. Segue Rímoli: “Os custos da dúzia dos estádios [ sic ] batem nos R$ 10 bilhões. Quase cinco vezes mais a previsão [ sic ] da CBF e de Orlando Silva. E 70% desse dinheiro é [ sic ] público. Cerca de R$ 7 bilhões. A Copa do Mundo do Brasil custará mais do que as três últimas somadas. Mais do que a da Coréia e Japão, Alemanha e África do Sul. Elas custaram R$ 16 bilhões, R$ 6 bilhões e R$ 8 bilhões. Juntas, R$ 30 bilhões. A do Brasil deverá ficar no mínimo em R$ 31 bilhões. A estimativa em 2011 apontava R$ 40 bilhões. Foram cortados R$ 9 bilhões em obras para o país. Justo as que serviriam como legado. Como profunda reforma nos aeroportos e mobilidade social”.

estadio_manegarrincha_britojunior_div01-638x400O número exposto por José Nêumanne, comentarista da Jovem Pan, difere pouco: “O principal executivo do governo federal na organização do evento, Luis Fernandes, explicou que serão gastos R$ 28 bilhões, o que representa as despesas das três últimas copas”. Segundo o Globoesporte: “Em 2010, quando foi assinada a Matriz de Responsabilidades da Copa – documento que lista os investimentos prioritários para o Mundial -, a previsão era de que fossem gastos R$ 5,38 bilhões com estádios. Quatro anos depois, a conta, que ainda não está totalmente fechada, está em pouco mais de R$ 8 bilhões – aumento de 48%”. São variações sobre o mesmo tema. E tem muita coisa na lista daquilo que será entregue que simplesmente não ficará pronta a tempo. A começar pelos próprios estádios, item básico de uma Copa. Ou seja: a “Copa das Copas” tem tudo para ser uma das mais desorganizadas de todos os tempos. E já é a mais cara da história. Por cara, leia-se “superfaturada”. A obesidade mórbida desses gastos não representa investimentos megalômanos que se reverterão em serviços e experiências igualmente extraordinários para visitantes e nativos. Essa gastança toda perdeu-se no velho ralo brasileiro formado pela corrupção e pela ineficiência. Quando nós não somos ruins, no sentido de mal intencionados, de filhos da puta mesmo, somos simplesmente ruins no sentido de ineptos, incompetentes, lorpas.

5881153236_ccf72be3d4_mA verdade é que nós tínhamos uma oportunidade de ouro para o país, ao sediarmos o maior evento do planeta. Para variar, a desperdiçamos. Para variar, em nome de ganhos pessoais, privados, imediatistas. Para variar, porque somos tão malandros, queremos tirar tanta vantagem, buscamos tanto a locupletação, o lucro fácil e imediato, que nos damos mal. Mesmo quem se dá muito bem no curto prazo acaba se dando, no médio prazo, muito mal. Enriquecer entre miseráveis não é saudável, nem sustentável, inclusive para o novo rico. Ainda não aprendemos isso – o que é uma prova adicional da burrice pátria. Se soubéssemos como é bom ser honesto, seríamos honestos só por malandragem. Ou só porque é bom ser bom. É assim que se enriquece de verdade – trabalhando, ganhando e deixando os demais ganharem e enriquecerem também. Acumular solitariamente o que não é seu, em detrimento dos outros, sem sequer se dar ao trabalho de efetivamente produzir algo, não constroi nada e não leva a lugar nenhum. Devíamos ter aprendido essa lição há muito tempo. Temos testado por séculos, sem sucesso, esse modelo de corrupção generalizada. Hoje temos um PIB per capita de 12 mil dólares. Ocupamos, assim, o 79º lugar no ranking PPP – poder de compra per capita, a melhor régua para comparar a riqueza entre países. Estamos atrás de Costa Rica, Suriname, Líbano, Botswana e Gabão, por exemplo. Com nossos recursos, e com um pouco de honestidade, boa gestão, planejamento e eficiência, o Brasil teria plenas condições de estar entre os dez países mais prósperos do mundo, faixa em que o PIB per capita começa com os 43 mil dólares de Austrália e Canadá, dois países diante dos quais o Brasil, na produção de riquezas, tanto quanto no futebol, não deveria ter o direito de fazer feio.

justic3a7aprgBem, nada disso é novo. A nossa desonestidade e a nossa incompetência médias compõem, infelizmente, uma espécie de traço constitutivo da cultura nacional. Desde sempre. Somos tanto o país da propina, dos 10%, das zonas cinzentas morais, quanto o país do desperdício. E não imagine que isso ocorra só no âmbito da administração pública. É uma enormidade o que há de comissões espúrias, fees que não ousam dizer o próprio nome, sonegação, caixa dois, molha-mão, melzinho na boca, incentivos a vendas esquisitos, com jeito de “bola”, combinações por baixo dos panos e “bonificações de volume” (já ouviu falar em BV?) em nossos mercados corporativos. E se descermos mais um degrau, em direção à vida privada, encontraremos, desgraçadamente, um pá de brasileiros pouco corteses e pouco cidadãos e em nada solidários, que furam a fila, que jogam lixo no chão, que andam pelo acostamento, que ultrapassam por fora, na contramão, que subornam o garçom, que fazem questão de levar vantagem em tudo. Saiba que há uma “taxa do síndico” nas compras que o seu condomínio faz. Não preciso dizer mais nada. Nós somos assim. Correção e rigor ético não são nossos fortes. Aqui, o corrupto se sente no direito de roubar. Assim como o ladrão pé de chinelo. O bacana é sonegar, esperto é quem suborna e quem se locupleta e quem prevarica. O cidadão honesto é otário, quem faz as coisas direito é coxinha.

tumblr_lt7zvr2gFm1qerm5nMesmo assim, estamos tratando a Copa do Mundo como se esse descalabro na gestão, tanto em termos de lisura quanto em termos de eficiência, fosse uma novidade. Como se não fosse uma rotina brasileira – jogar dinheiro fora por desonestidade ou por leniência. Estádios e aeroportos entregues incompletos, com atraso e custando muito mais do que o orçado são a expressão institucional do que acontece com qualquer reforma que você precisar fazer em sua casa. Isso não serve de desculpa para nada. Mas também não começou com a Copa, o foco de toda a nossa ira santa. Diante disso, estamos agindo como se a solução fosse acabar com a Copa do Mundo, e não com a corrupção que nos assola. O que, a meu ver, é reagir contra o adversário errado, é não reconhecer quem é o verdadeiro inimigo, é atacar o Dr. Jekyll e deixar o Mr. Hyde solto, incólume, para continuar sua senda de crimes lesa-pátria. Ao atacar a Fifa, não estamos discutindo o que realmente importa – a corrupção endêmica e a ineficiência crônica que nos prendem ao passado há centenas de anos. Ou seja: além de inócua em resolver alguma coisa, nossa reação raivosa à Copa é contraproducente porque não ataca o que deveria ser atacado, e assim serve como uma pantomima, como uma distração daquilo que realmente precisa ser feito no Brasil. Muitos de nós, aglomerados debaixo do mote “Não vai ter Copa”, estão se preparando para enterrar de vez a Copa. Aparentemente, teremos mais barricadas e protestos e marchas do que jogos durante o evento. Terminaremos com a sensação de que fizemos algo útil e histórico. Ficaremos provavelmente com a sensação de dever cumprido. E, no entanto, é exatamente depois da Copa que a arena política que realmente importa vai se estabelecer no país.

imagesEis quando deveríamos ir para a rua, exigir mudanças. E, sobretudo, praticar mudanças. O Brasil não muda se você não mudar. A maior revolução que você pode fazer é na sua própria vida, na sua família, nas suas rotinas e nas suas relações. De novo: o câncer brasileiro não está só em Brasília. Ele está aqui embaixo, entre nós, na sua rua, na escola do seu filho, na sua casa, no escritório. Nós fazemos parte desse cancro. E o jeito de começarmos a extirpá-lo é olharmos para os nossos próprios umbigos, antes que tudo. Brasília é só um reflexo do país, uma versão condensada daquilo que somos. O problema, enfim, é interno, é histórico, é doméstico. Eis por que o movimento anticopa é, em essência, uma fanfarra diversionista. Um oportunismo sem possibilidade de gerar consequências práticas benéficas – acarretará apenas na pintura de um quadro horrendo do país no exterior, evitando que gente lá de fora venha gastar seu dinheiro no Rio ou em Florianópolis ou em Fernando de Noronha. Perceba que uma Copa, mesmo quando bem administrada, tende a ser um evento deficitário, considerando as receitas que gera e os custos que impõe diretamente. Só faz sentido receber um evento internacional desse porte por uma razão: vender uma boas imagem do país ao mundo, como um lugar confiável, bom para se fazer negócios e para se visitar. Essa Copa, portanto, é um duplo prejuízo. Os políticos e dirigentes se encarregaram de construir um rombo financeiro sem precedentes. E nós, o povo, dispostos que estamos a arreganhar ao planeta nossas entranhas mais espúrias, estamos nos encarregando de matar a única possibilidade que tínhamos de amenizar ou de reverter esse revés.

Dicas-de-Férias-Copa-do-Mundo-2014-02De fato, já estamos espantando gente antes da Copa. Das 560 mil vagas de hotéis disponíveis no país para o evento, apenas 300 mil foram vendidas. Ou seja: 45% dos turistas esperados provavelmente não virão. É mais ou menos como comprar um espaço de mídia caríssimo, em horário nobre, por várias vezes o preço que ele vale, e usá-lo para veicular somente má publicidade a seu próprio respeito. Vale sublinhar bem esse ponto: a Copa virou um bode expiatório. Sempre falamos dos problemas brasileiros como se eles fossem gerados pelos outros, como se nós não tivéssemos nossa parcela de contribuição e como se não tivéssemos que rever nada em nós mesmos. É que, ao reclamar, nos colocamos como vítimas. Ao culpar o que vem de fora, nos eximimos de repensar o que acontece aqui dentro. No que se refere ao evento, vivemos uma situação terrível no aspecto institucional. Os números, citados na abertura desse post, são inequívocos em relação a isso. A única chance que tínhamos de salvar a Copa entre nós, como momento histórico, seria o povo abraçá-la. Apesar de tudo. Cuidar dela. Ter alegria com ela, gerar alegria, distribuir alegria. Receber bem os visitantes – fala-se em 600 mil estrangeiros aportando no país entre 12 de junho e 13 de julho. Esse era o único retorno ainda possível para o investimento que fizemos. Não é isso que está se vendo. Provavelmente não é isso que acontecerá, infelizmente.

newtonsilva2Nós também, o povo, estaremos contribuindo, ao nosso modo, para detonar a Copa. Para torná-la, enfim, um evento infeliz. Uma péssima lembrança na memória do país. Parece que é isso que queremos. E provavelmente é isso que conseguiremos. Talvez a gente pudesse mostrar que o povo é melhor que seus representantes nesse país. Que nossa sociedade civil é melhor que nossa classe dirigente. Talvez pudéssemos dizer, no futuro, quando nos perguntarem porque a Copa de 2014, no país do futebol, foi um fiasco, que nossos políticos e dirigentes fizeram de tudo para acabar com ela, e que nós, os brasileiros comuns, a salvamos. Talvez pudéssemos dizer que, findo o evento, cobramos caro dos nossos representantes, nas urnas, e em nossas escolhas de consumo, o preço dessa vilania, por tudo de ruim que perpetraram. (Quem sabe deixamos de comprar apartamentos daquela determinada construtora? Quem sabe boicotamos todos os negócios onde está metida aquela empreiteira?) É provável que façamos exatamente o contrário – vamos arrebentar com a Copa, atrapalhar o quanto pudermos o evento, e em outubro vamos eleger de novo toda sorte de crápulas e de nulidades. Gentinha elege gentinha. Gentalha elege gentalha. Talvez pudéssemos afirmar que o país não são eles, que o país somos nós.

downloadInfelizmente, estamos dispostos a perpetrar coisas igualmente deletérias tão logo as delegações e a imprensa internacional comecem a aportar no Brasil. Desde achacar turistas desavisados até impedir com todas as nossas forças que o evento corra bem e dê minimamente certo. Esse é o espírito de muitos brasileiros, lamentavelmente. Para uns, trata-se de “como eu ganho com a Copa” – o que, aliás, reproduz ipsis literis o pensamento dos tubarões que acabaram com ele. Para outros, trata-se de “como eu acabo com a Copa” – o que também espelha, por vias tortas, a atuação dos predadores institucionais cuja atuação os manifestantes declaram querer criticar. Eis o ponto que tenho tentado fazer sobre a Copa. Estou triste de ver um sonho se transformar em pesadelo. Em ver que não conseguimos superar nossa vocação para o malefício e para a boçalidade. Estou triste de ver que nós também, o povo, estamos a um passo de destroçar a Copa com nossas próprias mãos. E aí, de novo, não nos diferenciaremos em nada, aqui no nível das ruas e das calçadas, daquelas lesmas e daquelas sanguessugas que operam no nível dos camarotes refrigerados e dos carros pretos. Aos invés de nos insurgirmos contra eles, estamos nos insurgindo contra o país, contra o Brasil, contra nós mesmos. Adeus, Copa. Desculpe qualquer coisa.

 

Reprodução íntegra da postagem de Adriano Silva do Blog Manual de Ingenuidades com Ilustrações e fotos adaptadas por UrbsMagna

8cc06aa947846dfc7071449392971fb5Copyright © 2014 UrbsMagna

Não se pode perder a grande vibração de um recomeço

Posted in ESOTERISMO, RELIGIÃO, SAÚDE, TENDÊNCIAS, VIVER com QUALIDADE by dibarbosa on 25 de maio de 2014

Em todos os inícios há sempre uma grande onda que pode ser extremamente benéfica, se bem aproveitada.

Última atualização: 27mai2016

AURORA

Em uma certa época da vida, li que toda transição detém muita energia. Quer seja da noite para o dia ou vice-versa, bem como de um dia para o outro. Não estou falando apenas da medição do tempo. A humanidade, por exemplo, tem o costume de comemorar a passagem de ano. Não que ela saiba que a energia está contida lá, mas em uma tentativa esperançosa de se renovar acaba por receber esta energia. Há poder abundante em uma troca de emprego, por exemplo. Bem como em um nascimento e… na morte também.

Você deve estar percebendo o que venho tentando dizer. Em toda interrupção, há um reinício. Em todos os princípios, em todos os começos, há sempre uma grande vibração quase como se fosse um grande abalo sísmico, só que silencioso e quase imperceptível. Por isso, o homem precisa parar para pensar, avaliar, fazer um balanço de sua vida em relação com suas propostas. Talvez ele necessite meditar. Abandonar o corpo. Jejuar e tentar escapar à tortura do “eu”.

Esquecer o sofrimento e a insensatez da vida. Isso que digo é fato. Na meditação ele se prepara para a vida. E a vivência programada é melhor do que fazer parte de alguma doutrina. Porque nenhuma delas trará para alguém a iluminação, apenas a vivência tem essa capacidade. Portanto, viver é melhor que sonhar. Aproveite para provocar a luz quando houver trevas.

Um bom princípio de saber em sua vida.

O que é Internet das Coisas ? (Internet of Things)

Posted in INTERNET, MUNDO, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 21 de maio de 2014

Internet_of_ThingsO termo Internet das Coisas foi proposto pelo inglês Kevin Ashton para descrever um sistema em que a Internet pudesse ser conectada ao mundo físico através de sensores onipresentes. Ashton era um dos gestores da Procter & Gamble em 1997 quando imaginou sua cadeia de suprimentos gerenciada de uma forma inteligente. Este trabalho levou-o ao MIT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts, onde foi co-fundador do Auto-ID Center, um consórcio de pesquisa RFID (Radio Frequency IDentification). O sistema é um método de identificação automática através de sinais de rádio que recupera e armazena dados remotamente através de dispositivos denominados etiquetas RFID.   Várias indústrias apoiaram o projeto que tinha como objetivo criar um padrão mundial para colocar RFID em todos os lugares. Uma etiqueta ou tag RFID é um transponder (abreviação de Transmitter-responder), que é um dispositivo de comunicação eletrônico complementar de automação e cujo objetivo é receber, amplificar e retransmitir um sinal em uma frequência diferente ou transmitir de uma fonte uma mensagem pré-determinada em resposta à outra pré-definida “de outra fonte”. Pode ser colocado em uma pessoa, animal, equipamento, embalagem ou produto, dentre outros. Contém chips de silício e antenas que lhe permite responder aos sinais de rádio enviados por uma base transmissora. Além das etiquetas passivas, que respondem ao sinal enviado pela base transmissora, existem ainda as etiquetas semipassivas e as ativas, dotadas de bateria, que lhes permite enviar o próprio sinal. São bem mais caras do que as etiquetas passivas. As tags ou etiquetas RFID podem ser apenas lidas ou lidas e escritas nos produtos, como uma alternativa aos códigos de barras, de modo a permitir a identificação do produto de alguma distância do scanner ou independente, fora de posicionamento. Tecnologia que viabiliza a comunicação de dados através de etiquetas com chips ou transponders que transmitem a informação a partir da passagem por um campo de indução. (ex: muito usado em pedágio “sem parar”). Assim, a Internet das Coisas se refere a objetos singularmente identificáveis e suas representações virtuais em uma Internet com estrutura semelhante. Se todos os objetos e pessoas na vida diária forem equipados com identificadores, poderiam ser gerenciados e inventariados por computadores. Na sua interpretação original, uma das primeiras consequências da aplicação da Internet das Coisas, equipando todos os objetos do mundo com dispositivos de identificação, seria melhorar a vida diária de várias maneiras positivas. Haveria a possibilidade de uma pessoa interagir com os objetos, os quais poderiam ser alterados remotamente com base nas necessidades imediatas. Essa tecnologia, por exemplo, poderia permitir maior controle na criação de animais por seus criadores. No entanto, hoje, o termo Internet of Things é utilizado para designar conectividade avançada de dispositivos, sistemas e serviços que vão além do tradicional abrangendo uma variedade de protocolos, domínios e aplicações. Previsões apontam para uma estimativa de mais de 30 bilhões de dispositivos conectados sem fio com a Internet das Coisas em 2020. 

 

Tagged with:

GØys: chegaram as bichas covardes

Posted in FILOSOFIA, OPINIÃO, TENDÊNCIAS, VIDA URBANA by dibarbosa on 20 de abril de 2014

 QUALQUER ARGUMENTO CONTRA O AMOR É VAZIO

última atualização em 21/10/2014

Esta linda frase, dotada de toda uma conotação em prol da emoção mais profunda que o ser pode experimentar, encontra-se na internet, na página principal desta tendência sexual que talvez não seja nova mas sua nomenclatura, esta sim é uma grande novidade: GØy

gay-love2Este novo termo de referência se escreve assim mesmo como está no título da postagem aí em cima, com um zero riscado, e não a letra “o”. Você já ouviu falar nisso? Com certeza está pensando que é um novo tipo de homossexual. Mas e se eu te disser que gØys não são homossexuais e classificam-se como um subgrupo dos heterossexuais. O quê? É isso mesmo que está escrito lá no site hetero gØy. Homem heterossexual gØy é homem. Você vai perguntar se estou brincando. Não estou. O site tenta explicar facebook-redondoo que é um gØy e talvez encontre quem entenda, além de promover encontros e encorajar novos simpatizantes. Afirmam que o grupo é heterossexual, ou seja, são homens. E assumem até mesmo uma postura em prol da masculinidade. Se relacionam com outros homens mas continuam a ser homens, pois não existe uma outra forma de afeição exclusivamente mais profunda do que meramente o sentimento, e só. Pelo amor de Deus! O que é isso? Talvez seja mais fácil para o discernimento comum tentar compreender isso de uma outra forma: 

goy viado covardeSabemos que homossexuais, no caso os masculinos, se entregam à relação entre si sem pudor algum sem o menor preconceito, de corpo e alma como numa relação entre um homem e uma mulher, só que ambos são do mesmo sexo. E atualmente temos notado o grande movimento mundial para libertação e liberação dos direitos contra o preconceito que sempre existiu e que sempre continuará existindo no mundo, mesmo com todas as conquistas da classe. O resultado que estamos vendo é uma infinidade de reportagens sobre o assunto, inclusive as uniões gays se tornaram moda em todo o universo antes desconhecido. Consequentemente, a discriminação contra os gays se tornou ilegal, especialmente se houver violência. Hei de concordar com o fato de que discriminar não é bom, uma vez que nenhum pensamento é igual ao outro, pois que somos individuais, ímpares, únicos ao adotarmos uma visão e, através dela, situarmo-nos em nosso próprio statu quo e, finalmente, adotar um modus faciendi.

67Não, não devemos jamais distingui-los ofensivamente de outros humanos com opções sexuais diferenciadas. São cidadãos que exercem suas atividades e, como qualquer outro, geram divisas para seu Estado. Mas podemos concordar ou não concordar com tal definição. Somos livres para expressar nossa opinião desde que ela não fira ninguém. E, particularmente, concordo com um blogueiro de uma conhecida revista que não consegue diferenciar a nova categoria da anterior, ou seja, são todos homossexuais, sim. Mesmo que o ato não ocorra, não consigo definir como “macho” aquele que oscula outro. A intenção é a mesma de uma bicha louca, mas é bloqueada por uma covardia inexplicável, pois se o indivíduo é por dentro então que seja por fora. Cogito Ergo Sum Penso logo existo, ou seja, somos o que pensamos, de dentro pra fora e não o que é apenas visível.  Sem essa de Esse Aut Non Esse Illud Est Quaestio – Ser ou não ser eis a questão. É oito ou oitenta.

gif bicha reprodução

compartilhar no facebook

ASPIRINA: boa para o coração e contra o câncer… mas que droga é essa?

Posted in SAÚDE, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 9 de abril de 2014

No-Bull-Beauty-Aspirin

O que é ASPIRINA? A droga mais vendida do planeta. Conheça a história de sua descoberta e introdução no mercado farmacêutico, além de seus benefícios notadamente comprovados.

Em 1828, Johann Buchner, professor de farmácia da Universidade de Munique, isolou da casca do salgueiro um produto cristalino, amarelo e amargo, o qual denominou de salicina. No ano seguinte, Leroux descrobriu que a salicina era o composto activo da actividade analgésica da casca do salgueiro. Em 1838, Raffaele Piria, um químico italiano, então trabalhando na Sorbonne (Paris), desdobrou a salicina num glícido e num composto aromático (salicilaldeído), sendo este depois convertido, por hidrólise e oxidação, num produto cristalino e incolor, o qual denominou de ácido SPIRAEA ULMARIA, principal erva da composição do medicamento ASPIRINAsalicílico. Este foi utilizado para mitigar os sintomas da artrite e da gripe. Infelizmente e perante grandes quantidades de ácido salicílico necessárias para haver efeito terapêutico, o produto irritava a mucosa gástrica, podendo ocorrer hemorragias, náuseas e vómitos. O salicilato de sódio foi, pela primeira vez, utilizado na terapêutica, em 1873. O ácido acetilsalicílico foi sintetizado por Félix Hoffmann, a partir da reação entre o ácido salicílico e o cloreto de acetilo, em aquecimento, ao tentar encontrar um analgésico potente para aliviar as dores do seu pai, mas que não fosse lesivo para a integridade da mucosa gástrica. O ácido acetilsalicílico apresentava dupla vantagem. Era terapeuticamente mais potente e muito menos lesivo. Félix trabalhava para uma companhia alemã (Fredrich Bayer & Co) e a sua descoberta ficou registada num protocolo resumido e assinado com data de 10 de Agosto de 1897 – Félix tinha na altura 29 anos. Todavia, por mera precaução, o produto começou a ser comercializado em 1899, por decisão de Dreser, o qual denominou o novo medicamento de ASPIRIN. A origem do nome aspirina é muito curiosa – provém de acetil+spirsäure+ in(a) (terminação muito usada em química). Spirsäure éAlgumas das apresentações primárias da Bayer Aspirin, em fins do século XIX. o nome alemão para ácido espireico (uma designação clássica para ácido salicílico) -nome derivado do nome científico da ulmária, Spiraea ulmaria, uma rosácea de cujas flores se pode extrair aquele ácido. Droga prodígio do século XX, tendo em conta o amplo espectro de situações clínicas que corrige ou que evita, a um preço que, em termos de medicamento, é de baixo custo. A aspirina é a droga mais popular e mais consumida no Mundo. Antes da introdução no mercado da Aspirina, os analgésicos que se usavam eram os opiáceos e a cocaína. A aspirina foi primeiramente comercializada como pó; em1915 foram confeccionados os primeiros comprimidos. Aliás, a Aspirina foi um dos primeiros medicamentos a ser comercializado sob a forma de comprimido. Após a capitulação da Alemanha na I Grande Guerra, a Bayer foi forçada a desistir da marca registada, como parte do Tratado de Versalhes. Actualmente, surgiu uma polémica acerca felix_hoffmando verdadeiro descobridor da Aspirina, na sequência de uma carta assinada, em Outubro de 1944, por um célebre químico alemão – Arthur Eichengrün (1867-1949). Eichengrün reivindicou os louros para si, advogando que Hoffmann trabalhou sob sua inspiração, ideia e supervisão, não tendo na altura reivindicado a sua descoberta por achar o processo de acetilação corriqueiro e pouco digno de registo especial. Eichengrün integrava a equipa na qualidade de cientista sénior, enquanto que Hoffmann era um mero subalterno. Todavia, tendo em conta a fama e os lucros astronômicos associados à comercialização da Aspirina, por que razão Eichengrün apenas levantou a questão 47 anos depois da descoberta? Há que ter em mente que na Alemanha decorria o regime nazista, e Eichengrün era de ascendência judaica. Daí a carta ter sido redigida no campo de concentração de Theresienstadt (na então Checoslováquia), em pleno cativeiro. Recentemente, esta droga que o mundo aprendeu a saber que é benéfica também para o coração, está sendo pesquisada no combate ao câncer.

compartilhar no facebook

Como funciona o WhatsApp?

Posted in FACEBOOK, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 13 de março de 2014

atualização: 31mai2016

imagesO aplicativo ideal para mensagens instantâneas que, por este motivo, o Facebook decidiu comprar.

O WhatsApp tornou-se um padrão em mensagens instantâneas e conquistou 465 milhões de usuários em todo o planeta, tendo se estabelecido no ambiente móvel devido a sua interface simples e funcionamento objetivo – o que está levando o negócio de SMS das grandes empresas de telefonia para o buraco. À partir desta percepção, o Facebook tratou de adquirí-lo com uma pretensão ainda maior, por saber exatamente do que o aplicativo é capaz.

Afinal, o que é o WhatsApp? – WhatsApp é um sistema de envio de mensagens que tem por objetivo amplificar esta ação sem custo algum para o usuário. Quando alguém envia uma mensagem, esta é recebida pelos potentes servidores da empresa que a redireciona para o destinatário. Assim, quando A quer se comunicar com B acionando o comando “enviar” transmite um código para um servidor, que por sua vez retorna uma mensagem para o emissor que a lê em sua interface. Se B estiver conectado, o servidor executa um programa automático de decisões até a insersão da mensagem. É um serviço de comunicação sofisticado, em tempo real, entre dispositivos que vem sendo melhorado desde os anos noventa, quando surgiu o MSN (Messenger). Agora, o WhatsApp funciona graças a tarifação de dados de internet do próprio smartphone que, para rodar o aplicativo, precisa estar fora de roaming e com créditos no aparelho.

Iniciação ao WhatsApp – Primeiramente baixar o aplicativo, que é compatível com os principais OS do mercado. Após sua instalação o usuário poderá verificar que o envio de mensagens ainda é gratuito, uma vez que não se sabe se o Facebook as tarifará. Mas antes disso terá que registrar seu número de telefone no aplicativo e carregar os contatos procedentes do cartão SIM e do Google. Comunicar-se-ão apenas os aparelhos com a intalação prévia de WhatsApp. Para os contatos que não possuem a instalação, você poderá enviar um convite para download. Para adicionar um novo, vá em “contatos” e clique em “adicionar” ou o símbolo “+”, bem como os campos “nome”, “empresa”, “telefone”, “e-mail”, endereços postais e URL. Também é possível personalizar toques e vibrações. Os contatos poderão ser organizados em favoritos. Também há a possibilidade de bloquear um contato e não mais receber mensagens deste, o qual não saberá quando você mudar seu nick ou imagem.

Enviando e recebendo mensagens via WhatsApp – Vá até até a aba “Chats” ou “Bate-papo” e selecione o contato. Uma janela se abrirá com a informação da hora do último login dele. Um símbolo surge à direita da mensagem alertando para o envio bem sucedido da mensagem, enquanto que um outro confirma que o usuário recebeu mas não leu. O programa também permite o envio de arquivos multimidia da memória do telefone. Esta função pode ser alterada para que os arquivos salvos sejam armazenados por padrão automaticamente ou manualmente e, ainda, com alternativa para download no cartão MicroSD externo. Além de mensagens de texto, se pode enviar notas de voz – áudio gravado pelo emissor que o receptor pode reproduzir – uma opção em ascensão.                                    

Outras opções do WhatsApp – Em cada janela de chat é possível enviar fotos e vídeos, além da localização do utilizador – desenvolvido por sistemas de geolocalização. O compartilhamento do número do usuário é um método para evitar a digitação e ganhar velocidade evitando erros na transcrição. Nesta aplicação pode-se exportar ou importar o histórico de conversas. >Settings>Configurações de Chat>Salvar Conversas. O WhatsApp pode criar até 50 grupos com um limite de 50 pessoas.

Mensagem de Difusão do WhatsApp – Há casos em que você quer comunicar um evento mas você não deseja adicionar  todos os destinatários em um único chat em grupo, pois pode ser que uns não conheçam outros. Depois, você pode enviar uma mensagem para várias pessoas ao mesmo tempo sem mostrar a lista de pessoas, semelhante à cópia oculta da função de e-mail. Dessa forma, você pode se comunicar com vários contatos ao mesmo tempo e cada um vai te responder. 

compartilhar facebooj

 

Tagged with: , ,

David Karp – o fundador e CEO do TUMBLR com sua grande idéia

Posted in INTERNET, MUNDO, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 31 de janeiro de 2014

David KarpVocê teria coragem de entregar todas as suas suadas economias para este jovem estranho investir em uma idéia de mais uma plataforma de blog  com a promessa de te devolver tudo triplicado, após algum tempo de operação?

Avaliando a expressão deste rapaz de olhar assustado e com cara de nerd, certamente sua resposta seria não. Principalmente porque temos impressão de que tudo o que se podia inventar na internet já foi inventado. E isso, atrelado ao ar de adolescente problemático que a imagem sugere, seria motivo para que qualquer pessoa sem um mínimo de conhecimento e atualização na área fizesse um julgamento condenatório à tal “proposta absurda” precipitadamente. David Karp ForbesSim, precipitadamente porque estamos falando do TUMBLR, criado em 2007 por este da foto que se chama DAVID KARP e que o vendeu para a YAHOO em março de 2013 por US$1.1bilhões. Isso mesmo, aquela idéia maluca poderia tê-lo tornado milionário em menos de 6 anos.
Evidente que ao focarmos na imagem comportada do rapaz que aos 26 anos foi destaque da capa da Revista Forbes de Janeiro de 2013, obviamente a resposta seria outra. Todo o mérito possível é atribuido ao empreendedor desta plataforma de blogging que permite a seus usuários publicarem textos, imagens, vídeo, links, citações, áudio e “diálogos”.

A plataforma não chega a ser um sistema de microblog, estando em uma categoria intermediária entre o Wordpress ou Blogger e o Twitter. Para quem ainda não o conhece, seus usuários são capazes de “seguir” outros usuários e ver seus posts em seu dashboard. Hoje conta com mais de 3 milhões de usuários.tumblr

 

O dinheiro do brasileiro. Quanto você ganha?

Posted in BRASIL, ECONOMIA, GEOGRAFIA, INTERNET, OPINIÃO, POLÍTICA, PROTESTOS NO BRASIL, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 22 de janeiro de 2014

 O BraZil é mesmo tão pobre assim?

Esta pirâmide fo divulgada pelo datafolha em 2013 

Este início de ano está sendo marcado pelos rolês de adolescentes em shoppings centers de todo o país, especialmente nas cidades onde o fluxo de idéias e a comunicabilidade tem mais agilidade, como São Paulo e Rio de Janeiro. Com os protestos de junho de 2013 ainda na memória mais imediata, o Brasil está experimentando a convivência com novos perfis de cidadãos que, ainda que não se possam chamar de patriotas, buscam a canalização de toda uma insatisfação com os gestores da nação, a qual parece ter sido herdada de sua genealogia mais próxima.

Mas um colunista da Folha diz que o Brasil evoluiu muito na década que antecedeu Dilma, o que á a mais pura verdade, quando aconteceu uma ascensão das classes D e E para a C. Na época houve um grande aumento de impostos, o que levou à massificação das bolsas sociais e benefícios da previdência. Ele fala que “milhões foram tirados de suas cavernas em uma distribuição de renda forçada, o que, por sua vez, acabou por achatar a classe média devido à maior oferta de empregos, melhores salários e à melhoria da renda geral.” O colunista completa que o  “aumento do crédito acarretou no endividamento das famílias e serviu de mola para o desdobramento do consumo implicando na recolocação social de 40 milhões de brasileiros direto para a classe C, sendo que esta nomenclatura se aplica exclusivamente ao consumo, e dela se exclui o lazer e a educação, apesar de que o acesso à estes dois últimos, inclusive à internet, foram ampliados”. O colunista da Folha completa dizendo que “o bom ritmo dos anos Lula diminuiu à metade sob o governo Roussef” e chamou sua lógica econômica de rudimentar acrescentando que o país ainda é pobre “com empregos mal remunerados” e com um povo ainda das classes mais baixas vivendo em outro patamar, pressionando por mais serviços públicos e mais lazer. Será mesmo que ele,(Fernando Canzian é o nome do homem) têm razão ao dizer que “os ex-excluídos estão do lado de fora, do outro lado da porta da classe média, querendo meter o pé a qualquer momento”? 

Cientistas fazem objetos levitar com ondas acústicas

Posted in CIÊNCIA, MUNDO, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 9 de janeiro de 2014

imagem-motivacional-skate-voador-de-volta-para-o-futuro-data-cientistas-2015-humortaloucoUm grupo de cientistas japoneses criou um sistema para fazer flutuar no ar pequenos objetos mediante ondas acústicas (assista o vídeo clicando no link) que lutam contra a força da gravidade. A idéia não é nova mas a principal inovação permite que estes objetos levitem em três dimensões. O trabalho foi elaborado por Yoichi Ochiai, Takayuki Hoshi e Jun Rekimoto e  foi publicado na web na página da Cornell University com o título de “Manipulação do Ar em Três Dimensões Mediante Redes Ultrasônicas”. Os pesquisadores explicam, conforme estudos convencionais anteriores, que o eixo acústico do feixe de ultra-sons fica paralelo com a força da gravidade, e o objeto de levitação é manipulado ao longo de eixos fixos (isto é, unidimensionalmente) controlando as fases ou frequências transdutores.

No estudo atual, os cientistas consideram que na manipulação acústica extendida as partículas milimétricas levitam e são transportadas em três dimensões por ondas estacionarias ultrasônicas localizadas, as quais são geradas por redes de ultrasons. Graças a este importante avanço, em um futuro  poderiam criar toda uma serie de novos objetos semelhantes aos da ciência da ficção, como o célebre aeropatín ou «hoverboard de Mattel» do filme De volta para o Futuro.

Insatisfação popular com as elites políticas coloca o Brasil em risco elevado de agitação social em 2014, de acordo com The Economist

Posted in BRASIL, ECONOMIA, GEOGRAFIA, MUNDO, OPINIÃO, POLÍTICA, PROTESTOS NO BRASIL, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 5 de janeiro de 2014

Em 2014 o planeta terá 65 países com propensão a conflitos sociais e protestos. O Brasil é um deles. A revista “The Economist” vê “elevado risco” de agitação social por aqui, neste ano, bem como na Espanha, África do Sul e Paquistão, por exemplo. Na Grécia, a situação poderá ser mais grave, com um risco “muito elevado”.

A Economist Intelligence Unit mediu o risco de agitação social em 2014 em 150 países de todo o mundo, tentando perceber onde é mais provável o surgimento de protestos, uma realidade que vem crescendo ao longo do tempo. “De movimentos anti-austeridade a revoltas de classe média, tanto nos países pobres quanto nos ricos, a agitação social tem aumentado em todo o mundo”, escreve a revista sobre o estudo que concluiu que 65 dos 150 países têm um “elevado” ou “muito elevado” risco de instabilidade social em 2014. No caso europeu, os protestos têm sido vistos como respostas à crise econômica.

A pesquisa constatou “um profundo sentimento de insatisfação popular com as elites políticas e instituições em muitos mercados emergentes”. The Economist identificou que os protestos populares serão embalados pelas “aspirações de novas classes médias nos mercados emergentes de rápido crescimento (seja na Turquia ou no Brasil)”. O analista da revista britânica destacou que “a agitação nos últimos tempos parece ter sido uma erosão da confiança nos governos e instituições: a crise da democracia” – o que descreve bem o quadro conjuntural brasileiro. Ainda, The Economist diz que, de um modo geral, a instabilidade é uma consequência natural em todo o mundo não só pela crise econômica mas devido a fatores como a desigualdade salarial, os reduzidos níveis de apoio social, as tensões étnicas e, mais importante, a crise na democracia, que mina a confiança nas instituições e na elite política.

Há países numa situação potencialmente pior. Um deles é a Grécia, que vive a mais aguda situação desencadeada pela crise da dívida europeia. Líbia, Argentina e Egito são outros dos países com “muito elevado” risco de ocorrência de protestos. São 65 países com “elevado” ou “muito elevado” risco em 2014, 43% do total, mais 19 do que há cinco anos, explica a publicação. A Irlanda, em 2014, vai provar se consegue libertar-se das “amarras” da troika, algo que iniciou no final deste ano, apresenta um risco “médio” no mesmo indicador, ao lado de Angola, Cabo Verde, Moçambique e Itália. Áustria e Japão estão entre os países que não se precisam de preocupar por não serem propícios a revoltas neste ano, dado o “muito baixo” risco. Com um risco “baixo” está a Alemanha mas também se encontram os EUA ou Hong Kong.

Misteriosa mulher oriental girando em imagens gif no Tumblr

Posted in ARTE, INTERNET, MUNDO, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 3 de novembro de 2013

O Tumblr (pronúncia: tâmbler), uma plataforma de blogging ainda pouco conhecida no Brasil que permite aos usuários publicarem textos, imagens, vídeo, links, citações, áudio e diálogos, tem uma usuária para lá de misteriosa. Uma mulher com traços orientais que se utiliza desta rede social apenas para realizar postagens de imagens gif, onde ela aparece, na maior parte delas, girando no centro de um cenário fixo.

Nada se sabe sobre ela. Nada existe publicado. Não há referências de contato, frases de comunicação complementar, absolutamente nada. Apenas as imagens incríveis que, com certeza, foram carinhosamente criadas e publicadas no microblog,

Veja algumas que selecionei:

Para ver sua página completa acesse aqui

A internet brasileira

Posted in BRASIL, CIÊNCIA, EUA, INTERNET, PROTESTOS NO BRASIL, SNOWDEN, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 23 de setembro de 2013

Na semana passada o Gizmodo, um blog pertencente ao Washington Post, publicou uma matéria onde afirma que a presidente do Brasil Dilma Roussef quer fundar a internet nacional isolando-a dos EUA quando, para isso, o país teria que construir uma extensão de fibra óptica submarina até a Europa, evitando o território do Tio Sam, e criando-se até mesmo um endereço de e-mail dos Correios como alternativa emergencial à suspensão do Yahoo e G-mail. A partir daí, imediatamente, o país inteiro iniciou uma sequencia de comentários contrários e também favoráveis sobre esta medida que se inspirou nas desagradáveis revelações de Edward Snowden sobre a espionagem da NSA, CIA e FBI incidente na nossa promissora Petrobrás. E nessa manifestação oportuna a expressão livre, objetiva e cheia de sensibilidade, mas nem por isso tão substanciosa assim, revelou que grande parcela dos nossos compatriotas caprichou na provisão percentual de uma desordenada ingenuidade permitida – o que faz e sempre fez a festa da politicada nacional que sempre consegue nos situar às margens de nosso tão amado Brasil.

Em alguns textos liam-se coisas como “nossos governantes já perderam o controle da economia nacional há muito tempo e estão jogando o lixo para baixo do tapete” e que “a ANATEL já desconversou diversas vezes sobre melhorias em comunicação, com certeza em agrado a lobistas estrangeiros”. Outra observação fazia alusão à existência de “uma 3ª guerra mundial, só que virtual. A China ataca os EUA, que atacam a Rússia, Irã e por aí vai”. Também, me chamou a atenção um comentário em uma conceituada revista eletrônica que dizia que os EUA não gostariam de perder tráfego de dados. Que eles estão quebrados e buscam solucionar uma crise interna, ao passo que aqui nunca se conseguiu realizar a infraestrutura necessária para integralizar a nação desde o norte até o sul do Brasil. E para não alongar demais este texto, alguns extremistas deste debate acreditam que toda essa situação é mais do que uma oportunidade para “controlar a internet Brasileira” e que “daqui a pouco não vamos poder nem mesmo acessar o twitter.”

O fato é que o Brasil não possui um satélite sequer que seja de propriedade nacional. São todos locados. A previsão é que iremos atingir uma independência no setor apenas após 2020, quando está previsto o lançamento do primeiro satélite inteiramente com tecnologia brasileira. Como poderemos alcançar uma soberania interna satisfatória nos setores da comunicação via internet se sempre estivemos carentes de investimentos suficientes para uma autonomia segura? Esta idéia de independência é maravilhosa, lógico, mas requer toda uma preparação, mesmo de áreas indiretas para dar suporte eficiente. Não queremos viver mais no sonho e recentemente o Brasil inteiro tem dito isso nas ruas de todas as nossas principais capitais. “A impressão que dá é que estão tentando nos enganar o tempo todo” afirma uma outra nota. “Falar é fácil mas difícil é fazer.”

A origem do GOOGLE

Posted in INTERNET, MUNDO, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 11 de setembro de 2013

Vamos voltar um pouco no tempo – por volta de 1996 – e lembrar daquele desconhecido projeto BackRub, que direcionava os usuários a um diferente e estranho mecanismo de pesquisas.

Naquela época, o então estudante Larry Page, que liderava o projeto no departamento de ciência da computação na Universidade de Stanford, tinha a intenção de mostrar ao mundo e a os mecanismos de pesquisas existentes que estes poderiam ser melhores e mais relevantes aos usuários.

Ao contrário de apenas encontrar resultados em um banco de dados, a lógica do BackRub era mais complexa que seus concorrentes. O sistema apresentava uma série de algoritmos que contavam os backlinks como votos. Desta forma, quanto mais links voltados a um site, mais destaque ele ganhava nos resultados de pesquisas.

Em agosto de 1996, o BackRub foi colocado à prova e passou a indexar sites externos. Usando o hardware dos computadores da universidade, o projeto experimental indexou 75 milhões de páginas e mantinha em sua base de dados 30 milhões de página HTML em cache. Rumores afirmam que o BackRub sobrecarregou a conexão de Stanford, deixando os estudantes e equipe na universidade sem acesso à web.
Um fato curioso envolvendo o BackRub estava em seu logotipo, representado por uma mão. Em uma antiga entrevista, Page revelou o que a maioria das pessoas já desconfiava: era a sua própria mão digitalizada. Naquele tempo, Larry Page era o dono do projeto, por isso o grande destaque do BackRub era voltado somente a ele.Programado em Java e Python, o BackRub rodava em máquinas Sun Ultra e computadores Pentium com o sistema operacional Linux. Na página inicial do buscador, Larry Page agradecia Scott Hassan, Alan Steremberg e Sergey Brin pela ajuda no desenvolvimento da plataforma.

A entrada de Sergey Brin no projeto é documentada quase sempre como instantânea, mas isso não é uma verdade. Larry e Brin tinham grandes problemas para entrarem em acordo sobre o futuro da plataforma pois pareciam discordar da maioria dos assuntos. Entretanto, essas diferenças foram as principais características para o sucesso. “Nos tornamos alma-gêmea intelectual e amigos íntimos”, afirmaram mais tarde.

Com os trabalhos ainda direcionados ao BackRub, Brin assumiu o desenvolvimento de um sistema de classificação de dados, conhecido como Data Mining, enquanto Page ficou livre para aprofundar suas pesquisas em conceitos de pesquisas. Juntos, os dois estudantes foram capazes de avançar com o trabalho mais notável de suas carreiras e produzir uma dúzia de trabalhos acadêmicos.

Você provavelmente deve estar se perguntando: cadê o Google? Você pode se surpreender com o que vou contar agora, pois é algo que a mídia não costuma citar habitualmente. Diferente de uma criação de Larry Page, o nome Google foi possivelmente proveniente de um erro de escrita.

Em setembro de 1997, com o BackRub sendo um sucesso, Larry Page chamou, para uma sessão de “brainstorm”, diversos estudantes envolvidos com o intuito de estabelecer um novo nome para o projeto. A reunião contou com os graduados Sean Anderson, Tamara Munzner e Lucas Pereira.

Com base nas sugestões, Larry e Sean utilizaram a lousa do escritório para fazer anotações e encontrar um novo nome que tivesse relação imediata com aquela imensidão de dados. Sean, aparentente o estudante mais motivado do brainstorm, citou verbalmente a palavra “Googolplex”, e Larry rapidamente respondeu com a forma mais simples “Googol”.

Sentando em um terminal de computador, Sean logo procurou a disponibilidade do domínio em sites de registros. Desconhecendo o modo correto de escrever “Googol”, Sean buscou por engano “Google.com”, encontrando o domínio disponível. Larry, que ficou muito entusiasmado com a descoberta do nome, registrou o domínio poucas horas depois.

Em 15 de setembro de 1997, nascia o “Google Search Engine”, a versão pública do BackRub.

de Renê Fraga para o TechTudo

Em “A mentira tarifada” Fidel Castro fala da Síria e do mundo manipulados pelos EUA

Posted in MUNDO, POLÍTICA, SNOWDEN, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 30 de agosto de 2013

A mentira tarifada

Eu sou movido a escrever pelo fato de que acontecimentos muito graves ocorrerão em breve. Não transcorrem, em nossa época, dez ou quinze anos sem sem que nossa espécie corra perigos reais de extinção. Nem Obama nem ninguém poderia garantir outra coisa, eu digo por realismo, porque só a verdade poderia nos oferecer um pouco mais de bem estar e um sopro de esperança. Chegamos, em se tratando de conhecimento, à idade adulta. Não temos direito de enganar a ninguém nem a nós mesmos.

Em sua imensa maioria a opinião pública conhece bastante sobre o risco que está à sua porta. Não se trata simplesmente que os mísseis de cruzeiro apontem para alvos militares na Síria, mas que esse valente país árabe, situado no coração de mais de um bilhão de muçulmanos, cujo espírito de luta é lendário, disse que vai resistir até o último suspiro a qualquer ataque em seu país.

Todos sabem que Bashar al Assad não era político. Ele estudou medicina, se graduou em 1988 e se especializou em oftalmologia.  Assumiu o papel político após a morte de seu pai Hafez al Assad, em 2000, e após a morte acidental de um irmão antes de assumir essa tarefa.

Todos os membros da OTAN, aliados incondicionais dos Estados Unidos e alguns poucos países produtores de petróleo aliados do império naquela área do Oriente Médio, garantiram o abastecimento mundial de combustíveis de origem vegetal acumulados ao longo de mais de um bilhão de anos. A disponibilidade de energia, em troca, da fusão nuclear de partículas de hidrogênio, tardará por, pelo menos, 60 anos. O acúmulo de gases de efeito estufa continuará, assim, crescendo a ritmos elevados e após grandes investimentos em tecnologia e equipamentos.

Por outro lado, afirma-se que em 2040, em apenas 27 anos, muitas tarefas realizadas hoje pela polícia, como aplicação de multas, serão realizadas por robôs. Imaginam, os leitores, o quão difícil será discutir com um robô capaz de fazer milhões de cálculos por segundo?  Na realidade era algo inimaginável anos atrás.

Faz apenas umas horas, na segunda-feira, 26 de agosto, despachos de agências clássicas bem conhecidas por seus serviços sofisticados aos EUA, se dedicaram a difundir a notícia de que Edward Snowden tinha que se estabelecer na Rússia porque Cuba tinha cedido às pressões da EUA.

Ignoro se alguém, em algum lugar, disse algo ou não a Snowden, porque essa não é a minha tarefa. Leio o que posso sobre notícias, opiniões e livros que se publicam no mundo. Admiro a valentia e justiça das declarações de Snowden, que ao meu juízo prestou um serviço ao mundo ao revelar a política repugnante e desonesta do poderoso império que mente e engana o mundo. Com o que não estaria de acordo é que alguém, quaisquer que fossem seus méritos, pudesse falar em nome de Cuba.

A mentira tarifada. Quem a afirma? O diário russo “Kommersant” Que difamação é essa? Segundo explica a própria agência Reuters o diário cita fontes próximas ao Departamento de Estado dos EUA: “o motivo foi que no último minuto Cuba informou às autoridades que impediram que Snowden embarcasse no vôo da linha aérea Aeroflot.

“Segundo o impresso, […] Snowden passou dois dias no consulado russo em Hong Kong para manifestar sua intenção de voar para a América Latina via Moscou.”
Se eu quisesse eu poderia falar sobre esses temas que conheço amplamente.

Hoje observei com especial interesse as imagens do presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolas Maduro, durante sua visita ao navio do destacamento russo que visita a Venezuela depois de sua escala anterior nos portos de Havana e Nicarágua.

Durante a visita do presidente venezuelano ao navio me impressionaram várias imagens gráficas. Uma delas foi a amplitude dos movimentos de seus numerosos radares capazes de controlar as atividades operacionais do navio em qualquer situação que se apresente.

Por outro lado, indagamos sobre as atividades do mercenário impresso “Kommersant”. Em sua época, foi um dos mais perversos meios a serviço da extrema direita contrarrevolucionária, a qual disfruta que o governo conservador e lacaio de Londres envie seus bombardeiros à base aérea no Chipre, prontos para lançar suas bombas sobre as forças patrióticas da heróica Síria, enquanto no Egito, qualificado como o coração do mundo árabe, milhares de pessoas são assassinadas pelos autores de um grosseiro golpe de Estado.

Nessa atmosfera se preparam os meios navais e aéreos do império e seus aliados para iniciar um genocídio contra os povos árabes.

É absolutamente claro que os Estados Unidos tratarão sempre de pressionar Cuba como faz com a ONU ou qualquer instituição pública ou privada do mundo, uma das características dos governos deste país e não seria possível esperar de seus governos outra coisa, porém não em vão se resistem 54 anos defendendo sem trégua – e o tempo adcional que fora necessário -, enfrentando o criminoso bloqueio econômico do poderoso império.

Nosso maior erro é não ter sido capaz de aprender muito mais em muito menos tempo.

Fidel Castro Ruiz
27 de agosto de 2013
8 e 34 pm

Zmap – um aplicativo que vasculha toda a internet em 45 minutos

Posted in CIÊNCIA, MUNDO, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 30 de agosto de 2013

 Até recentemente, a análise de toda a Internet, com seus bilhões de endereços únicos (IP) – era um processo lento e trabalhoso. No entanto, nos EUA foi desenvolvido o ZMap  um aplicativo que varre a Internet em 45 minutos.zmap

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Michigan, disse na semana passada na conferência de segurança Usenix em Washington, que seu ZMap aplicativo é uma ferramenta que permite a um servidor comum verificar todos os endereços IP em apenas 45 minutos. Segundo seus desenvolvedores o aplicativo foi criado para encontrar as vulnerabilidades da rede, melhorar os mecanismos de defesa cibernética e realizar pesquisas de forma mais eficiente. ZMap foi introduzido como uma alternativa mil vezes mais rápido do que as aplicações anteriores, como o Nmap que leva semanas ou meses para concluir o mesmo processo. Com ZMap os pesquisadores explicaram que os civis podem ter importantes aplicações individuais em casos de desastres naturais. No entanto, os pesquisadores apontam que as opções do programa são múltiplas, por isso pedimos aos usuários evitar a exploração de vulnerabilidades na Internet ou para acessar recursos protegidos. Assim, exorto cumprir todos os requisitos legais locais. Alguns especialistas acreditam que, embora ZMap pode ser usado para fins pacíficos, esta ferramenta pode aumentar a vigilância do governo sobre os cidadãos.

LOGO-NOVO-URBSMAGNA-M-animCURTIR PÁGINA NO FACEBOOK
Clique na Imagem

Novo idioma no norte da Austrália

Posted in CIÊNCIA, MUNDO, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 25 de agosto de 2013

tajamanuUma linguista australiana descobriu que uma nova linguagem está sendo desenvolvida pelos povos indígenas no norte da Austrália. Carmel O’Shannessy viajou a uma tribo na cidade de Lajamanu, no deserto de Tanami, e percebeu que a recente geração dos 700 moradores falam uma língua nova. 

O’Shannessy notou isso em 1998, quando trabalhava na escola local com outros professores para ensinar Warlpiri [a língua da tribo] e Inglês [língua oficial da Austrália]. Os jovens falavam as duas línguas em uma única conversa ou uma única frase. 

 
Iniciaram-se gravações para posterior estudo investigando os novos modelos estruturais e os tipos de palavras. A gramática tinha um modelo unificador de verbos e substantivos. Comprovou-se um novo sistema lingüístico independente que se tornou a linguagem falada mais jovem conhecida no mundo. A nova linguagem agora é chamada Luz Warlpiri que tem combinações estruturais inéditas com a maioria dos verbos e gramática em inglês e crioulo, mas o resto da gramática é principalmente WarlpiriSegundo a professora o surgimento do idioma Luz Warlpiri é uma resposta à pressão das autoridades australianas para que as tribos indígenas trocassem o idioma para o Inglês.

Redes Sociais: Um fenômeno de compartilhamentos

Posted in FACEBOOK, INTERNET, MUNDO, OPINIÃO, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 18 de agosto de 2013

Como as redes sociais vêm influenciando o ser contemporâneo? A presença onipresente das redes sociais na vida das pessoas vem alimentando diversos tipos de compreensões. Como a figuração psicanalítica de mundo interno, mundo externo, objeto interno e não-lugar se insere nesse panorama? Que conformações e características psíquicas podemos inferir a partir do jogo que se dá na arena digital? A hiperconexão, a invasão para dentro de nosso mundo mental, o narcisismo, a inveja, a organização de ‘movimentos’ sociais; Este encontro almeja convocar o olhar psicanalítico para analisar este drama moderno. O quanto de espaço devemos oferecer ao mundo digital em nossas vidas? Ana Verônica Mautner – Psicanalista, Escritora e Colunista da Folha de São Paulo

por dibarbosa

Tenho observado, como um bom geógrafo na qualidade de internauta que acompanha o desenvolvimento da humanidade em todos os cantos do planeta Terra (em breve, o de Marte também), que o comportamento social à minha volta, particularmente dos jovens, mudou drasticamente desde os tempos em que a comunicação entre os povos se dava tão somente através dos calorosos contatos imediatos de primeiro grau.Talvez porque ainda estivéssemos diante de um quadro de inaptidão tecnológica ou infertilidade científica da sociedade formadora de opinião do passado, diferentemente do que se vê hoje: pessoas compartilhando informações com o mundo inteiro, em vários idiomas sem conhecer, falar ou entender nenhum, graças às ferramentas disponibilizadas por grandes sites corporativos numa verdadeira guerra para dominar o ranking de visualizações. O fato é que as Redes Sociais implicam de uma forma muito abrangente no dia-a-dia do homem contemporâneo e alimentam diversos tipos de compreensões. Tanto que questionamentos de profissionais da psicanálise começam a surgir com o objetivo de decifrar os pensamentos dos usuários e advinhar o futuro da raça humana em meio a um mundo completamente novo, e talvez até mesmo artificial. Leia-se o texto acima.

O vídeo abaixo foi selecionado para explicar um pouco do que aconteceu com o mundo das interações pessoais e coletivas:

Pirate Bay lança navegador fácil anti-censura

Posted in INTERNET, MUNDO, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 14 de agosto de 2013

Página Inicial do site pirata

The Pirate Bay lançou um pacote de navegador auto-configurado, o que permite aos usuários patinar em torno da censura anti-pirataria de certos governos. Agora pode-se acessar TPB e outros sites de compartilhamento de arquivos bloqueados por provedores de internet em ‘one click’.

A equipe que executa o The Pirate Bay (TPB) – um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos da web – lançou um PirateBrowser especial que permite aos usuários “burlar a censura que alguns países impõem sobre seus cidadãos.”

O lançamento vem no momento em que TPB comemora 10 anos de muita pirataria e outros conteúdos online. Ao invés de ser um software autônomo, o PirateBrowser é uma combinação – ou um ‘pacote’ – de uma versão portátil do navegador de internet Firefox e um popular cliente da rede Tor anônimo, Vidalia. O pacote é dito ter a FoxyProxy add-on e “algumas configurações personalizadas” embutida, garantindo ao mesmo tempo que nenhum dos programas seja modificado e não contenha nenhum adware, trojan, ou toolbar. “É um simples clique no navegador que contorna a censura e bloqueios e torna o local imediatamente disponível e acessível. No pacote ad-ware, ao invés de toolbar ou outra porcaria, apenas um navegador Firefox pré-configurado “, disse um administrador do site TPB apelidado de Winston. De acordo com informações postadas no piratebrowser.com, países que bloquearam o acesso ao Pirate Bay incluem o Irã, a Coréia do Norte, Reino Unido, Holanda, Bélgica, Finlândia, Dinamarca, Itália e Irlanda. Os usuários de internet nesses países têm limites de acessos de sites e o governo não quer jamais que se saiba do PirateBrowser. Para garantir o anonimato, os compiladores recomendam o uso de serviços de VPN (Virtual Private Network), um navegador pré-configurado que é o mais recente esforço do Pirate Bay para ignorar o crescente número de ações judiciais montado contra ele e outros sites de compartilhamento de arquivos. Mais recentemente, empresas gigantes como a EMI, Sony, Warner Music e Universal ganharam ações judiciais contra o TPB, na Irlanda. Um tribunal local em 12 de junho determinou que todos os principais ISPs irlandeses devem bloquear o acesso ao The Pirate Bay no prazo de 30 dias. Decisões judiciais semelhantes foram tomadas no Reino Unido e na Holanda no ano passado. Além disso, depois de uma queixa apresentada por uma associação anti-pirataria da indústria holandesa de entretenimento, um tribunal em Haia ordenou que o Partido Pirata da Holanda pare de divulgar maneiras de burlar o bloqueio. O partido alegou que foi legalmente proibido até mesmo de dar um link do site para o projeto Tor well-known. Facebook e da Microsoft, Windows Live Messenger os quais também têm sido bloqueandos em todas as suas mensagens que contêm links para o Pirate Bay. Ligeiro, o Facebook alegou que tem o direito de usar blocos de links onde há um “desprezo demonstrado pelos direitos de propriedade intelectual” baseados em seus termos de serviço, a Microsoft simplesmente começou a sinalizar tais links como “inseguro”. A eficiência de todas essas limitações têm sido questionada por especialistas de internet, como o uso de servidores proxy têm continuado a conceder um acesso fácil aos sites bloqueados para aqueles que realmente precisam de conteúdo de arquivo de mídia livre. A nova ferramenta TPB poderia, assim, marcar mais um sucesso de ativistas de internet livre em sua luta contra os detentores de direitos sociais, pois traz a mesma prática para um público maior de usuários menos experientes.

 

Língua espanhola cresce como idioma falado nos EUA

Posted in GEOGRAFIA, MUNDO, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 7 de agosto de 2013

Cerca de 38 milhões de pessoas falam espanhol, o que representa 13 por cento da população dos EUA

Cresce o idioma Espanhol como língua falada nos EUA

Cresce o idioma Espanhol como língua falada nos EUA

A língua espanhola é cada vez mais presente na América do Norte e cresce tanto, ano após ano,  que parece que não vai  mais parar. O relatório mais recente dá evidências dessa realidade social e figura em 37,6 milhões o número de pessoas que hoje falam espanhol nos Estados Unidos , o que representa cerca de 13 por cento (12,9%) do total sua população. O relatório observa, contudo, que este crescimento progressivo nos últimos anos tem sido em detrimento do bilinguismo.

De acordo com o censo divulgado esta semana, 60,6 milhões de pessoas nos EUA falam uma língua em casa, diferente do Inglês e, destes, quase dois terços falam espanhol. As outras línguas mais faladas são a dos chineses (2,9 milhões), Filipinos (1,6 milhões), Vietnamitas (1,4 milhão), franceses (1,3 milhões), Alemães (1 , 1 milhão) e coreanos (1,1 milhões).

Nosso vizinho vai vender maconha. Uruguai taxa o grama a US$2,5

Posted in MUNDO, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 6 de agosto de 2013
representação da idéia

representação da idéia – como o povo vê a notícia

Quem viajar para o Uruguai agora poderá encontrar uma das drogas mais tradicionais do mundo à venda nas farmácias do país após aprovação da lei que regulamenta a produção e o comércio da erva que, de acordo com Julio Calzada, diretor da Junta Nacional de Drogas, terá seu grama vendido a US$2,50, fixado conforme o mercado negro de modo a não permitir desvios de um mercado ao outro.

O projeto de lei, de autoria do Executivo, foi lançado em junho de 2012 como parte de uma série de medidas para combater o aumento da violência e estipula que o Estado assuma o controle e a regulação da importação, do plantio, do cultivo, da colheita, da produção, da aquisição, do armazenamento, da comercialização e da distribuição de maconha e seus derivados.

Pela proposta, maiores de 18 anos poderão adquirir até 40 gramas mensais de maconha em farmácias. Também estará permitido o plantio de até seis mudas para consumo próprio. “Esse projeto busca regular um mercado que hoje está totalmente controlado pelo narcotráfico”, explicou Julio Calzada. Segundo ele, 120 mil uruguaios trabalham no setor.

O diretor da Junta Nacional de Drogas também destacou a preocupação do governo em não gerar um “turismo da cannabis”. “Há um compromisso para que nossas políticas soberanas não impactem negativamente em países vizinhos”, afirmou. Para impedir tal fenômeno, haverá um cadastro de maconheiros (usuários), feito com base em dados residenciais. Após se registrar, o usuário poderá comprar até 40 gramas de maconha por mês em farmácias, mas também será permitido o cultivo próprio e em clubes de membros.

O presidente do Uruguai disse que se a iéia fugir ao controle, poderá voltar atrás

O presidente do Uruguai disse que se a iéia fugir ao controle, poderá voltar atrás

Ontem, o presidente José Mujica disse estar disposto a submeter a nova lei a um referendo. “Estão impulsionando (na oposição) um referendo, e espero que o façam, pois é preciso debater tudo isso”, disse, em entrevista ao jornal “La República”. Pesquisas indicam que 63% dos uruguaios são contra a regulação:

“Esta é uma experiência e como toda experiência, naturalmente há um risco e temos que ter a inteligência de, se passar por cima de nós, voltarmos atrás. Não temos que nos fanatizar. Nós temos que pedir ajuda à comunidade internacional. Nossos vizinhos Argentina e Brasil devem estar preocupados com nosso projeto mas também devem vê-lo com avidez, pois o motivo não é uma liberalização total da maconha, mas que seja controlada pelo Estado, e o governo planeja endurecer as penas de prisão para aqueles que cultivarem maconha sem serem registrados. Se não estiver registrado, vamos ter que endurecer as penas.” disse o presidente.

Como resultado da iniciativa do Uruguai, empresas e cidadãos de todo o mundo estão dispostas a investir legalmente em drogas no país vizinho. “Várias companhias e profissionais estrangeiros, procedentes de Espanha, Holanda,Reino Unido, Canadá, Estados Unidos e Israel, mostraram interesse em produzir maconha no país se o Senado ratificar a legalização dessa droga”, informou nesta terça-feira uma fonte oficial.

Cartórios são obrigados a realizar casamentos gay

Posted in BRASIL, DIREITOS HUMANOS, JOAQUIM BARBOSA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 15 de maio de 2013

gay-marriage-comme_2422528bA resolução aprovada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga cartórios a realizar casamentos gays tem validação desde 16/05/2013.

Agora, os cartórios não poderão mais se recusar a celebrar casamentos homoafetivos. Se isso acontecer, o cidadão deverá informar o juiz corregedor do Tribunal de Justiça local. A norma também determina que sejam convertidas em casamento as uniões estáveis homoafetiva registradas previamente. A proposta de resolução foi feita pelo presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, e foi aprovada ontem por 14 votos a um. Barbosa argumentou que a norma é importante para dar efetividade à decisão de 2011 do Supremo Tribunal Federal (STF) que estendeu aos homossexuais o mesmo direito de casais heterossexuais de ter união estável formal. Apesar do placar folgado no CNJ, a decisão do conselho provocou reações diferentes no próprio STF. Enquanto o ministro Marco Aurélio Mello defendeu a decisão, o ministro Gilmar Mendes ponderou que o tema ainda não tinha sido tratado pelo Supremo.Há diferenças entre a união estável aprovada pelo STF e o casamento civil: neste, os companheiros deixam de ser solteiros e adotam o estado “casados”, além de ter direito imediato à herança e a benefícios como pensão alimentícia. Na união estável, muitas vezes esses direitos têm de ser reivindicados na Justiça. O presidente da Comissão Nacional dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Wadih Damous, disse que a resolução do CNJ deve ser comemorada, pois se destina a todos, “ao Estado e aos que querem apenas exercer o direito de constituir uma família independente de sua orientação sexual”, de acordo com nota divulgada nesta quarta-feira pela entidade. Segundo a OAB, no último ano, segundo levantamento da Associação de Notários e Registradores do Brasil (Anoreg-BR), mais de 1.200 casais do mesmo sexo registraram suas uniões nos principais cartórios de 13 capitais. “O Estado com essa decisão deixa de ser um fator de estigmatização e passa a ser de legitimação”, disse Damous, de acordo com a nota divulgada pela OAB.

Tagged with: , ,

Shodan: O mais assustador motor de busca na Internet

Posted in CIÊNCIA, INTERNET, MUNDO, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 19 de abril de 2013
SHODAN

Página Inicial do SHODAN na internet – CLIQUE PARA ENTRAR

 Por David Goldman @CNNMoneyTech 08 de abril de 2013: 1:41 PM – N.Y. Última Atualização: 01/06/2014 16:35GMT

Ao contrário do Google que rastreia a web à procura de sites, o Shodan navega por canais da retaguarda da Internet. É uma espécie de lado negro do Google que busca servidores, webcams, impressoras, roteadores e tudo o que pode estar  conectado e fazer parte da Internet. Pessoas que entram no Shodan para fazer uma busca ou pesquisa descobrem sistemas de controle como parques aquáticos, postos de gasolina,  refrigeradores de vinho de hotéis e até mesmo crematórios. A capacidade do Shodan para encontrar tudo isso é notável e é exatamente isso que o faz tão assustador. É que grande parte desses dispositivos não têm qualquer tipo de segurança. Uma busca rápida por “senha padrão” revela inúmeras impressoras, servidores e dispositivos de controle de sistemas que usam “admin” como nome de usuário e “1234″ como senha. Além de que muitos sistemas conectados nem mesmo necessitam de credenciais.

0c02fd06cdf68457f60e350e5636e058FUNDOleve SHODAN

Tudo o que você precisa é de um navegador da Web para se conectar a eles. Shodan recolhe informações de cerca de 500 milhões de dispositivos conectados e outros serviços em cada mês. É impressionante o que pode ser encontrado com uma simples pesquisa no Shodan. Inúmeras luzes de trânsito, câmeras de segurança , dispositivos de automação residencial e sistemas de aquecimento estão ligados à Internet e fácil de detectar. 

Em um discurso na conferência Defcon de cibersegurança ano passado, foi demonstrado a utilização do Shodan para encontrar sistemas de controle para refrigeradores evaporativos, aquecedores de água pressurizada, e portas de garagem. Foi encontrado também um lava car com sistema que pode ser ligado e desligado on line e uma pista de hóquei na Dinamarca que poderia ser descongelada com um clique de um botão. Todo o sistema de controle de tráfego de uma cidade também estava conectada à Internet  podendo ser colocada em “modo de teste” com uma única entrada de comando. E ele também encontrou um sistema de controle de uma usina hidrelétrica na França, com duas turbinas geradoras de 3 megawatts cada. Seria assustador se tudo isso estivesse em mãos erradas. Alguém poderia causar danos realmente sérios com isso. Então, por que todos esses dispositivos conectados estão com tão pouca segurança? É claro que não há segurança sobre essas coisas, disse Matherly.A boa notícia é que Shodan é usado quase exclusivamente para o bem. Matherly, que completou o projeto do Shodan há mais de três anos atrás, limitou as pesquisas a apenas 10 resultados sem uma conta, e 50 com uma conta. Se você quiser ver tudo o que Shodan tem para oferecer, Matherly exige mais informações sobre o que você está querendo de fato e um pagamento. Profissionais de segurança, pesquisadores acadêmicos e algumas agências são os principais utilizadores do Shodan. Pessoas mal intencionadas podem até usá-lo como ponto de partida para uma má ação, admite Matherly. Mas até hoje a maioria dos ataques cibernéticos tem focado em roubar dinheiro ou propriedade intelectual. Os bandidos ainda não tentaram explodir um prédio ou desligar os semáforos de uma cidade através de sistemas da internet. Especialistas da segurança do Shodan esperam evitar esse cenário através da identificação destes indivíduos por dispositivos e serviços ligados que alertam aos usuários que se encontram online e operando a rede que os mesmos se encontram vulneráveis e identificados.

8cc06aa947846dfc7071449392971fb5Copyright © 2014 UrbsMagna

compartilhar no facebook

%d blogueiros gostam disto: