Urbs Magna

Eram os Beatles astronautas?

Posted in ARTE, MÚSICA, MUNDO by dibarbosa on 13 de agosto de 2017

O que Temer falou com Putin?

Posted in BRASIL, MUNDO by dibarbosa on 22 de junho de 2017

Segundo site oficial do Kremlin, documentos de cooperação foram assinados entre Brasil e Rússia

Vladimir Putin e Michel Temer

O presidente russo iniciou a coletiva de imprensa: Querido presidente! Senhoras e Senhores!

Segundo o site do Kremlin. o encontro resultou em falas frutuosas com Michel Temer e com ambos os lados reafirmando compromissos com a cooperação russo-brasileira.

Vladimir Putin iniciou o encontro afirmando que “o Brasil é um dos principais parceiros da Rússia.” e que a cooperação entre nossos países é baseada na longa tradição de amizade e respeito mútuo.

Confira abaixo, em azul os trechos da fala de Putim e, em verde a fala de Temer:

VLADIMIR PUTIN: As relações diplomáticas entre a Rússia e o Brasil foram estabelecidas a quase 190 anos atrás. E foi o primeiro país da América Latina com o qual a Rússia estabeleceu relações oficiais.
Hoje, juntamente com o Presidente, analisamos detalhadamente todas as questões de interação, principalmente, é claro, sobre questões económicas.
Notamos que apesar da queda de 11% no volume de negócios no ano passado, este ano tendemos para a restauração deste volume e também para o aumento deste ritmo de forma mais firme.
Acordamos em maio deste ano, em uma reunião de nossa comissão intergovernamental, um ambicioso programa estabelecer fluxos de comerciais e diversificação da estrutura das operações de importação e exportação.
Os negócios russos em atividades no Brasil ultrapassaram o investimento de meio bilhão de dólares.
No setor da energia, eu gostaria de salientar, há projetos que foram implementados com sucesso no Brasil, como por exemplo a “Rosneft”¹, a “Gazprom”² e a “Power Machines”³.
Empresas russas de transporte também estão de prontidão para participar de um novo programa de modernização da infra-estrutura do Brasil. Nós já começamos a negociar a construção de ferrovias no Brasil, em especial a do eixo “Norte-Sul”.
Otros projetos promissores estão no setor da indústria nuclear. No início deste ano, a empresa russa “Rosatom”¹¹ ganhou a licitação para fornecimento de urânio enriquecido para usinas nucleares no Brasil. A empresa espera também ganhar a licitação para a construção de instalações de armazenamento de combustível nuclear na usina de Angra dos Reis, Rio de Janeiro.
Ainda, cooperamos estreitamente para a exploração pacífica do espaço com a “Roscosmos”¹². No Brasil, existem quatro estações terrestres do sistema de navegação global russo “GLONASS”¹³ e temos possibilidade de realizar o lançamento dos satélites brasileiros em “Baikonur”²¹.
Acreditamos que tanto a Rússia quanto o Brasil podem realizar um trabalho promissor apoiando-se os já existentes em associação com novas alianças tecnológicas, como por exemplo a “Fundação Skolkovo”²².
Vemos boas oportunidades para a expansão da cooperação cultural e humanitária. Referimo-nos às entidades educacionais dos dois países que poderão serem acessadas virtualmente a partir de Moscou ou de São Paulo.
Também, nossos dois países têm estabelecido uma produtiva troca de experiência na organização de grandes eventos desportivos.
Rússia e Brasil cooperam ativamente na esfera da política externa. Temos muitas abordagens semelhantes em relação à formação de um sistema internacional justo e democrático – um sistema que deve ser baseado no respeito ao Estado de direito e segurança primordial para todos.
Nossos países cooperam continuada e construtivamente na ONU  através do “G20”, da Organização Mundial do Comércio e, é claro, com o BRICS.
Acabamos de assinar com o Presidente do Brasil a declaração conjunta sobre o diálogo de política externa estratégico. Ele fornece um maior nível de coordenação dos esforços de nossos países em novos desafios e luta contra ameaças como o terrorismo, sempre apoiando a paz e sua estabilidade.
Concluindo, eu gostaria de agradecer ao Sr. Temer e todos os nossos colegas brasileiros pelas extensas negociações em andamento convencido de que os resultados contribuirão para um maior aprofundamento da parceria russo-brasileira.
Obrigado pela sua atenção.

MICHEL TEMER: Senhor Presidente! Membros das delegações brasileiras e russa! Senhoras e Senhores!
Estou feliz em dizer que me causa grande felicidade estar na Federação Russa a convite do presidente Putin.
Apenas a alguns minutos atrás tive uma extensa conversa com o presidente Putin onde renovamos nosso compromisso com a manutenção e desenvolvimento da parceria estratégica existente entre os dois países.
O Brasil é consciente do papel que a Rússia desempenha no cenário internacional, particularmente no âmbito do “G20” e no “BRICS”. Podemos também nos orgulhar da rica história da Rússia e honrar a memória dos soldados russos que deram suas vidas para assegurar a vitória dos aliados, na Segunda Guerra Mundial, contra o fascismo.
Temos também laços muito fortes no campo da cultura. E devo dizer que a cultura russa em sua presença no Brasil é muito perceptível. Ainda recentemente, na noite passada, nós, juntamente com o Sr. Putin fomos ao Teatro Bolshoi onde assistimos a um espetáculo de balé. Nomes como Dostoiévski e Tchaikovsky tornaram-se integrantes do nosso panorama cultural.
Durante as conversações, eu disse ao presidente Putin que esforços estão sendo feitos para a modernização da economia brasileira e reafirmamos nosso compromisso com a reforma política. O Brasil, assim como a Rússia, segue o caminho do crescimento econômico.
Assim como o Brasil, a Rússia tammbém tem sido capaz de controlar a inflação, e vamos continuar a seguir este caminho.
Este é um resumo dos acordos que acabamos de assinar: a expansão do comércio bilateral, o aumento de investimentos e o aprofundamento do diálogo político.
O Presidente Putin e eu concordamos que ainda temos potencial inexplorado para o comércio bilateral. Basta dizer que, nos primeiros cinco meses deste ano, o comércio bilateral entre os dois países aumentou 40 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.
Mas a nossa frente ainda temos terreno a caminhar. Como eu disse ontem aos empresários russos em um fórum de negócios, há uma sala muito grande para investimentos russos no Brasil.
Também falamos sobre os temas da agenda internacional. Concordamos que as instituições internacionais devem ser mais eficazes. Nós também trocaram pontos de vista sobre temas da atualidade, incluindo a paz e a segurança internacionais.
Trocamos opiniões sobre a cooperação em áreas-chave de interesse mútuo. Nós concordamos que é preciso colocar a parceria estratégica a serviço do progresso em nossas relações. Nós apreciamos essa experiência de criar uma estação no Brasil do sistema russo GLONASS.
Aproveitei a oportunidade para desejar sucesso de Putin na Copa do Mundo em 2018. Não tenho dúvidas de que a Rússia será capaz de preparar tudo até a data prevista. Eu acho que a Copa do Mundo na Rússia será tão bem sucedida como a Copa do Mundo no Brasil.
Nossa seleção de futebol se qualificou nas eliminatórias e estaremos aqui para a próxima Copa do Mundo em 2018. Eu acho que isso vai ser uma grande festa para os brasileiros e russos. Quem sabe, talvez nossas equipes se encontram na final da Copa do Mundo.
Ao longo de vários anos fui apenas o vice-presidente brasileiro buscando uma cooperação de alto nível. Agora, sei que juntos podemos fazer um trabalho ainda melhor para o benefício dos nossos povos.
Putin, tenho a certeza de que hoje nós fizemos com você um grande acordo para esse futuro. 
Mais uma vez eu quero agradecer pela recepção a mim e membros da minha delegação. Estaremos de volta ao Brasil ainda mais confiantes no futuro.

¹ (a Rosneft iniciou em 13/2/2017 sua primeira campanha de perfuração no Brasil. Hoje, a Rosneft tem sete planos de avaliação da descoberta em curso na Bacia do Solimões. Os compromissos preveem nove perfurações de avaliação até 2022. A petroleira russa opera 16 blocos no Solimões.)
²  (Gazprom é uma empresa de energia russa. É a maior empresa da Rússia e é a maior exportadora de gás natural do mundo o que lhe confere a décima quinta posição no ranking das maiores empresas mundiais. Sua sede está localizada no Rio de Janeiro. A empresa está interessada nos fornecimentos de GNL ao Brasil, nas importações de equipamento brasileiro para instalações de extração de gás em plataformas marítimas, bem como na participação da construção de armazéns para guardar o GNL.)
³  (é uma empresa russa de construção de máquinas de sistemas de energia sediada em São Petersburgo que adquiriu, em 2015, 51% das ações da indústria de máquinas catarinense Fezer S/A Indústrias Mecânicas. A compra faz parte da estratégia russa de regionalizar a produção de turbinas hidráulicas no Brasil e organizar sua montagem e vendas na região, além de alinhar a direção de projetos e serviços de manutenção de equipamentos para hidrelétricas. A companhia espera manter os países latino-americanos como clientela prioritária em construção de maquinário energético. Somente no Brasil, planejam-se construir e renovar plantas hidrelétricas que somarão 30 gigawatts até 2021.
¹¹  (companhia estatal da Federação Russa, responsável pelo complexo energético nuclear do país. Tem sua sede em Moscou)
¹²  (em abril deste ano, a agência espacial russa Roscosmos lançou um sistema optoeletrônico para detecção de lixo espacial no Observatório do Pico dos Dias, no sudoeste de Minas Gerais, em um projeto implementado a partir do acordo firmado em 21/11/1997 entre a Rússia e o Brasil – Cooperação na Exploração Espacial para Fins Pacíficos. O sistema no Brasil é a primeira estação de monitoramento do espaço russa que funcionará fora de seu território, e permite detectar automaticamente objetos espaciais (entre eles, naves, resíduos e detritos espaciais), determinar coordenadas angulares e processar dados. O complexo no Brasil faz parte de uma rede de sistemas optoeletrônicos da Roscosmos cujo objetivo principal é evitar que naves espaciais em operação colidam com lixo espacial.
¹³ (é um Sistema de Navegação Global por Satélite – GNSS atualmente um dos dois únicos sistemas operacionais que tem sido utilizado como uma alternativa ao sistema NAVSTAR/GPS já que este, sendo controlado pelo EUA e não possuindo garantias de operação, pode ser desativado ou ter seu sinal degradado conforme a conveniência do país).
²¹ (é a primeira e maior base de lançamentos de foguetes do mundo. Está em operação desde a década de 1950, sendo a princípio uma base de lançamento de mísseis de longo alcance, entretanto com o florescer da Guerra Fria tornou-se uma base tecnológica dirigida por interesses da União Soviética para a conquista do espaço).
²²  (Fundação S
kolkovo é uma organização na Rússia encarregada de criar o centro de inovação Skolkovo, que por sua vez é uma emergente área de negócios de alta tecnologia implantada no Instituto Skolkovo de Ciência e Tecnologia , uma universidade privada de pesquisa em Skolkovo, Oblast, Moscou, Rússia.)

Uma criança discursa repreendendo corruptos

Posted in GEOGRAFIA, MUNDO, POLÍTICA by dibarbosa on 19 de junho de 2017


Vídeo    –    Jacinto Angel Tun Noh acusou deputados do México

Um menino de 10 anos denuncia corrupção de políticos mexicanos  

O vídeo de uma criança repreendendo deputados do sudeste de um Estado do México e acusando-os diretamente de corruptos viralizou nas redes sociais daquele país, onde seus usuários aplaudiram a coragem de Jacinto Angel Tun Noh em denunciar um dos grandes males da atualidade.
Aconteceu no sétimo encontro do evento denominado “Parlamento Infantil de Quintana Roo“, no qual as crianças assumem o papel de deputados por um dia, ocasião em que o estudante de apenas 10 anos de idade fez um discurso convincente de cinco minutos expressando seu desejo de viver em uma nação em que seu povo tenha orgulho de dizer “Eu sou mexicano“. “Estamos chocados com a corrupção“, disse Angel Jacinto censurando os governantes pela “manutenção de privilégios políticos em um momento de miséria de grande parte da população.”

O menino foi enfático ao acrescentar que crimes parlamentares ocorridos em seu estado, conhecido por ser destino turístico internacional como Cancun e Riviera Maya, tornaram-se “insultos para aqueles que amam esta terra“. Angel arrancou aplausos do público presente quando mencionou o “roubo descarado e sem punição” do ex-governador Roberto Borge (2011-2016), que foi denunciado pelo governo do estado atual pela suposta venda irregular de terras do Estado para seus próprios parentes e colaboradores. “O que está sendo feito e por que as autoridades não o colocam atrás das grades? Têm medo ou têm propina? Qualquer outro cidadão que roubasse uma galinha para manter sua família seria condenado a dez anos de prisão“, disse o pequeno parlamentar.

A criança termina seu discurso pedindo um basta com a corrupção de políticos e envia uma mensagem a todos os cidadãos para que sejam mais “ativos para as mudanças reais que dependem de nossa iniciativa.” O vídeo recebeu dezenas de comentários sobre a coragem do menino e, em tom de brincadeira, proporam que ele fosse o próximo líder nacional: O que acontece com este país onde uma criança  expressa melhor os sentimentos do povo do que o próprio presidente!“, disse um usuário.

 

Salmões na Rota 101, Washington-EUA

Posted in MUNDO, Vídeos by dibarbosa on 11 de junho de 2017
Tagged with: , ,

Jumpin’ Jack Flash – Rolling Stones – Shine a Light – EXCELLENT !!!!

Posted in MÚSICA, MUNDO by dibarbosa on 13 de agosto de 2016

O mundo está mudando – e voltando à era na qual o governo determina o que a população faz ou tem – assustadoramente!

Posted in GEOGRAFIA, MUNDO, POLÍTICA by dibarbosa on 25 de junho de 2016

by Dayse Alves Barbosa

Mundo MudandoDavid Cameron renuncia. A libra esterlina cai abruptamente! Resultado do plebiscito. Muito ruim para o partido trabalhista na Inglaterra. Muitos estão a favor da saída da Inglaterra da UE porque alegam que houve perdas devido ao socialismo que a participação no bloco europeu representava. Porém, essa volta à segregação pode gerar um efeito dominó. É incrível como o que acontece no Brasil hoje reflete esse pensamento… Para voltarmos de vez no tempo agora só mesmo se aquele candidato vencer naquele país…Hope not. Mas, não duvido. O movimento é forte …A massa é grande e cresce cada vez mais.

Tagged with: ,

Na China, funcionários com mal desempenho apanham com ripa na bunda (vídeo)

Posted in CHINA, MUNDO by dibarbosa on 23 de junho de 2016

english

O Banco chinês Changzhi Zhangze Rural Commercial promoveu um treinamento motivacional para seus 200 funcionários mas para 8 deles, os quais tiveram um baixo desempenho no período, foi um grande pesadelo: foram castigados na frente dos companheiros de trabalho para ficarem “mais espertos”

Eles ficaram expostos no palco para exibição ao restante do grupo lado a lado e sendo humilhados na frente do público de colegas pelo “motivador ?” conhecido por Jiang Yang que pegou uma ripa de madeira e começou a bater com força na bunda de um por um, ciclicamente, várias vezes. No vídeo abaixo, é possível ver toda a agressão que culmina com uma mulher se envergando de dor. Após as ripadas, mas em off no vídeo, algumas das vítimas tiveram os cabelos raspados.
Ninguém estava entendendo nada direito do que se tratava quando tudo começou – os insultos de Yang com agressão verbal – mas começaram a ficar estarrecidos com a violência à medida em que viam seus amigos sendo maltratados. O homem louco disse que “…a surra é um modelo de treinamento que eu exploro há muitos anos”.
O governo da China informou que o presidente do banco e o diretor responsável por contratar o treinamento motivacional foram suspensos, e que Jiang Yang deverá pedir desculpas publicamente. Abaixo, assistam ao momento da humilhação pública dos oito funcionários.

EUA e CUBA no caminho da abertura

Posted in EUA, MUNDO by dibarbosa on 20 de março de 2016

obamaApós 88 anos, enfim um presidente dos Estados Unidos visita Cuba novamente. Neste momento, Barack Obama está lá (20mar2016-18:00GMT). O último líder da potência a pisar em Havana foi Calvin Coolidge em 1928.

O povo cubano, desconfiado, teve que ser preparado antes. Afinal, desde 1961 um embargo econômico e outras restrições impostas pelos EUA, em detrimento do alinhamento de Cuba com a União Soviética durante a guerra fria, cortou completamente quaisquer relações amistosas entre seus povos transformando-os em inimigos.

Para isso, um ator cubano de nome Luis Silva, que interpreta o personagem Pánfilo em um programa humorístico da TV cubana, foi convocado para a produção de um vídeo que teve uma real participação do chefe de estado Barack Obama, o qual foi transmitido pela Cubavision com antecedência.

No programa entitulado “Vivil del Cuento”, que detém uma invejável audiência de 96%, Pánfilo conversou com o presidente dos Estados Unidos às vésperas de sua visita à Ilha, a qual havia sido tomada dos americanos por Fidel Castro e Che Guevara em 1959. O vídeo foi produzido pela TV Cubana e pela Casa Branca.

Papa orando frente a um graffite de David Bowie é montagem

Posted in Imagens, INTERNET, MÚSICA, MUNDO, O Papa by dibarbosa on 16 de janeiro de 2016

POPE BOWIEUma imagem do Papa Francisco orando em frente a um graffite de Davide Bowie está circulando na internet desde que o Artista faleceu no início de 2016.
Comentários como “Ele é demais”, referindo-se à atitude do pontífice, refletem o vislumbre do público online diante de seu gesto inovador de render-se espiritualmente a um dos ícones da cultura pop mundial em uma notada homenagem do Vaticano, da Igreja Católica e de todos os religiosos ligados a ela.
Mas a IMAGEM É FALSA!

A imagem original foi publicada no jornal matinal britânico The Independent em 2014 e mostra o papa Francisco orando no muro que divide a Cisjordânia de Israel.
De posse da imagem, o rosto de Bowie foi inserido com a ajuda de aplicativos e ficou assim.
Esta GIF em movimento logo abaixo mostra ambas as imagens sobrepostas para comparação e compreensão do leitor. Até breve!

POPE BOWIE GIF

 

Árvores de Natal do mundo

Posted in FOTOGRAFIA, MUNDO, SOCIOLOGIA by dibarbosa on 25 de dezembro de 2015

35 Árvores de Natal fantásticas do mundo

O Natal de todos os povos é sempre tão especial quanto o nosso. Dê uma olhada nestas Árvores de Natal, cada uma mais bonita que a outra, ao redor do mundo para celebrar o nascimento de Jesus. Você vai se emocionar.

Praça de São Pedro – Vaticano

Capitólio dos EUA em Washington, DC

Árvore reciclada de madeira – Rakvere, Western Virumaa condado da Estónia

Seoul City Hall Plaza, Coréia do Sul

Federation Square, Melbourne, Australia

Árvore coberta de 2.000 brinquedos da Disney em Londres, Inglaterra

Árvore de Natal decorada com US $ 11 milhões em jóias e pedras preciosas no Emirates Palace Hotel, Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos

Árvore de Natal dos doces em Cingapura

Árvore de Natal em Byblos, Líbano

Árvore de Natal em Varsóvia, Polônia

Feita de guarda-chuvas metálicos no Hotel do Claridge em Londres, Inglaterra

Praça da catedral em Vilnius, Lituânia

Árvore de Natal nacional dos Estados Unidos em Washington, DC

Árvore de Natal nas encostas do Monte Ingino, Gubbio, Itália

Central World Shopping Mall, Praça Siam Bangkok, Tailândia

Canções de Natal na Trafalgar Square, London, UK

Praça Colon, Madrid

Árvore de Natal de cabeça pra baixo dentro de um shopping center em Paris, França

Downtown Syracuse, Nova Iorque

Puerta del Sol, Madrid, Espanha

Árvore de Natal flutuante da Lagoa Rodrigo de Freitas – Rio de Janeiro, Brasil

França

Árvore de Natal gigante no LEGOLAND Windsor, a oeste de Londres

Árvore de Natal de LEDs em Taipei, Taiwan

LEGO árvore de Natal construída de mais de meio milhão tijolos de Lego em Melbourne, Austrália.

Metropolitan Museum of Art, em Nova York, Nova Iorque

O Museu Americano de História Natural, em Nova York

Piazza Castello de Turim, Itália

A Árvore de Natal Nacional durante uma cerimônia na Catedral de Vilnius, Lithuania, em 27 de Novembro de 2015. (APPhoto/Mindaugas Kulbis)

Praça da Cidade Velha de Praga, República Checa

Museu Victoria and Albert, em Londres, Inglaterra

Recorde Mundial da maior Árvore de Natal humana Tegucigalpa, Honduras

Moscou na Praça Vermelha

Piazza Gae Aulenti, Milão, Itália

“BIN LADEN ESTÁ VIVO E PASSA BEM”, afirma EDWARD SNOWDEN

Posted in EUA, MUNDO, SNOWDEN by dibarbosa on 24 de novembro de 2015

LOGO-NOVO-URBSMAGNA-M-animfacebook-redondotwitter-redondogoogle+
osama

Segundo Edward Snowden, CIA mantém Bin Laden vivo

terça-feira, 24 de novembro de 2015 – 18:30 GMT

Moscou | Edward Snowden, famoso por denunciar a NSA – Agência de Segurança Nacional (dos EUA) – afirmou ter provas de que Osama bin Laden ainda está vivo.

Snowden, que vive como um fugitivo na Rússia por ter revelado documentos secretos sobre programas de vigilância da NSA, afirmou em entrevista ao Moscow Tribune que Bin Laden está tendo uma vida luxuosa nas Bahamas graças a pagamentos regulares da CIA.

“Tenho documentos mostrando que Bin Laden ainda está na folha de pagamento da CIA”, afirma Edward Snowden. “Ele ainda está recebendo mais de cem mil dólares mensais que estão sendo transferidos através de algumas empresas e organizações de fachada diretamente para sua conta bancária em Nassau (capital das Bahamas). Não estou certo de onde ele está agora mas em 2013 ele estava vivendo tranquilamente em sua casa de campo em um luxuoso subúrbio com cinco de suas esposas e muitos filhos.”

“Osama Bin Laden foi um dos operadores mais eficientes da CIA por um longo tempo”, afirma o famoso denunciante. “Eles organizaram sua morte falsa com a colaboração dos serviços secretos paquistaneses. Todo mundo acreditou que ele realmente foi morto naquela ocasião, por isso ninguém o procurou mais, assim ficou muito fácil para ele ‘desaparacer’ sem a barba e a jaqueta militar ficando irreconhecível”.

Snowden, por diversas vezes foi chamado controversamente de herói, denunciante, dissidente, patriota, e traidor por suas revelações de milhares de documentos das agências de espionagem NSA e CIA. Ele foi contratado pela primeira agência  em 2013 após deixar a Dell e a CIA. Mas em junho do mesmo ano, ele revelou milhares de documentos aos jornalistas.

O governo dos Estados Unidos apresentou acusações de espionagem contra ele pouco depois que suas revelações foram tornadas públicas. Ele tem vivido sob asilo em Moscou, depois de fugir os EUA por Hong Kong, na esteira dos vazamentos. Em 28 de julho de 2015, a Casa Branca rejeitou uma petição de quase 168 mil signatários que pediam seu perdão.

fonte: worldnewsdailyreport

Aprenda a colocar a bandeira de Minas com sua foto de perfil no facebook

Posted in AMBIENTALISMO, BRASIL, FACEBOOK, MUNDO by dibarbosa on 15 de novembro de 2015

facebook-redondotwitter-redondogoogle+LOGO-NOVO-URBSMAGNA-M-anim Aprenda no passo-a-passo a seguir

Belo Horizonte – 15nov2015 – 13:30GMT- por Francisco Sá Guedes

perfil do facebookComo colocar a bandeira do estado de Minas Gerais no avatar – foto de perfil – do facebook e solidarizar-se com as vítimas do desastre ambiental no município de Mariana e outros ribeirinhos do Rio Dôce provocado pela Samarco Mineração S.A.

Uma grande polêmica no Facebook está agitando a comunidade em todo o Brasil. Isso porque os usuários da rede social estão se utilizando da bandeira da França em seus perfis como forma de apoiar as vítimas dos ataques de membros do autoproclamado califado do Estado Islâmico ocorrido em Paris.
A reclamação de muitos facebookianos é que a homenagem apenas ocorre quando o assunto é destaque mundial no estrangeiro ao passo que os problemas de nosso Brasil são deixados em segundo plano, como foi o caso do incêndio da boate Kiss em Santa Maria – RS e, agora, o desastre ambiental ocorrido no Município de Mariana, onde uma barragem de rejeitos de mineração se rompeu derramando enorme quantidade de lama tóxica sobre as ruas da cidade arrastando casas e a vegetação, além de contaminar e matar todas as formas de vida do rio Dôce. Estes compartilhadores mencionam a ausência de avatares de solidariedade com as vítimas das nossas tragédias.
Pensando nisso vamos ensinar como improvisar qualquer bandeira ou imagem que poderá ser usada em sobreposição à que está em seu perfil ou a qualquer outra que você quiser. Para isso você vai precisar de apenas um aplicativo de edição de fotografia de sua preferência bem como o objeto que deseja sobrepôr à sua imagem avatar, neste caso a bandeira do estado de Minas que você poderá fazer o download aqui.
Neste post utilizaremos o PhotoScape – um programa editor de imagens – apenas como referência no caso de você não possuir nenhum outro instalado em seu computador e, se for este o seu caso, basta seguir o passo-a-passo abaixo após fazer o download aqui.

photoScape1

Image 1

photoScape2

Image 2

photoScape3

Image 3

PASSO-A-PASSO (se preferir, clique nas imagens para ampliar):
Image 1: Após baixar e instalar o PhotoScape, bem como a imagem que deseja sobrepôr à sua foto, abra-o e selecione Editor no alto à esquerda. Uma tela se abrirá ,conforme a figura seguinte, onde você deverá realizar a seguinte seleção:
Image 2: Selecione a pasta onde se encontra sua foto a ser usada no perfil do facebook e em seguida clique em Objeto e no Ícone de Imagem co
nforme indicado. Uma segunda tela será aberta e, nela, você deverá selecionar a imagem que será sobreposta à sua.
Image 3: Quando isso acontecer, regule a imagem com o cursor de modo que esta seja ajustada à proporção que você deseja. Você também notou que uma pop-up foi instantaneamente aberta um pouco abaixo à esquerda. Nela será possível regular a opacidade da imagem sobreposta de modo que as duas imagens fiquem visíveis conforme o aplicativo do facebook permite fazer com a bandeira da França. Você também pode recortar a imagem para que as bordas que ficaram desalinhadas sejam eliminadas. Assim seu trabalho será de um profissional.

Pronto! Agora é só clicar em salvar e depois em salvar como, renomear e escolher a pasta onde irá salvar a imagem. Então, quando você alterar sua imagem do facebook você estará declarando-se um brasileiro patriota, solidário e preocupado com todos os acontecimentos deste Brasil afora.

SE VOCÊ TIVER DÚVIDAS, POR FAVOR, COMENTE NA ÚLTIMA LINHA DESTA MATÉRIA QUE RESPONDEREMOS O QUANTO ANTES. GRATOS.

PANGEIA. Uma animação sensacional

Posted in AMBIENTALISMO, GEOGRAFIA, MUNDO by dibarbosa on 12 de novembro de 2015

A extinção dos Leões

Posted in AMBIENTALISMO, MUNDO by dibarbosa on 31 de maio de 2015

Os leões africanos estão em confirmada extinção. Por este motivo, há 8 anos tentam transformar seus assassinos, os guerreiros Maasai, em seus protetores.Maasai Lion

Mas como transformar matadores de leões em seus guardiões? Entenda:
Tudo começou quando Leela Hazzah soube que os leões do Egito foram extintos. À partir daí ela iniciou uma dedicação em tempo integral à ações que buscam a preservação dos leões da África. Seu foco principal é a reeducação dos guerreiros de uma tribo que têm por tradição matar leões.141114170253-01-cnn-hero-leela-hazzah-1144-horizontal-gallery

Quando criança, Leela Hazzah passava suas noites de verão no ponto mais alto da casa de sua família no Egito. Seu pai e seu tio contavam-lhe histórias e quando iam dormir no último pavimento superior ouviam os últimos leões rugindo. Mas quando eles foram verdadeiramente extintos por lá, Hazzah ficou profundamente triste, momento à partir do qual decidiu que sabia o que iria fazer de sua vida. Ela passou a dedicar toda sua vida à conservação dos leões, o que lhe concedeu a defesa de seu mestrado em biologia da conservação, em uma pesquisa que a levou para o Quênia. Foi morar em uma casa na árvore e observou diretamente o rápido declínio dos leões africanos devido à perda de habitat e ao conflito com seus assassinos.maasai-warrior1

Hazzah, agora com 35 anos de idade, conta que há sessenta anos atrás havia provavelmente quinhentos mil leões na África e hoje são apenas trinta mil.  Agora ela está defendendo seu doutorado em estudos ambientais e pensa que pode ter encontrado uma solução para livrar os leões da extinção fazendo-os voltar crescer.  Leela fundou uma organização sem fins lucrativos e já tem uma equipe de 65 Guardiões do Leão em toda a África Oriental. O objetivo é transformar os guerreiros Maasai, que praticamente exterminaram os leões, em seus protetores. “O leão é um ícone”, disse Hazzah, que deu início ao Lion Guardians em 2007. “Se não houver mais leões na África poderemos perder muito mais.”lion guardians

capture-20150531-111420Hazzah passou um ano vivendo entre os Maasai para compreender por que eles estavam matando os leões. Descobriu que um jovem somente pode receber seu prestigiado nome de guerreiro após matar um leão, o que é uma etapa natural de sua formação. Então ela percebeu que teria um árduo trabalho: mudar a cultura dos Maasais, que também dependem de seus rebanhos bovinos para sobreviver. O gado é o núcleo de sua cultura; sua principal fonte de subsistência. Os guerreiros matam os leões  para assegurar sua atividade pecuária. 

maasaiA idéia de Hazzah para a criação do Lion Guardian veio após uma demorada tentativa de relação com a comunidade Maasai. Eles começaram a se abrir aos poucos e a contar-lhe suas histórias. Foi quando ela percebeu que havia uma relação de amor e ódio naquela matança. Os Maasai revelaram que são admiradores da beleza e força do leão, o que o transformou em um símbolo de poder. Mas tinham que matá-lo para sobreviver com seu gado. Assim, somente os guerreiros poderiam ser seus verdadeiros protetores. Hazzah teve que descobrir uma forma de ensinar-lhes a proteger os leões e ao mesmo tempo preservar seu rebanho. 

capture-20150531-110807Hoje, cada tutor do Lion Guardian ganha cerca de U$100/mês para transmitir algumas ideias que possam reduzir o conflito homem-leão nas comunidades. Se um guardião ouve falar de caçadas programadas a leões, ele intervém ajudando as pessoas a compreender a importância de mantê-los vivos, pois são ícones de um turismo regional que gera empregos. Quanto ao gado, os tutores ensinam a conduzi-lo, para que não se perca nenhuma cabeça, e a guardá-lo em currais para protegê-lo, o que tem evitado assassinatos de retaliação.

capture-20150531-111048A grande mudança cultural começa a surgir. O Maasai de hoje já pensa diferente. Tornar-se um guardião de leão está fazendo-o renascer. Os guerreiros ganham mais prestígio do que teriam em matar um leão. Especialmente porque são premiados, pela equipe Lion Guardian, com alfabetização e educação onde conhecem os dados geográficos dos leões e suas mudanças populacionais. Para Hazzah, a transformação de jovens guerreiros Maasai em seus protetores tem sido uma das partes mais gratificantes de seus esforços. Eles são capazes de arriscar suas próprias vidas para impedir outras pessoas de matar leões.

dreamstime_masai-playing-a-hornQuer participar? Confira o site www.lionguardians.org e veja como ajudar.

Papa Francisco: sou das ruas

Posted in MUNDO, O Papa, RELIGIÃO by dibarbosa on 27 de maio de 2015

última atualização em 18 de fevereiro de 2016 

pope giantPapa Francisco dá entrevista ao diário argentino La Voz del Pueblo e diz que é um homem das ruas.

O pontífice deu uma de suas entrevistas mais pessoais desde que se elegeu Papa e falou sobre seus medos e gostos, dentre outros temas da atualidade revelando detalhes desconhecidos de sua vida. Leia a transcrição veiculada pelos jornais argentinos.

O senhor sonhava em ser Papa Papa?
Nunca. Tampouco em ser presidente ou general.  Alguns meninos sonham com isso, eu jamais sonhei.

Nem durante o serviço episcopal fantasiou esta possibilidade?
Depois que estive por 15 anos em postos de confiança para os quais fui promovido, voltei a ser padre e a ouvir confissões. A vida de um religioso vai mudando segundo as necessidades. E com respeito à possibilidade, eu já estava na lista dos papáveis no conclave anterior. Mas neste último,  devido à minha idade de 76 anos e pelo fato de ter gente mais valiosa, eu jamais pensei que me nomeariam.  Além disso eles diziam que só os kingmakers (fazedores de reis – como se denominam os cardeais experientes e com autoridade) poderiam influenciar na escolha de um latino-americano. Tanto que nenhuma foto minha saiu nos jornais. Ninguém pensava em mim. Nas casas de apostas de Londres eu estava na 46ª posição (gargalhadas). Por isso, nem eu mesmo pensava em mim.

Mas em 2005 o senhor foi o segundo mais votado depois de Bento XVI
É o que dizem. O certo é que, ao menos, na outra eleição eu estava nos jornais; eu era um papável. No Vaticano estava claro que teria que ser ele por quase unanimidade e gostei muito da escolha. Era evidente que ele seria eleito porque era favorito. Mas em minha candidatura ninguém se destacava. Muitos tinham possibilidades mas nenhum era forte. Por isso fui à Roma com minha passagem de volta para sábado à noite e desejava estar em Buenos Aires no Domingo de Ramos. Isso está em minha homilia que deixei sobre a mesa naquela ocasião. Jamais pensei que seria o escolhido.

E quando foi eleito, o que sentiu?
Antes da eleição definitiva, senti muita paz. “Se Deus quer assim…”, pensei. E me quedei em paz. Enquanto os votos eram feitos, eu rezava o rosário tranquilo. Tinha, ao meu lado, meu amigo Cardeal Claudio Hummes, que em um voto anterior ao definitivo me disse: “Não se preocupe, é assim que opera o Espírito Santo…” ( volta a gargalhar).

E assumiu em seguida?
Me levaram para a Sacristia, me trocaram a batina e todo o vestuário. E eu disse o que me veio.

Então foi algo natural.
Sim, eu senti muita paz e disse o que me veio do coração.

Reconhece o magnetismo que gera nas pessoas?
E, sim… , sei que as pessoas… (dúvida e silêncio) Primeiro eu não entendia por que ocorria isso. Alguns cardeais me contam que as pessoas dizem que me entendem. Eu tento ser transparente nas audiências, nas coisas que falo, como hoje contei uma anedota de quando estava na quarta série. Então as pessoas entendem minha fala. Como quando falei que alguns pais separados usam seus filhos como reféns, algo muito triste, se vitimizam, o pai fala mal da mãe e vice versa, e a pobre criança se confunde com tudo o que se passa. Eu trato se ser objetivo e é isso que chama de magnetismo.

O Senhor gosta das audiências públicas?
Sim, eu desfruto delas no sentido humano e espiritual, as duas coisas. As pessoas me fazem bem;  me dão uma “onda” como se diz. É como se minha vida fosse se fechando nas pessoas. Eu psicologicamente, não vivo sem as pessoas. Não sirvo para ser monge. Por isso eu quis viver em La Domus Sanctae Marthae – uma casa de hóspedes para vários clérigos que têm negócios com a Santa Sé, e hotel residência dos membros do Colégio de Cardeais. São 210 cômodos e vivemos em 40 pessoas. E isso me faz tão bem. Vir aqui, comer junto com todas as pessoas. Estar em todas as missas da semana junto com os forasteiros de paróquias. Gosto muito e dou graças a Deus por tudo isso.

O que sente falta da sua vida anterior ao papado?
Sair às ruas. A tranquilidade de caminhar. Ir à pizzaria e comer uma boa pizza (risada).

Pode pedir uma dellivery no Vaticano?
Sim, mas não é a mesma coisa. A questão é ir até a pizza. Eu sempre fui da rua. Quando cardeal, me encantava caminhar pelas ruas, andar de ônibus, metrô. A cidade me encanta, sou cidadão urbano de alma. Eu não sei viver no campo.

Aqui, recorre à cidade?
Não, (outra vez ri com vontade). Vou às paróquias… mas não posso sair.  Imagine se eu saio pelas ruas. Um dia saí de carro apenas com o motorista e me esqueci de fechar a janela, não me dei conta que estava aberta. Uma confusão se armou. As pessoas não deixavam o carro seguir. Mas eu sou das ruas.

Isso tem a ver com seu jeito de ser
É verdade que tenho sido chamado de indisciplinado. Não sigo muitos protocolos. É muito insensível, ainda que haja a oficialidade.

O senhor consegue descansar à noite? Se desconectar?
Eu tenho um sono tão profundo que deito na cama e desmaio. Durmo seis horas. Às 21:00h já estou na cama e leio até quase 22:00h, quando meus olhos começam a lacrimejar. Apago a luz e durmo até às 04:00h em um despertar biológico, natural. Por isso preciso de cochilos. Tenho que dormir de 40min. a 1hora, quando tiro os sapatos e me jogo na cama. Durmo profundamente e também acordo sozinho; naturalmente. Sempre que não durmo bem necessito destas cochiladas.

O que o senhor lê antes de dormir?
Agora estou lendo sobre São Silvano de Monte Athos, um grande mestre espiritual.

Na visita que realizou à Manila no verão falou da importância de chorar. O senhor chora?
Quando vejo dramas humanos, como outro dia ao ver o que ocorre com os povos rohingya, que andam em cima dessas embarcações em águas tailandesas e quando se aproximam da terra lhes dão um pouco de comida e água, após o que os lançam novamente ao mar. Isso me comove profundamente. Depois, as crianças doentes. Quando vejo que aqui chamam de enfermidades raras, que são produzidas por descuido do ambiente, eu fico muito agitado. Quando eu vejo estas criaturas eu digo ao Senhor: “Por quê eles e não eu?” Quando vou aos cárceres também fico comovido. Fui a alguns cárceres de cidades italianas e fiz a refeição junto com os detentos. E durante uma conversa com um deles, me veio à mente: “… e pensar que eu poderia estar aqui…” ou seja, nenhum de nós está seguro de que nunca vai cometer um crime a tal ponto de ser preso. Então me pergunto: por quê Deus me permitiu que eu não estivesse aqui?  E sinto a dor deles e agradeço a Deus por não estar aqui. Porém sinto que às vezes esse agradecimento é de conveniência também, porque eles não tiveram a oportunidade que tive de jamais fazer algo digno de ser preso. Isso me leva ao choro interior. Isso me faz sentir muito.

Mas chega a chorar com lágrimas?
Publicamente , não choro. Por duas vezes estive no limite, mas pude me conter a tempo. Eu estava muito comovido, inclusive algumas lágrimas me escaparam, mas não chorei. Fiquei mudo e depois de algum tempo passei a mão no rosto.

Por quê não quis que o vissem chorando?
Não sei, achei que teria que seguir adiante.

Quais foram estas situações?
Lembro de uma, a outra não. A que me lembro teve a ver com a perseguição dos cristãos no Iraque. Estava falando disso e me comovi profundamente. Pensar nas crianças…

Do que o senhor tem medo?
Em geral não sinto medo. Sou mais ousado, não meço consequências. Isso que eu disse costuma me dar dores de cabeça porque às vezes falo demais (risada intensa).  E quanto aos atentados, estou nas mãos de Deus. Nas minhas orações eu falei com o Senhor e lhE disse: “Olha, se isso tiver que acontecer, peço um favor: não me machuque…” (risos) “…porque eu sou um covarde à dor física. A dor moral eu ainda suporto, mas a dor física, não. Não é que eu tenha medo de injeção, mas prefiro não ter problemas com a dor física. Sou muito intolerante a isso que, presumo que isso se deve a uma cirurgia pulmonar que fiz aos dezenove anos de idade.

O senhor sente pressão?
As pressões existem. Todo governante sente pressões. Neste momento, o que mais sinto é a intensidade do trabalho no Vaticano. Um ritmo de trabalho muito intenso, a síndrome do fim do ano escolar, que aqui termina no fim de junho. E então se juntam mil coisas e problemas. E depois estão os problemas que te armam com o que disse ou não disse. Os meios de comunicação também tomam-lhe uma palavra e a descontextualizam. Noutro dia, na paróquia de Ostia, perto de Roma, estava saudando as pessoas e haviam colocado os velhos e enfermos no ginásio. Estavam sentados e eu passava os saudando. Então eu disse: “Olhem que divertido, aqui onde jogavam as crianças estão os velhos e doentes. Eu os compreendo porque também sou velho e também tenho meus ataques, sou um pouco”. No outro dia saiu nos jornais: “O Papa confessou que está doente”. Contra esse inimigo não podemos.

¿Y está encima de todo lo que se publica?

Não, não. Jornal, leio somente um: La Repubblica, que é um jornal para setores médios. Eu faço pela manhã e não leva mais de 10 minutos folheá-lo. Televisão, não assisto deste 1990. (toma um tempo para continuar) É uma promessa que fiz à Virgem de Carmen na noite de 15 de julho de 1990.

Por um motivo particular?
Não, não, eu disse que isso “não é para mim”.

Não vê as partidas do San Lorenzo? (Club Atlético San Lorenzo de Almagro – Um dos cinco grandes da Argentina)
Não, não vejo nada.

Como fica sabendo dos resultados?
Tem um guarda suiço que todas as semanas me deixa os resultados reais da tabela.

O senhor, em meio aos Papas, seria um Messi ou um Mascherano?
Não saberia te dizer porque não sei distinguir o estilo deles, porque não assisto futebol. Messi, o vi duas vezes aqui e nunca mais.

O senhor usa a Internet?
Nada. E jamais concedo entrevistas. Se o faço é porque estou em estado de graça. Normalmente, antes de enfrentar um jornalista, costumo entrar em pânico.

Como a Argentina é vista no Vaticano?
Como um país de muitas possibilidades e de tantas oportunidades perdidas. Como dizia o cardeal Quarracino. E é verdade. A Argentina é um país que perdeu tantas oportunidades ao longo da história… Alguma coisa acontece, com toda a riqueza que temos

O senhor acompanha a evolução política da Argentina?
No, para nada. Eu cortei, aqui, a recepção de políticos poque me dei conta de que alguns usavam isso e minha foto, ainda que seja certo que algum outro não disse se havia estado comigo ou se tinha a foto. Mas para evitar isso, os recebo em audiência privada. Se vêm e vão às audiências gerais, os saúdo.  Mas não sei como vão as eleições nem quem são os candidatos. Imagino quais devem ser os principais.

Gosta quando o rotulam de Papa pobre?
Se acrescentam mais uma palavra ao final, sim. “Papa pobre coitado”, por exemplo (risada forte). A pobreza é o centro do Evangelho. Jesus pregou aos pobres. Se a pobreza for tirada do Evangelho, não se pode entender nada.

Não é utopia pensar em acabar com a pobreza?
Sim, porém as utopias nos arremessam para a frente. Seria triste que os jovens não a tivessem. Há três coisas que temos que ter na vida: memória do passado, capacidade de avaliar o presente e utopia para o futuro. Não devemos perder a memória. Quando as pessoas perdem suas memórias há um outro grande drama de abandono de idosos. Capacidae hermenêutica frente ao presente, interpretá-lo e saber por onde ir com essa memória, com essas raízes do passado, como usar no presente. E aí está a vida de jovens e adultos. E o futuro? Há os jovens e, especialmente as crianças. O futuro de um povo se manifesta no cuidado com os idosos que são sua memória. As crianças e jovens levarão isso adiante. Os adultos têm de receber esse relatório, trabalhar no futuro e dar aos filhos. Certa vez li algo muito bonito: “O presente, o mundo que temos recebido, no é somente uma herança dos mais velhos, mas também um empréstimo que nos fazem nossos filhos para que o devolvamos melhor”. Se eu cortar minhas raízes, vai acontecer comigo o que acontece com todas as plantas: eu vou morrer. E se eu viver o presente sem uma previsão do futuro serei como um mau gestor sem um projeto. A poluição ambiental de hoje é um fenômeno deste estilo. Todos os três juntos têm que sintonizar. Quando falta algum, um povo começa a decair.

Quais são os piores males do mundo de hoje?
Pobreza, corrupção, tráfico de seres humanos. Eu posso me enganar nas estatísticas, mas qual item vem depois dos gastos com comida, roupas e remédios? A minha resposta nesta ordem: cosméticos e animais de estimação. Isso é grave. Poder programar a resposta amorosa de um cão se sobrepõe às relações de afeto recíprocas entre seres humanos.

Por quê sempre repete “ore por mim”?
Porque necessito que a oração do povo me sustente. É uma necessidade interior.

Como gostaria que se lembrassem do senhor?
Um bom tipo. Que digam: “Este era um bom tipo que tratou de fazer o bem”. Não tenho outra pretensão.

Que recordações tens do futebol e do San Lorenzo em sua infância?
Lembro-me como se fosse hoje a campanha de 1946. Íamos ao Gasômetro (primeiro estádio do San Lorenzo) todos os domingos. Em família, com minha mãe também.  Depois da partida saíamos e comprávamos caracóis em salsa (uma iguaria da cozinha catalã), algumas pizzas e voltávamos para casa. Era uma festa familiar.

Gostaria que Marcelo Tinelli, vice de San Lorenzo, fosse o presidente da AFA?
Eu o vi duas vezes. Uma, sem saber que era ele, o saudei no amistoso Argentina-Italia, e depois me disseram: “Esse é Marcelo Tinellii”. E a segunda vez que o vi foi quando me trouxe a Copa (Libertadores).

Qual sua opinião sobre o que aconteceu no Boca-River?
Foi uma pena. São selvajerias transbordantes da paixão com arrogância e incapacidade de viver em sociedade. Eu vivi no tempo do futebol amador na campanha de 46. Eu tinha 9 anos. A pior coisa que se dizia a um árbitro naquele tempo era que ele tinha se vendido. Não havia tanto insulto quanto agora. Um jogador que não se saísse bem, diziam que estava dormindo. Só isso. A atmosfera do público mudou para lamentável.

Tagged with: ,

Bissexualidade de Brad Pit cai na rede

Posted in CINEMA, MUNDO, OPINIÃO by dibarbosa on 25 de maio de 2015

Brad PitEnglishHoje, o tema mais twittado no Brasil e no Mundo é a bissexualidade de Brad Pitt.

É disso que o povo gosta: um escândalo associado a uma personalidade artística. William Bradley Pitt (51), mais conhecido como Brad Pitt, o famoso ator, produtor cinematográfico e empresário americano, dono da produtora de filmes Plan B Entertainment, costuma contratar homens para sua alegria, de acordo com um tablóide americano. Tudo com a permissão da também bissexual Angelina Jolie (40), com quem divide a cena desde 2005.  Está escrito também que Pitt até já contratou o ator pornô Cameron Fox. A vida dupla do casal tem consentimento de ambos há mais de dez anos.

A comunidade gay mundial está uma polvorosa, ahahahaha.

CAPA DA STAR MAGAZINE:
Star_Magazine_2015

Tagged with: ,

O nepal está situado em uma das regiões mais perigosas da terra

Posted in GEOGRAFIA, HISTÓRIA, MUNDO by dibarbosa on 26 de abril de 2015

inglêsespanholO ‘encaixamento’ da placa da Índia sob a placa da Eurasia gera inúmeros terremotos e, consequentemente, torna esta área uma das regiões mais perigosas da Terra.


CAPA URBSMAGNA
última atualização em 12/05/2015

Outro terremoto no Nepal com 7.3M revelou que o Nepal é um dos locais mais perigosos do mundo. Antes, um terremoto de 7.8M(magnitude) sacudiu o Nepal em 25 de abril. Estes tremores são resultantes do impulso de uma falha situada em área do território nepalês, próxima ao encontro entre as placas tectônicas da Índia e da Eurásia. O movimento de subducção da primeira contra a segunda em direção ao norte-nordeste ocorre a uma taxa de 45 milímetros por ano e, eventualmente, provoca abalos sísmicos com magnitudes variadas em decorrência da tensão liberada pela acomodação tectônica entre as duas placas e falhas dispostas no entorno de seu encontro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Cordilheira do Himalaia surgiu como resultado desses movimentos no interior do planeta, quando a placa da Índia segue convergindo com a placa da Eurasia ocasionando o constante soerguimento daquela cadeia de montanhas. Lá está localizado o Monte Everest, a mais alta montanha da Terra com proeminência de 8.848 metros, onde também ocorreu uma avalanche decorrente do terremoto em 25 de abril.

O resultado dessa movimentação ininterrupta do nosso planeta é uma sequência de terremotos em escalas variadas em um espaço de tempo relativamente curto, considerando-se todas as magnitudes registradas pelos cientistas. Para se ter uma idéia, após este grande terremoto do Nepal já ocorreu na mesma área, até o momento desta postagem, uma sequência de outros terremotos com magnitude inferior sem risco para a população, mas com tremores precebidos por qualquer um, o que é bem normal por lá. Mas, dentro de um raio de 250km, os maiores abalos ocorridos com prejuízos consideráveis foram um terremoto de 6,9M em agosto de 1988, 240 km a sudeste do evento de 25 de abril, causando a morte de aproximadamente 1.500 pessoas e outro maior de 8,0M em 1934 que ficou conhecido como o terremoto Nepal-Bihar e que destruiu severamente Kathmandu, capital do Nepal, causando cerca de 10.600 mortes.

Five things you should know if you eat fish cans

Posted in ALIMENTAÇÃO, MUNDO, VIVER com QUALIDADE by dibarbosa on 26 de abril de 2015

brazil_mwmexico_mwThe product is cooked, sterilized and placed in a sterile, airtight container alsolatas--644x362

Fish is a good source of protein, minerals and vitamins and its use is recommended in all stages of life, with a recommended 3 to 5 times a week in different formats and frequency culinary preparations. But often no time to go shopping, and turn to the alternative of canned fish. Are they healthy? Are they recommended? Suitable for all audiences? In the words of Dr. Javier Aranceta, “canned fish are safe products that play a role from a nutritional standpoint of comfort and healthy diet of all population groups and is an easy and quick way to enter the fish from day to day. ” “This finding is very relevant in the current context of society, especially considering that 6 out of 10 Spaniards recognizes that it should take more fish and most states do not eat what they should for lack of time or the cost of products, “he adds.

Canned and its relevance
“Fish and shellfish are a food group of great nutritional importance, relevant to cardiovascular health, cognitive, bone health and nutritional status,” recalls Dr. Aranceta. Essential nutrients that can be found in its different variants, he continues, are: “Proteins in tuna, bonito, cod, hake or sardines; fatty acids of marine origin in tuna, salmon, mackerel, mussels, sardines in oil; and polyunsaturated tuna in oil, pickled mussels, fresh tuna and sardines in oil. In fact, the best values ​​of Omega-3 EPA and DHA are in tuna, anchovies and mackerel. ” Regarding micronutrients intake concludes, “fish contains significant amounts of B vitamins, vitamin A and vitamin D, especially in fatty fish. It should also highlight the contributions of minerals such as iodine, calcium, phosphorus, potassium, zinc, magnesium and iron. “

Is it cool product from a can?
The canned canned food product is fresh. For fish canning is a product that has been cooked, sterilized and placed in a sterilized container also, durable and perfectly sealed airtight manner. It is a way of preserving food that represents several benefits, among which are: the non-use of preservatives, safety from a microbiological point of view, preservation of nutritional properties, without refrigeration and durability unaltered Product .
These are the doctor’s advice Aranceta in relation to consumption of canned fish:
-To Choose canned good quality and, once opened the can, store excess content in the refrigerator in a glass container
-The Cans should be stored in cool, dry places sheltered from heat and light. Older containers are positioned in the front row as first choice consumer
-Avoid Buy cans or containers with scratches, dings or dents
-Wash Cans prior to use if you plan to eat them directly and containers were not protected with cardboard boxes
-The Life of canned is 6 years for oil products and 4 years for natural products
-Desechar The cans for signs of rust on the edges appear, the can is bulging, foam appears in the can, or had poor appearance / aroma liquid inside

Tagged with: , , ,

Isolated indigenous in the Amazon have antibiotic-resistant microbes.

Posted in MUNDO, SAÚDE by dibarbosa on 21 de abril de 2015

Fonte: abril, 2015

Chinês Simplificado

HindiJaponêsRussoAlemãoFrancêsEspanhol

azl                                                                                                                                                              

The Yanomami indigenous people inhabiting the Venezuelan Amazon and has no external contact has its microbiome with the highest level of bacterial diversity and antibiotic resistance genes, which has never been registered in another group of human beings, according to a study by journal Science. The microbiome are bacteria and other microorganisms that inhabit the human body and progress.

“What do you suggest this finding is that with acculturation, humans lose the diversity of microorganisms by anti-bacterial practices such as antibiotics, cesarean delivery, soaps, or dental fluoride. Now we have to find out what are the missing bodies and what their functions, and to evaluate whether it would be useful to recover them, “he told EFE one of the researchers.
Scientists consider especially surprising that the microbiome of this indigenous group has genes resistant to antibiotics because they believe that the Yanomami have never been exposed to commercial antibiotics

“These disclosures supplement the evidence suggests that Westernization is associated with the loss of bacterial diversity, while suggesting that equipped to resist antibiotics genes may be a natural feature of the human microbiome,” the study said. Although there are now more scientific evidence that the microbiome plays an important role in human health function, there are few studies on how the composition of bacterial communities of human has changed as diet and lifestyle is widely adopted West in other parts of the world.

“The study of non-Western populations practices can help researchers to characterize the microbiomes most resemble those of our ancestors and understand the benefits of hosting an extensive microbial diversity,” say the researchers. Thousands of years later, the Yanomami continue to live a lifestyle partially nomadic hunter-gatherers in the Amazon jungle of Venezuela and Brazil. In 2008, a military helicopter saw a Yanomami village never before identified on maps, after a year, a medical mission landed there and got fecal samples, skin and buccal smear material, 34 people (aged 4 to 50 years ).

The smear is a scientific mechanism extended consisting of a drop of blood on the surface of a slide for later analysis with the microscope. Only one of the paper’s authors, Oscar Noya, visited the village of the Yanomami during sampling in 2009. The researchers analyzed the microbial DNA from these samples and found a significantly higher bacterial diversity, not only in comparison with a group of people of American origin but with samples from two groups that do not come from the West but with limited exposure to Western practices. Some of the bacteria present in higher levels in the Yanomami have been shown to have beneficial health effects, such as helping prevent the formation of kidney stones.

Despite not having had no documented exposure to commercial antibiotics, samples of feces containing E. coli Yanomami functional genes resistant to antibiotics, including those that offer resistance to synthetic drugs. Dominguez-Bello and his colleagues suggest that these genes may have originated from an exchange between human microbiota and bacteria on earth, where genes are resistant to antibiotics. “The results emphasize the value of characterizing the microbiome of people with styles ancentrales life before microbial diversity is lost. By doing so, you may find microbes therapeutic value for various immune disorders, “concludes estudio.

EFE

Beber cerveja deixa mais inteligente

Posted in ALIMENTAÇÃO, MUNDO, SAÚDE, VIVER com QUALIDADE by dibarbosa on 18 de abril de 2015

Cientistas da Universidade de Oregon (EUA) anunciaram que um composto encontrado no lúpulo, o principal ingrediente da cerveja, melhora as habilidades cognitivas do cérebro.

stella

Atenção, fãs de cerveja! De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Oregon (EUA), beber cerveja melhora a capacidade do cérebro e, assim, torna o consumidor mais inteligente. Mas como? Tudo se dá graças à presença do composto xanthohumol no lúpulo adicionado à bebida.

Depois de alimentar ratos com suplementos alimentares contendo este composto, os pesquisadores descobriram que suas memórias e habilidades cognitivas se tornavam muito melhores. E o efeito se torna particularmente evidente entre os jovens.

Até mesmo uma pesquisadora que é co-autora desta pesquisa, Kathy Magnusson, disse que é “importante começar cedo a consumir o lúpulo para que se obtenha todos os benefícios de uma dieta saudável”.

No entanto os resultados do estudo, que são bastante surpreendentes, não são ainda aplicáveis ​​aos seres humanos. A dosagem de xhanthohumol utilizada nos ratos foi muito alta. A única fonte de alimento para os seres humanos, que se pode considerar hoje, ainda continua sendo o próprio lúpulo de cerveja. Isso porque, de acordo com a cientista “…um ser humano deve beber 2.000 litros de cerveja por dia para alcançar os níveis utilizados em nossa pesquisa”.

5 formas de ficar rico da noite para o dia

Posted in ECONOMIA, MUNDO, OPINIÃO, PENSAMENTO by dibarbosa on 17 de abril de 2015

Atualizado em 28mai16

Uma ideia ao acaso pode valer uma fortuna e os casos a seguir demonstram isso.

Quem não sonha em ficar milionário da noite para o dia, ou até mesmo através do suor de seu trabalho? Acho que todos, né? Mas encontrar uma ideia para alavancar a conta bancária não é nada fácil. Que tipo de negócio ainda não foi inventado ou não tem muitos concorrentes? Difícil pensar sobre isso. Mas veja algumas ideias que deram certo surpreendendo seus promissores pensadores:

Ashley madsonAshley Madison, a rede social dos infiéis, é um serviço de encontros extraconjugais via web que exige que todos os seus usuários tenham um parceiro ou desejem ter um encontro com alguém que o tem. Curiosamente, o criador desta empresa bilionária é um ex-advogado bem casado. A empresa agora quer entrar na Bolsa de Valores graças a uma receita invejável de US$ 115 milhões no ano passado. A AM vale algo em torno de US$ 1 bilhão e conta, atualmente, com 36 milhões de membros em 46 países ao redor do mundo. No Brasil, o Ashley Madison possui mais de 2 milhões de usuários inscritos.

laser monks

Vamos falar da LaserMonks.com. Uma empresa de venda pela internet de cartuchos de tintas para impressoras que foi fundada por monges.  A ideia de originou-se com o padre McCoy no dia em que sua tinta para impressora acabou e ele não achou um preço razoável que merecesse ser pago. O religioso descobriu que o negócio das fábricas de impressoras era justamente as tintas. Resolveu fundar uma empresa que eliminasse o intermediário. Deu certo. Atualmente os monges da LaserMonks têm mais de 50 mil clientes e 200 a 300 solicitações diariamente.

fraser jam

Embora as novas tecnologias tornam as coisas muito mais fáceis, não pense que todos os caminhos para a fortuna está na internet. O jovem escocês Fraser Doherty começou a preparar geleia na cozinha de sua casa, seguindo a receita de sua avó. Ela tinha apenas 14 anos … e dois depois ele deixou a escola para se dedicar em tempo integral ao seu empreendimento. Atualmente controla cerca de 10% do mercado de geleias do Reino Unido e ganha mais de um milhão de dólares a cada doze meses. E tudo graças à boa mão de sua avó!                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                         

doggles

Também é surpreendente que os criadores de Doggles.com tenham começado a vida milionária com óculos de sol para cachorros. A ideia se tornou viral na época e, aproveitando a onda de popularidade,  seus donos aproveitaram para expandir o negócio e vender outros produtos ´para o melhor amigo do homem.

alex

Mas considerável mesmo foi a ideia de Alex Tew, um estudante britânico que criou um site com um painel de 1.000 x 1.000 pixels e vendeu cada pixel como espaço publicitário ao valor de um dólar. Ganhou mais de um milhão em 5 meses. A solução para arrecadar dinheiro para os estudos veio de uma brincadeira chamada “The Million Dollar Homepage”. Alex vendeu um milhão de pixels de seu espaço na tela do site para anunciantes. Anos depois, ele criou a sua própria startup, a PopJam, um chat que pode ser acessado por usuários do Facebook. Mas, agora ele quer criar o ‘verdadeiro’ Facebook com a ajuda dos usuários e do dinheiro deles. Um real ‘livro de rostos’ por US$ 3, com as pessoas mandando as fotos que usam em seu perfil do Facebook para imprimir um livro com os rostos quando o número chegar a um milhão.

Onda leva repórter na França

Posted in Imagens, MUNDO by dibarbosa on 22 de fevereiro de 2015

Uma apresentadora francesa sentiu na pele e em primeira mão que qualquer coisa pode acontecer ao vivo na televisão. Fanny Agostini foi gravar uma reportagem para a rede de notícias BFMTV em Saint-Malo, no noroeste da França, quando uma onda gigante derrubou-a violentamente. O momento dramático foi assistido por milhares de espectadores durante uma transmissão ao vivo sexta de manhã e capturado pelo câmera-man Alexis Saubois, que conseguiu ficar em pé.

http://www.dailymail.co.uk/embed/video/1161271.html

Suicídio Assistido é legal no Canadá

Posted in DIREITOS HUMANOS, MUNDO, SAÚDE by dibarbosa on 7 de fevereiro de 2015

CIDADÃO CANADENSE JÁ PODE SE SUICIDAR

htzfm.com suicidio assistidoO Tribunal Supremo do Canadá decidiu legalizar o Suicídio Assistido, ou seja, os médicos do país podem ajudar na morte de pacientes em estado terminal. O prazo para que as autoridades apliquem as emendas nas leis é de um ano.

Toronto, Canada, 06 de fevereiro de 2015

A decisão dá meia volta em outra decisão que o mesmo tribunal tomou em 1993 quando impediu a morte de uma paciente, Sue Rodriguez, na época internada em estado terminal quando solicitava que lhe tirassem a vida.
Nove Juízes do Tribunal Supremo Canadense, máxima autoridade judicial do país, votaram em favor da reversão da decisão de 1993 e firmaram, de forma conjunta, a resolução. Especialistas em assuntos legais do país consideram a nova emenda uma atitude incomum.
Os Juízes explicaram com sua decisão que não estão de acordo com o fato de que a formulação existencial de direito à vida requer absoluta proibição à morte assistida ou que os indivíduos não possam renunciar ao seu direito à vida em casos extremos de sofrimento.
Isso criaria um ‘dever de viver’ ao invés de um ‘direito à vida’ e questionaria a legalidade de qualquer consentimento à retirada ou negação de tratamentos para salvar vidas ou manter a vida”, disse o representante do Tribunal Supremo.
A revisão da proibição ao Suicídio Assistido por médicos é consequência das demandas apresentadas por duas mulheres, Kathleen Carty e Gloria Taylor, que sofriam de enfermidades crônicas degenerativas.
Carter morreu em 2010 em uma clínica suíça que já praticava suicídios assistidos, ao passo que Taylor faleceu em 2012 devido a uma infecção. Porém, antes de morrer, ambas recorreram aos tribunais, o que deu início ao processo judicial que terminou na data desta matéria. 

Fonte: EFE

 
 

Religião e Terrorismo

Posted in HISTÓRIA, MUNDO, OPINIÃO, PENSAMENTO, POLÍTICA, RELIGIÃO by dibarbosa on 1 de fevereiro de 2015

 ENTENDA O QUE ESTÁ ACONTECENDO NO MUNDO?

facebook-redondotwitter-redondogoogle+

 

Minoria deslocada da seita Yazidi foge da violência das forças do estado islâmico na região em torno das montanhas de Sinjar, Iraque (Foto: Reuters)

Minoria deslocada da seita Yazidi foge da violência das forças do estado islâmico na região em torno das montanhas de Sinjar, Iraque (Foto: Reuters)

Os principais conflitos do final do século XX e do início do novo milênio têm um fundo religioso. Tornou-se claro em Paris, com o assassinato dos cartunistas e outros por fundamentalistas islâmicos. Como a religião entra nessa?

Não sem razão, Samuel P. Huntington escreveu em seu famoso livro O Choque de Civilizações: “No mundo moderno, a religião é uma força central, talvez a força central que motiva e mobiliza as pessoas … o que em última análise representa pessoas não é uma ideologia política ou de interesse econômico, mas as pessoas se identificam com crenças religiosas, familiares e credos. Por estas coisas, lutam e estão dispostas a dar sua vida.” (1997, p.79). Uma clara crítica à política externa dos EUA por nunca ter dado a devida importância ao fator religioso, considerado algo passado e superado. Grande erro. Religiosidade é o substrato dos mais graves conflitos que estamos vivendo. Gostemos ou não, apesar do processo de secularização e da ocultação do sagrado, grande parte da humanidade é guiada por religiosos, judeus, cristãos, muçulmanos, xintoístas, budistas e outras muitas.

Isso já foi dito por Christopher Dawson, o grande historiador Inglês de culturas: “… as grandes religiões são os alicerces sobre os quais repousam as civilizações.” (Dynamics of World History, 1957, p.128). As religiões são o point d’honneur de uma cultura, porque através do projeto de seus grandes sonhos, desenvolvem-se as suas opiniões éticas, conferem-se um sentido à história e tem-se sempre uma palavra a dizer sobre os objetivos finais da vida e do universo. A cultura moderna não produziu nenhuma religião. Um substituto idólatra foi adotado pela população, como o progresso sem fim, o consumo ilimitado, a acumulação sem limites e outros. O resultado foi denunciado por Nietzsche quando proclamou a morte de Deus. Não que Ele tenha morrido. Mas ele quis dizer que Deus não era mais referência para os valores fundamentais que dão uma maior coesão entre os homens. Os efeitos disso vêm em uma escala dimensional a nível planetário: a humanidade sem rumo, a solidão excruciante e a sensação de falta de raízes sem que saibamos onde a história nos levará.

Se quisermos a paz neste mundo, precisamos recuperar o sentido do sagrado, a dimensão espiritual da vida que se destaca nas origens das religiões. Na verdade, mais importante do que a religião é a espiritualidade que se apresenta como a dimensão humana mais aprofundada. Mas a esta se manifesta mesmo sob a forma de religiões cujo significado é nutrir, sustentar e permear a vida com espiritualidade. Mas nem sempre isso é executado pois quase todas as religiões são institucionalizadas tendo entrado em algum jogo do poder e hierarquias, o que pode gerar formas patológicas. Tudo o que é saudável pode ficar doente. Mas exatamente medimos as religiões e as pessoas com tudo o que é saudável, e não pelo que é patológico. E aí vemos que se desempenham um papel insubstituível: a tentativa de dar um sentido último à vida e oferecer uma imagem de esperança à história.

Acontece que hoje o fundamentalismo e o terrorismo, que são patologias religiosas, se tornaram importantes. Em grande parte, devido ao processo devastador da globalização (na verdade é a ocidentalização do mundo) que passa sobre as diferenças, destrói identidades e impõe-lhes hábitos estranhos. Normalmente, quando isso acontece, as pessoas se apegam a essas entidades que passam a ser os guardiões de suas identidades. As religiões mantêm as suas memórias e as concentram em símbolos. Por exemplo, no Iraque e no Afeganistão milhares de vítimas se sentem invadidas e se refugiam na religião como uma forma de resistência. Portanto, a questão não é religiosa. É a política antes de usar a religião para se defender. A invasão gera raiva e desejo de vingança. O fundamentalismo e do terrorismo encontram, nesse complexo de questões, seu nicho de origem. Daí os ataques de terror.

Como superar este impasse civilizatório? É essencial vivermos a ética da hospitalidade, colocarmo-nos à disposição do diálogo e aprender com o diferente ativando nossa tolerância e sendo mais humanos. As religiões precisam reconhecer que há outras religiões também. Precisam dialogar e buscar uma convergência mínima que lhes permita viver juntas e em paz. Antes de tudo, é importante reconhecer o pluralismo religioso, de fato e de direito. A pluralidade é derivada de uma compreensão correta de Deus. Nenhuma religião pode querer abranger o Mistério, a Fonte Original de todo ser ou qualquer outro nome que se queira dar à Suprema Realidade nas malhas de seus discursos e rituais. Se fosse assim, Deus seria apenas um pedaço do mundo, apenas um ídolo. Ele está sempre lá e sempre acima. Assim, haverá espaço para outras expressões e outras formas de celebrar que não seja exclusivamente através de uma religião determinada.

Os primeiros onze capítulos do Gênesis contêm uma grande lição. Eles não falam de Israel como o povo escolhido. Se faz referência a todos os povos da Terra como o grande povo de Deus. Sobre eles, se eleva o arco-íris da aliança divina. Esta mensagem nos lembra, sobretudo hoje em dia, que todos os povos, com suas religiões e tradições, são povos de Deus, todos vivem na Terra, jardim de Deus e formam a única Espécie HUmana composta de muitas famílias com sias tradições, culturas e religiões.

(*) Leonardo Boff é Teólogo.

De volta, Anderson Silva bate Nick Diaz no UFC 183

Posted in BRASIL, ESPORTES, EUA, MUNDO by dibarbosa on 1 de fevereiro de 2015

013115-UFC-back-in-business-2-LN-PI.vresize.1200.675.high.48Por THE ASSOCIATED PRESS 01 DE FEVEREIRO DE 2015

O SPIDER ESTÁ DE VOLTA!

LAS VEGAS Talvez Anderson Silva não seja mais o mesmo Spider. Após 13 meses fora com uma perna quebrada, uma vitória confortável sobre o oponente insultor foi o suficiente para fazê-lo cair em lágrimas. Silva ganhou por decisão unânime em sua luta de retorno sábado à noite, derrotando Nick Diaz no UFC 183.

Silva (34-6) desferiu a maioria dos golpes contra Diaz controlando uma luta que ocorreu coincidentemente no MGM Grand Garden Octagon, mesmo lugar onde ele quebrou sua perna com um chute no joelho do campeão dos médios Chris Weidman em dezembro de 2013. Depois de meses de reabilitação e treinamento, Anderson Silva, 39, ainda não se parece com o velho campeão que deteve o cinturão de 185 libras por sete anos que ganhou o apelido por sua capacidade atlética incomparável . No entanto, ele não teve muita dificuldade para deter Diaz (27-10-1), que não pôde usar sua ofensiva consistentemente .

“Obrigado Deus por me dar mais uma chance”, disse Silva. “Este é um momento muito importante para mim. Eu passei por muito sofrimento no ano passado. Pensei que eu não seria capaz de voltar.” Silva chorou de alívio quando a decisão foi anunciada. Em uma luta que mostrou muita arte, às vezes Diaz atormentava Silva com gestos cada vez mais elaborados, e ao mesmo tempo desafiava-o para a briga. “Eu senti como se estivesse em vantagem na maior parte do tempo”, disse Diaz.”Eu não sei como ele ganhou. Todos os rounds eram meus … mas esses juízes, eles não gostam de minha atitude fora do ringue.”

“Eu vou voltar para a minha família, a minha casa, falar com os meus filhos”, disse Silva, quando questionado sobre o seu futuro. Ele havia ganhado 10 títulos ao longo de sete anos se tornando o campeão mais dominante do UFC, até Weidman detê-lo em julho de 2013. Sua revanche terminou com a perna quebrada de forma grotesca e necessitou de cirurgia antes que pudesse voltar. No entanto, ele nunca vacilou publicamente em sua determinação para voltar à luta, mesmo que fosse contra os desejos de sua esposa e cinco filhos. Ele voltou a treinar no ano passado depois de aceitar essa luta com Diaz, o ex-campeão dos médios do Strikeforce.

Embora ambos os lutadores sejam conhecidos por suas palhaçadas, além de suas habilidades, poucos previram o primeiro round. Diaz esperou 20 segundos para atacar Silva e acertá-lo. Ele, então, estendido sobre a tela, ficou imóvel, e ficou apoiado por todo o caminho de volta até a cerca com um encolher de ombros. Silva entrou em ação com uma série de golpes no final do primeiro round, enquanto Diaz ficava, gradualmente, mais sério. O Campeão meio-pesado Jon Jones levantou-se no meio da multidão quando Silva voltou ao seu banquinho, exortando-o a respirar profundamente.

Diaz manteve suas palhaçadas no segundo round e Spider mostrou aumento da confiança em seus chutes. Manteve a ofensiva e Diaz, suas provocações nas três rodadas finais. Diaz abriu o quinto round agachando-se e dizendo: “Vamos lá, um golpe ” e Anderson se manteve circulando. Centenas de fãs brasileiros de Anderson Silva embalaram Las Vegas com um show à parte elevando cânticos em língua portuguesa ao longo da noite.

Marco Archer executado e imortalizado em filme?

Posted in BRASIL, CINEMA, FACEBOOK, INTERNET, MUNDO, OPINIÃO, PENSAMENTO by dibarbosa on 30 de janeiro de 2015

Marco Pena de MorteUma publicação no facebook está recebendo milhares de curtidas e compartilhamentos. O assunto é Marco Archer (foto) que foi condenado à pena de morte e executado na Indonésia. A matéria incentiva o pensamento popular ao repúdio à ideia de transformar sua vida em filme. Discordo! Tem que transformar em filme sim e direi por quê. Mas antes direi que as opiniões seguem duas vertentes. Uns acharam bem feito. Outros, que Archer merecia uma segunda chance. Quanto a isso não opinarei, mas tão somente com relação à protagonização de sua história. Quem ainda não conhece as peripécias do traficante deveria ter este conhecimento. Em um resumo breve, citado também por Théa Moreira (em seu momento de fama) num texto de Vanessa Corsant, o executado tinha origem de família influente relacionada até mesmo à Fernando Collor de Mello. Segundo a ‘colunista social’ em sua resenha, Marco Archer, que foi campeão de asa delta na Colômbia aos 17 anos, descobriu um jeito fácil de ficar rico, lá mesmo no vizinho difamado, e nunca mais parou de ‘voar’ pelo mundo carregando a droga de seu equipamento, até que o vento mudou de direção e a (c)asa caiu. Enfim, o texto enfatiza a falta de sensibilidade do homem que entrou para a história como o primeiro brasileiro a ser condenado e a morrer à partir da legislação de outro país, falando de suas várias chances desperdiçadas de se redimir e adotar outro curso para si mesmo. 

Agora, quero dizer uma coisa importante: quem trabalha com a informação sabe geri-la com base no intelecto humano através da ordenação de palavras bem encaixadas em uma frase ou texto, o que é capaz de incentivar ou desestimular um pensamento; formar uma opinião. As curtidas para a confecção literária lá na rede social mereceram, também, o meu aplauso, mas tão somente pela construção de um texto interessante, o qual conduziu o leitor, muito limitadamente, à mera ação impulsiva de dar um ‘like’ notadamente abaixo de qualquer suspeita, e não pela ideia originada à partir dele. Creio que Vanessa conseguiu simpatizantes relâmpago, daqueles que vivem somente em redes sociais e não se aprofundam no teor. Sou a favor do filme, sim, e não se trata de imortalizar um criminoso como a mocinha esculpiu na imaginação facebookiana dos despreparados devoradores de compartilhamentos; comedores de letras do mundo analfabeto a que estamos sendo conduzidos. Marco Archer, o primeiro brasileiro executado pela pena de morte alheia, será imortalizado justamente por sua própria morte, e jamais por sua vida glamourosa, afinal o epílogo que todos conhecemos não foi feliz e é justamente à esta moral da história que estou me referindo. A produção cinematográfica seria benéfica e impactaria a sociedade de uma maneira inédita à partir destes fatos reais que o mundo conheceu recentemente.  

A opressão aliada contra o povo alemão no pós-guerra

Posted in MUNDO by dibarbosa on 19 de janeiro de 2015
nazis--644x450

WIKIMEDIA Soldados alemães na Frente Oriental (1942)

Logo após a vitória na Segunda Grande Guerra, os aliados criaram questionários absurdos para caçar nazistas escondidos entre os cidadãos alemães. Eles desgastaram a população da Alemanha com perguntas sem sentido. Muitos morreram de fome sem ajuda de provisões, a arte foi saqueada e as mulheres estupradas.

MANUEL P. VILLATORO 19/01/2015

Em Maio de 1945, após batalhas na África, Europa e Ásia, os aliados conseguiram entrar em Berlin levando a Alemanha a se render incondicionalmente. Dias antes, os comandantes da coalizão receberam uma grande notícia: o Führer preferira meter uma bala de sua Luger na cabeça a ter que enfrentar soldados soviéticos com sede de vingança por todas as humilhações causadas pelos nazistas. Eram momentos de alegria para britânicos, americanos, russos e para a maior parte dos alemães subjugados por Adolf Hitler e suas mentiras, quando foram finalmente libertados.
Ao menos, era o que pensávamos até hoje a respeito da libertação do povo alemão, mas a realidade foi outra: os aliados que ocuparam a Alemanha submeteram sua população a uma pressão insuportável com o fim de desnazificar os civis. Criaram questionários absurdos e repetitivos para saber se alguém era ou não seguidor de Hitler. Além disso, muitos cidadãos alemães sofreram represálias de americanos e russos. Durante anos eles se vangloriaram de ter interrompido o abastecimento de alimentos de vários locais, o que foi agravado pela situação econômica de uma população arrasada pelo conflito. A fome severa dizimou uma grande parcela dos cidadãos alemães.

O patrimônio cultural também sofreu perdas de alto valor pois centenas de obras de arte alemãs foram roubadas e transportadas para os Estados Unidos e a União Soviética com o fim de serem exibidas como troféu numa demonstração orgulhosa da vitória sobre um antigo e perigoso regime que ceifou a vida de milhões de inocentes. E o pior de tudo: na ocupação aliada, soviéticos estupraram mulheres alemãs após a queda de Berlim. Essa violência sexual foi o que mais chamou a atenção por sua barbárie, desnecessária em tempos de guerra ou de paz. O abuso contra os fracos é incompreensível. Parece que o mal convive com o bem em qualquer situação.

Mas qual o motivo dessas humilhações terem sido permitidas em silêncio pelo povo alemão de uma forma amplamente passiva? Só há uma resposta: um complexo de culpa coletiva abateu os ânimos da sociedade alemã, pois Hitler não chegou ao poder através da violência, mas pelo consentimento popular através das urnas . Havia uma sensação generalizada de ter criado o monstro que o mundo conheceu. Isso permitiu que muitas cidades alemãs fossem destruídas , como Dresden – que foi arrasada pelos aliados na sua quase totalidade – e as pessoas permaneceram completamente mudas. Essa vergonha sentidad no âmago de cada alemão foi a verdadeira responsável pela “desnazificação” da Alemanha .

Como foi o processo de “desnazificação”? Os americanos elaboraram, sob o comando e a aprovação de Roosevelt, um plano para acabar com a ideologia nazista. A estratégia foi baseada principalmente na directiva JCS 1067 – Junta de Chefes de Estado -que dava, aos Estados Unidos, plenos poderes no judiciário, legislativo e executivo da Alemanha ocupada. Mais tarde foi modificada para impor uma paz punitiva, derrubando para reconstruir, e ajudando os alemães apenas quando necessário para prevenir doenças ou distúrbios. Isso foi o que faltava para gerar uma abordagem desumana dos americanos. Os americanos estabeleceram que desmilitarizariam, desnazificariam e eliminariam os recursos econômicos da Alemanha para impedir que um evento como a Segunda Guerra Mundial acontecesse novamente. Para os EUA, o povo alemão era culpado pelo surgimento do nazismo na Europa. A JCS, com base nos pontos de vista, entre outros, de Henry Morgenthau – o secretário do Tesouro dos Estados Unidos – recomendou: “Deve ficar claro para os alemães que a ofensiva implacável e a resistência nazista com todo o fanatismo destruíram a economia alemã transformando-se em caos e sofrimento inevitáveis e que não poderiam fugir dessa responsabilidade. A Alemanha não será ocupada com a finalidade de libertação, mas como uma nação inimiga derrotada”.

Assim, com a ideia de buscar vingança mais do que regenerar e ajudar o povo a esquecer Hitler, os Estados Unidos começaram sua “desnazificação”. O primeiro passo foi encontrar e processar qualquer um que tivesse algo a ver com o regime nazista. Isso foi muito árduo a princípio. No entanto, vários especialistas no país ofereceram aos comandantes militares fórmulas mágicas para executar esta tarefa alegando que, através delas, eles podiam distinguir nazistas como grãos em meio à palha por meio de um teste denominado “Fragebogen”. Era um documento contendo um questionário com dezenas de perguntas estranhas, sutis ou não, em que acreditavam que acabariam por revelar os seguidores do Führer. Foram impressos não menos que treze milhões de formulários, os quais foram direcionados aos alemães que tiveram um passado obscuro ou que estavam à procura de emprego. Um alemão não poderia ser entregue a uma vida normal enquanto o seu questionário não estivesse devidamente preenchido, entregue e verificado. Até então, ele estava em uma espécie de purgatório que o deixava fora da lei. Todos eram tratados como possíveis nazistas e tinham que enfrentar uma espécie de Inquisição até o momento de se libertar do “Fragebogen”. Não preenchê-lo poderia significar perder o emprego ou os cupons do racionamento de alimentos organizado pelos americanos, absolutamente necessários para a economia alemã diminuída daqueles tempos. Por outro lado, se o “candidato a civil” alemão fosse declarado suspeito ele poderia ser enviado como prisioneiro de guerra aos novos campos estabelecidos pelos libertadores.
O Fragebogen consistia de 12 páginas entre 133 e 150 perguntas (dependendo da fonte histórica). Caso fosse encontrado algum suspeito de participação nazista ele recebia a seguinte mensagem: “A falsa informação resultará em uma ação processual pelos tribunais do governo militar”. Mas os norte-americanos não sabiam se que o que eles estavam respondendo era verdade, mesmo assim isso funcionava para instilar o medo. Entre suas primeiras linhas, o “Fragebogen” incluia perguntas absurdas como o número da conta bancária e CEP do entrevistado, a cor de seus olhos , o peso ou sua religião. Os aliados também queriam saber, por exemplo, se o bombardeio havia afetado a saúde, o trabalho ou o sono do entrevistado, além de informações sobre companhias de seguros, esgoto e energia. Outras perguntas curiosas eram : “Você esperava a vitória alemã?”, “Você descende de família da aristocracia alemã?”, “Apoiou a ascensão de Adolf Hitler ao poder votando nele em 1932?” Muitos sentiram o quão absurda era esta pergunta do voto porque era mais fácil mentir.

Depois de determinar que os alemães eram culpados por ter impulsionado Hitler ao governo e tê-lo seguido em tempos de guerra, os norte-americanos estabeleceram a necessidade de punir. Assim começou uma campanha para boicotar os suprimentos e ocasionar fome, ignorando todos os pedidos da Cruz Vermelha e do resto do mundo para impedir que o povo alemão morresse. Sir Bernard Montgomery insistiu que nenhum alimento fosse enviado da Grã-Bretanha. A fome era um castigo . Montgomery passou a dizer que três quartos dos alemães ainda eram nazistas , mas não revelou a fonte de sua informação. Os alemães só podiam culpar a si mesmos, e deveriam ocupar o último lugar na fila. Para os americanos, a fome era uma punição justa.

Somente através da intervenção de alguns intelectuais judeus, como Victor Gollancz, um pouco de comida chegou finalmente à Alemanha. Ele conseguiu mobilizar a sociedade depois de fazer um estudo que concluiu que eram necessárias 2.650 calorias para sobreviver fazendo trabalho físico, ao passo que os alemães comeram em março de 1946 apenas entre 1200 e 1500 na área do país controlada por os britânicos, 950 na dos franceses e 1.270 na dos EUA. Os alemães tiveram que recorrer a todos os tipos de “receitas originais” para sobreviver. “Os ratos e sapos , junto com os caracóis , compunham as sopas que enchiam suas barrigas . O cavalo era um prato relativamente comum. Mas o “Fragebogen” e a fome não eram a única retaliação dos exércitos aliados da Alemanha. Na verdade, eles aproveitaram cada minuto de sua estadia para saquear e roubar tudo o que podiam. O maior saque ocorreu no mundo das artes, com americanos e soviéticos levando para seus respectivos países tudo o que era digno de ser apreciado por seus cidadãos.

Mas como é possível que tudo isso tenha acontecido na Alemanha? Quando as pessoas começaram a ver o fim do Reich dos mil anos, começaram a tomar conhecimento da existência de campos de concentração. Daí começou a nascer essa culpa. Perceber que a pessoa em quem você votou e continuou a seguir seus apelos foi responsável pela morte de seis milhões de judeus é um peso enorme. Portanto, a vingança aliada foi aceita e entendida como um flagelo merecido, com estupros, assassinatos e internamento de alemães inocentes em campos de concentração.

Milhões de pessoas no mundo lotam espaços públicos em homenagem às vítimas de Charlie Hebdo

Posted in MUNDO by dibarbosa on 11 de janeiro de 2015

Mujica propôs invasão de mulheres argentinas às Ilhas Malvinas

Posted in HISTÓRIA, MUNDO by dibarbosa on 1 de dezembro de 2014

Última atualização: 28out2015, 11:25GMT

O ex-presidente do Uruguai, José Mujica, famoso por liberar a maconha naquele país, certa vez propôs à Cristina Kirchner, presidente da Argentina, que utilizasse suas mulheres para tirar as Ilhas Malvinas da soberania britânica em uma estratégia denominada por ele como Invasão com cobertores.

Mujica KirchnerDe acordo com Mujica, a questão¹ da soberania do Reino Unido sobre as Ilhas Malvinas deveria ser resolvida com mulheres argentinas cruzando com nativos Malvinenses em uma invasão feminina em massa que, segundo o presidente, teria cobertores, colchões e almofadas. Para completar sua ideia ele ainda disse que, depois de tudo, a presidenta Cristina Kirchner deveria abrir as portas da Argentina para que os habitantes britânicos das ilhas fossem lá bater um futebolzinho. José Mujica acredita que, após algum tempo, as mulheres que se casassem com os britânicos que vivem lá, se reproduziriam e gradativamente modificariam o biotipo e a cultura de seus habitantes, o que facilitaria a retomada da soberania perdida em 1833. MalvinasApós tais declarações sugestivas, muitas pessoas acreditam que Mujica teve este pensamento inédito baseado nas últimas transformações comerciais internas ocorridas no Uruguai.


¹As Ilhas Malvinas já foram alvo de uma tentativa de recuperação no ano de 1982 em uma guerra que durou 42 dias. Denominadas de Falklands pelos britânicos, as ilhas pertencem ao Reino Unido desde 1833, desde quando passaram a ser reivindicadas pela Argentina devido à sua localização ge
ograficamente englobadas na plataforma continental sul-americana. 

 

Chaves para o céu

Posted in HUMOR, MUNDO, TV by dibarbosa on 30 de novembro de 2014

chavo_america_1979_arkivperuCHESPIRITO EM 2008“Foi sem querer querendo”. Talvez não haja quem não atribua esta frase ao seu autor. Há 41 anos a TV mexicana lançava CHAVES*. Foram 7 anos de produção, de 1973 a 1980, da série televisiva que popularizou seu criador e intérprete Roberto Gómez Bolaños, falecido aos 85 anos no México em 28 de novembro de 2014. Mas muita gente desconhece que esse nome tão popular não tem nada a ver com a criação de Bolaños. O título em espanhol EL CHAVO DE OCHO *recebeu outro nome para apresentação no Brasil, como conhecemos, pois o original, em uma tradução mais abrasileirada, ficaria O MENINO DE OITO, sem muito impacto para o exigente e disperso público de tamanho território brasileiro. Regionalmente, a exemplo do Rio de Janeiro, seu significado poderia perfeitamente ser MOLEQUE DE OITO, o que para Curitiba não traria bons resultados de interpretação. Moleque, na capital paranaense, pode ter uma conotação, dependendo do contexto, de pessoa irresponsável. Lá, o programa poderia, perfeitamente, ser entitulado PIÁ DE OITO. Isso porque Chavo é uma gíria que significa rapaz entre a infância inicial e a adolescência. Mesmo lá no México, bem como nos países de língua espanhola, Chaves era o Chespirito, apelido com o qual o ator ficou conhecido ao longo de sua carreira. Chespirito recebeu, por fim, as chaves para o céu.GIF CURTIR PAGINA NO FACEBOOK

Sogra de Will Smith, 61 anos, aparenta 35

Posted in CINEMA, EUA, FACEBOOK, Imagens, INTERNET, MUNDO, SAÚDE by dibarbosa on 30 de novembro de 2014

Brasileiros pediram intervenção dos EUA contra o PT de Dilma e Lula

Posted in BRASIL, ELEIÇÕES 2014, EUA, MUNDO, OPINIÃO, POLÍTICA, PROTESTOS NO BRASIL, VERGONHA DE SER BRASILEIRO by dibarbosa on 3 de novembro de 2014

O INÍCIO: COMO SURGIU A IDEIA DO GOLPE 2016
Da série infinita
 Vergonha de Ser Brasileiro
Petição online em site da Casa Branca pediu que EUA intercedesse na “expansão comunista bolivariana no Brasil”
Brasileiros pediram ajuda a Barack Obama contra o PT

Um site da Casa Branca, que oferece um espaço para que o cidadão se manifeste acerca de vários temas, registrou uma petição inédita em toda sua existência no ar.

Em 28 de outubro de 2014, alguns brasileiros resolveram pedir ajuda a Barack Obama contra Dilma e o PT de Lula para que fosse evitada uma “expansão comunista na América Latina”. Veja abaixo:

petição site casa branca

O site do governo dos Estados Unidos, no entanto, alegou que poderia se recusar a agir em resposta a qualquer petição com o fim de evitar que aparentemente estivesse sofrendo alguma influência. A petição, hoje removida da página, reproduzia-se como segue:

 Em 26 de outubro, Dilma Rousseff foi reeleita, e continuará com o plano de seu partido em estabelecer um regime comunista no Brasil – o modelo bolivariano proposto pelo Foro de São Paulo. Nós sabemos que aos olhos da comunidade internacional, a eleição foi totalmente democrática, mas as urnas de votação utilizadas não são confiáveis, sem contar com o fato que as cabeças do Judiciário são em sua maioria membros do partido vencedor. As políticas sociais também influenciaram a escolha para presidente e as pessoas foram ameaçadas de perderem seu subsídio para comida se eles não reelegessem Dilma. Nós pedimos por uma posição da Casa Branca em relação à expansão comunista na América Latina. O Brasil não quer e não será uma nova Venezuela e os EUA precisam ajudar os promotores da democracia e da liberdade no Brasil”.  

O efeito:

Após alguns blogs, inicialmente, divulgarem sobre eleitores denunciando uma suposta fraude nas urnas eletrônicas das eleições 2014, desencadeou-se um grande descontentamento com o resultado das eleições presidenciais que reelegeu Dilma Rousseff (PT) e abateu Aécio Neves (PSDB) por uma diferença de aproximadamente 3,5 milhões de votos. A partir daí, iniciou-se o “terceiro turno” em campanhas que dividiram o país ao meio entre acusações de um noticiário falso, o que culminou com várias manifestações independentes, como foram os casos ocorridos na avenida Paulista em São Paulo, SP, a menos de uma semana após a apuração pelo TSE. No dia 1 de novembro, quase 2,5 mil pessoas compareceram, convocadas pela rede social Facebook, para exigir o impeachment da presidenta. Ela já tinha uma petição no site Avaaz desde junho de 2013 contando com mais de 1,8 milhão de assinantes. O país foi tomado por pessoas que ddiziam e publicavam coisas sem a menor responsabilidade. Até o cantor Lobão, em sua decadência moral e psicológica, omprometeu sua imagem e a imagem do PSDB. Na ocasião, ele disse que se Dilma ganhasse sairia do país. As pessoas não podem ser impedidas de falar porque é uma democracia, por isso devemos utilizar o discernimento inteligente que favoreça a seleção das melhores idéias. Nos EUA, com a democracia sendo o motor do congresso, obviamente Mister Barack Obama e todo o pessoal da Casa Branca deve ter dado boas gargalhadas com nossa crise moral. A petição foi mantida democraticamente por algum tempo e o mundo inteiro conferiu e morreu de rir, o que causou e causa, em muita gente aqui, uma grande vergonha de ser brasileiro.

 

72 virgens para cada jihadista no céu

Posted in MUNDO, NEWS, RELIGIÃO by dibarbosa on 28 de outubro de 2014

   última atualização em 14/11/2015 virgens no céu 

É esse o número de donzelas que homens fiéis ao Islã receberão. Já as mulheres serão ofertadas com um especial e único homem com o qual se sentirão saciadas.  Tanta devoção tem o sexo como principal objetivo espiritual.

estadoislâmicoUm paraíso muito especial está reservado para o pós-morte de quem deu sua vida por Alá nas lutas do jihad na guerra santa. Esta promessa explica, em parte, o êxito do recrutamento de radicais por parte do Estado Islâmico nos círculos mais fundamentalistas do mundo muçulmano, bem como o caráter de sua ofensiva militar no Iraque. Os combatentes do EI não temem a morte porque muitos estão convencidos do Éden que os aguarda sob a insignia negra do autoproclamado califado.

islamic-heavenDesde o século X até os nossos dias, a doutrina tradicional de grande parte dos eruditos muçulmanos tem como ponto de partida o fato de que Deus abençoará de um modo muito especial os mártires do jihad com sete sinais ou recompensas. Uma destas recompensas será a concessão, aos varões, de 72 donzelas virgens. As mulheres, em troca, receberão, no paraíso, um só homem, com o qual estarão completamente satisfeitas.

livrosEm diversas coleções de hadith – citações do profeta Maomé por seus discípulos – a figura das virgens, denominadas houris, entregues como recompensa aos justos tem um perfil sensual e até mesmo erótico. Seus autores fundamentam suas promessas em textos do Alcorão. Uma citação muito conhecida descreve o caráter voluptuoso das houris: “Certamente, para os justos, haverá um cumprimento dos desejos do coração com jardins circundados por vinhas e mulheres voluptuosas da mesma idade“. Alcorão, 78: 31-33). Outra surata do Alcorão enfatiza sua condição de virgem (Alcorão 55: 72-74). Enfim, mais uma surata destaca seus grandes e amorosos olhos da face (Alcorão 44: 54). Diferentemente da interpretação posterior dada pelo hadith, o Alcorão não especifica o número de donzelas que cada varão fiel receberá no céu nem limita essa recompensa aos combatentes do jihad, porém não deixa dúvidas quanto à entrega de muitas esposas virgens.

exegetaAlguns exegetas ocidentais, que temem que esta característica do islamismo dificulte o diálogo entre as civilizações, optam por uma versão metafórica da presença das virgens junto aos varões que chegam ao paraíso. Ademais, eles assinalam que em toda a iconografia cristã também são representadas asas e harpas no céu junto a santos. Porém, as escrituras sagradas são claras. Nelas não cabe nenhuma ambiguidade sobre o caráter exclusivamente espiritual da vida após a morte, e la felicidad en el más allá, “…pois na ressurreição nem se casam nem se dão em casamento, mas serão como anjos no céu…“(Mateus 22:30).

Nascidos na laje.

Posted in AMBIENTALISMO, MUNDO, OPINIÃO, SUSTENTABILIDADE, VIDA URBANA, VIVER com QUALIDADE by dibarbosa on 28 de outubro de 2014

Aqui está uma excelente definição do perfil do site UrbsMagna na visão de uma das maiores blogueiras do planeta, a cubana Yoani Sánchez.

Geração Y em Português

YOANI SÁNCHEZ, La Habana | 28/10/2014

Fotograma de Madagascar(1994) filme dirigido por Fernando Pérez

Há cidades que tem uma vida subterrânea. Urbes com uma realidade que literalmente acontece sob o solo. Metrôs, túneis e porões… A vitória humana de ter conquistado centímetros da pedra. Havana não, Havana é uma cidade de superfície, pouco subterrânea. Contudo, sobre os tetos das casas, nos lajes mais impensáveis, levantaram casinhas, banheiros, cercados de porcos e gaiolas de pomba. Como se por cima dos tetos tudo fosse possível, inalcançável.

Ignácio tem a antena parabólica sobre a laje de um vizinho, está escondida sob uma parreira que dá uvas raquíticas e ácidas. A poucos metros alguém fez uma gaiola para prender cães de briga, que durante o dia buscam a sombra sedentos e chateados. Do outro lado da rua vários membros de uma família quebraram o muro que os ligava ao teto de uma velha oficina estatal. Fizeram sobre o local abandonado um terraço e um quarto…

Ver o post original 118 mais palavras

Chainsaw Massacre Prank: o vídeo mais brutal já visto na internet

Posted in FOTOGRAFIA, HUMOR, Imagens, INTERNET, MUNDO by dibarbosa on 23 de outubro de 2014

 FUJA DO ESQUARTEJADOR DA MOTOSSERRA

PRANKNick Santonastasso tem apenas um membro, o que fez com que ele resolvesse tentar ganhar a vida de uma forma inusitada. Sabemos de muitas histórias de pessoas com deficiência que se recusam a ter uma vida “comum” deixando suas limitações detê-los. Por outro lado, ocasionalmente vemos deficientes enchendo nossos corações de alegria justamente pelo esforço para ter uma vida paralela à nossa. Mas essa não é uma daquelas histórias. Isso á ainda melhor. Nick Santonastasso nasceu sem pernas e com apenas um braço. Então o que ele decidiu fazer? Fazer uma “pegadinha” onde um louco munido com uma motosserra o persegue implacavelmente e o retalha todo diante de pessoas inocentes. É assustador até mesmo para quem sabe que o vídeo é uma brincadeira. O vídeo, que teve seu upload realizado há oito dias atrás, já alcançou a marca de 28.488.349 visualizações até o momento desta postagem. Assista também:

facebook-redondo

Ebola é comparável à Peste Negra podendo se tornar a maior pandemia da história, mas mundo ainda não se organizou para detê-lo.

Posted in MUNDO, SAÚDE by dibarbosa on 13 de outubro de 2014

A letalidade do ebola. Saiba de tudo

Posted in MUNDO, SAÚDE by dibarbosa on 9 de outubro de 2014
facebook-redondogoogle+twitter-redondoespanholalemãoinglêsfrancêsrusso

OU PARAMOS O EBOLA AGORA OU ENFRENTAREMOS UMA SITUAÇÃO SEM PRECEDENTES 

Última atualização em 16 de outubro de 2014 às 13:42h de Brasília

2014-10-14T201348Z_346275543_GM1EAAF0BMA01_RTRMADP_3_USA-UN-EBOLAHomem Ebola AgoniaO atual surto de ebola surgido em 2013 na África Ocidental segue se estendendo pela Guiné, Serra Leoa, Libéria, Nigéria, Senegal e começou a atingir países fora do Continente Africano como os EUA e Espanha e continua totalmente fora de controle, como revelaram inicialmente os Médicos Sem Fronteiras que alertaram para a necessidade de mais e mais recursos e donativos. Tanto que em 16 de outubro o Conselho de Segurança das Nações Unidas pediu o aumento da ajuda financeira dos Estados-Membros para enfrentar a epidemia de ebola, considerada a questão de saúde mais grave da atualidade. Após isso, até Fidel Castro ofereceu ajuda médica -considerada a mais desenvolvida do planeta – aos Estados Unidos em carta publicada no jornal cubano Granma. Até agora foram registradas oficialmente quase 4500 mortes e quase 9000 casos (um surto paralelo no Congo registrou 62 casos com 35 mortes), mas estes números podem estar muito aquém da realidade devido às dificuldades de mapeamento das regiões onde o ebola predomina. Um grande problema para o controle do vírus nas regiões africanas é que muitos dos infectados se encontram em lugares de difícil acesso; em comunidades completamente sem estrutura básica de vida. Por este motivo, estima-se que até o final deste ano 10000 pessoas por semana serão contaminadas com o ebola. A situação é tão grave que alguns países e empresários começam a anunciar a doação de valores para ajudar no combate ao vírus ebola, como é o caso do fundador do Facebook que doou 25 milhões de dólares ao governo dos EUA para este fim. A China anunciou que já doou até agora 234 milhões de Yuans (aproximadamente 94 milhões de Reais). Fora dos limites da África foram registrados três casos nos EUA e outro na Espanha. No primeiro país, outra enfermeira foi infectada no segundo caso confirmado de contaminação que foi noticiado pela BBC News da região em 15 de Outubro. Trata-se de outra profissional de saúde que sentiu febre e foi imediatamente isolada tendo sido comprovado, em testes que deram positivo, que ela também contraiu o vírus do ebola como a primeira enfermeira a se contaminar e que também trabalhava no centro hospitalar Texas Health Presbyterian (Dallas). As duas faziam parte da equipe que acompanhava o tratamento de um liberiano chamado Thomas Eric Duncan, o qual estava internado desde 28 de Setembro e que veio a falecer em 4 de Outubro. Foi nos EUA onde ocorreu o primeiro caso de contaminação fora da África e após o contágio da profissional de saúde, Barack Obama anunciou falha grave no protocolo americano prometendo mais rigor nos cuidados com o vírus. A OMS, que trabalha em parceria com outras entidades humanitárias, aconselhou, desde o início do surto, a não viajar para os países citados. A colômbia, em 15 de outubro, impediu o desembarque de passageiros que vieram das áreas africanas com ebola. Isso é legal, pois desde 08 de agosto foi decretado um estado de emergência sanitária internacional. Ainda não há vacina ou medicamento que possa combater o ebola. Por este motivo, desde 11 de agosto, a ONU autorizou o uso de medicamentos experimentais, mesmo que não se conheça exatamente seus efeitos, após o que, dada a gravidade da situação, iniciaram-se aplicações dos soros ZMapp e TKM. Em pronunciamentos recentes e cada vez mais frequentes ante ao que pode se tornar uma pandemia global comparada à Peste Negra ocorrida na Idade Média, Margaret Chan, diretora-geral da OMS, disse que todo este descontrole prova que o mundo, com toda a sua busca por poder e dinheiro, está “mal preparado para responder a uma emergência“, além de condenar as indústrias farmacêuticas do mundo inteiro por sua falta de empenho e interesse em “mercados que não podem pagar”.

AGONIA E MORTE COM O VÍRUS EBOLA – O vírus do ebola foi descoberto em 1976 e é um filovirus (em latim significa filiforme – compridos e finos) que tem letalidade de até 90%. O outro vírus deste gênero é o vírus Marburgo e ambos causam febre e hemorragias. É revestido por uma lipoproteína derivada da célula hospedeira, uma membrana lipoprotéica com alongamentos em forma de espinhos. Penetra nas células por ligação de uma glicoproteína, que existe na superfície deste, a receptores membranares da célula. Uma vez efetuada a ligação, o vírus penetra, com facilidade, na célula passando a controlar o processo de tradução, obtendo desse modo, as estruturas necessárias à sua proliferação. Sem a proteção proteica o vírus é inofensivo e não é infeccioso.  Depois que o vírus entra na célula, através de uma mecanismo desconhecido, dá-se início ao processo de replicação que dura cerca de 8 horas. O ebola tem um grau de patogenia de nível 4 (superior ao do HIV que é de nível 2) e o período de incubação do vírus varia entre 2 a 21 dias. Os sinais dos primeiros sintomas podem aparecer entre quatro a quarenta dias depois da exposição ao vírus. Os estádios iniciais do Ébola HF, têm sido frequentemente confundidos com os de outras doenças, como a Malária e Febre Amarela, pois os sintomas não são específicos desta doença. As primeiras células afetadas são as macrófagas e, consequentemente dá-se a supressão da resposta imunitária. O vírus replica-se e posteriormente ataca os tecidos epiteliais no sistema vascular, causando danos no pericárdio e vasos sanguíneos. Os primeiros sintomas começam com intensas dores de cabeça que serão frequentes ao longo do desenvolvimento da infecção, acompanhado de mau estar, fadiga, dor de garganta, dor de costas, vômitos, náuseas, diarreia, conjuntivite, artrites e até estado de coma. Ainda nesta fase aparecem manchas vermelhas na face, o que indica tratar-se de um paciente hemorrágico. Após uma semana, o paciente desenvolve uma efervescência hemorrágica, isto é, começa a sangrar das membranas mucosas, tal como dos olhos, nariz, boca e ânus. O seu comportamento também se modifica, passando a ser mais pacífico com períodos alternados de irritabilidade e falta de memória acompanhadas de cegueira, dor no peito e depressão. As transfusões de sangue num paciente neste estado são difíceis de executar, pois o sangue não consegue coagular o que torna difícil de parar a hemorragia. A replicação viral continua, assim como a febre hemorrágica, que simultaneamente se desenvolve. O vírus vai destruindo o revestimento dos vasos sanguíneos, daí o elevado sangramento.  Os órgãos mais afetados são os rins, fígado e os órgãos sexuais que acabam por ser destruídos, assim como os músculos e ligamentos. O córtex é liquidificado e uma hemorragia inicial provoca a ação dos fatores coagulantes resultando na coagulação dos órgãos. Os tecidos ficam isentos de sangue provocando a sua morte e liquidificação. Já num estado avançado, o paciente começa a sangrar violentamente através dos vômitos e diarreia caracterizando-se assim, como vômito preto devido às manchas pretas que aparecem no sangue como causa do progresso da doença, as vias intestinais são liquidificadas e eliminadas com o sangue. E finalmente o paciente morre com a grande perda de volume de sangue provocando um choque terminal.  O vírus ebola é transmitido, na espécie humana, pelo contato direto com sangue, secreções, órgãos ou sêmen de pessoas infectadas. A transmissão através do sêmen pode ocorrer várias semanas após a recuperação clínica, como acontece com o vírus Marburg.  A transmissão nosocomial (hospitalar) através do contacto com fluídos corporais infectados via percutânea, pela reutilização de seringas, agulhas ou outro equipamento médico contaminado com estes fluídos, foi também um importante fator de transmissão da doença. No entanto, nos grandes surtos a transmissão pessoa-a-pessoa é predominante e o contacto físico com pessoas doentes, contribui com a maioria dos episódios de contaminação – durante os surtos epidêmicos no Sudão e Congo. Este modo de transmissão terá contribuído com taxas de reincidência (surtos secundários) de 10 a 20%, devido aos muitos contatos entre doentes e seus membros familiares. 

A HISTÓRIA DO VÍRUS EBOLA – O primeiro filovírus foi isolado em 1967, quando um grupo de trabalhadores de laboratório na Alemanha e na Jugoslávia desenvolveram febre hemorrágica enquanto analisavam tecidos de macacos pertencentes à espécie Cercopithecus aethiops provenientes de Uganda e aparentemente saudáveis. Ocorreram 31 casos de doença e 7 mortes associados a estes surtos. O vírus foi designado de Marburg, Alemanha, de acordo com o local de ocorrência destes surtos epidêmicos. O outro vírus do gênero Filovirus – vírus ebola, foi identificado pela primeira vez numa província da região equatorial oeste do Sudão e numa região próxima do Zaire (atualmente República Democrática do Congo) em 1976, após epidemias significativas no Yambuku, norte do Zaire, Nzara e sul do Sudão. Estes surtos envolveram duas estirpes diferentes do vírus Ébola, como ficou provado, designadas, tal como no caso do vírus Marburg, de acordo com a nação em que foram isoladas – estirpes Zaire e Sudão. Ambas as formas dos vírus são altamente letais, uma vez que aproximadamente 90% dos casos do Zaire e cerca de 50% dos casos do Sudão resultaram em mortes: das 284 pessoas infectadas no Sudão, entre Junho e Novembro de 1976, 117 resultaram em mortes, tendo ocorrido no Zaire 318 casos de infecção e 280 mortes, entre Setembro e Outubro do mesmo ano. Um caso isolado ocorreu no Zaire em 1977 e um segundo surto epidêmico no Sudão em 1979. Em 1989 e 1990 uma nova estirpe do filovírus ebola (ebola Reston (EBO-R), foi isolada em macacos mantidos em quarentena, em laboratórios em Reston (Virginia), Alice (Texas) e na Pensilvânia. Estes macacos haviam sido importados para os EUA das Filipinas, onde em 1989, se registaram casos de infecção, numa zona de quarentena para macacos pertencentes à espécie Macacca fascicularis. Destas infecções resultaram algumas mortes entre os macacos e, pelo menos quatro casos de humanos infectados foram registados, embora nenhum tenha sofrido de doença clínica grave. No ano de 1995 uma larga epidemia ocorreu em Kikwit, no Zaire, com 315 casos, 244 dos quais tiveram morte. Em 1994-95 um caso humano de EHF (ebola com febre hemorrágica) e vários casos em chimpanzés foram confirmados na Costa do Marfim, onde se isolou um novo subtipo do vírus. No Gabão, a EHF foi pela primeira vez documentada em 1994, tendo ocorrido surtos epidêmicos entre Fevereiro e Julho de 1996. De acordo com a mesma fonte, não foram relatados quaisquer outros casos de infecções pelo vírus ebola até a ocorrência de um novo surto em 2000, em Gulu, no norte do Uganda. A investigação dos casos que ocorreram entre os surtos epidêmicos do ebola de 1976, no Zaire (RDC) e no Sudão e, o surto de 1995 no Kikwit (RDC), permitiu retirar algumas conclusões acerca dos modos de transmissão, embora não tenha permitido quantificar o risco independente de cada tipo de exposição associado a atividades específicas, como partilhar refeições, contacto físico com os doentes, contacto com fluídos corporais infectados, práticas fúnebres ou dispersão pelo ar, uma vez que estas exposições ocorriam muitas vezes em simultâneo. Os casos de infecção primária corresponderam aos indivíduos que tiveram o contacto primário com o vírus, ou seja, os primeiros a serem infectados, podendo ou não ser conhecida a fonte de infecção, enquanto que a infecção secundária diz respeito aos indivíduos que foram infectados a partir dos primeiros, através de contatos vários. De facto, na maioria das famílias africanas eram os familiares das pessoas doentes, sobretudo os membros femininos, os responsáveis por cuidar dos pacientes, quer em casa quer no hospital, pelo que o contacto direto com a pessoa infectada, terá sido o mais importante fator de risco para a transmissão secundária aos membros da família. O ebola tem sido recolhido em elevada concentração a partir de urina e sangue de primatas não humanos, pelo que é esperado que esteja igualmente presente em excreções e nos vômitos. Experiências com outros agentes infecciosos, torna plausível este potencial modo de transmissão, por analogia com outros patogênicos que se transmitem por via fecal-oral, como é o caso de Shingella dysenteriae ou do vírus da hepatite A. Uma intrigante explicação para o papel do contacto direto na transmissão é o facto de o vírus ser excretado no suor, hipótese que é suportada por biópsias à pele de humanos, obtidas durante o surto epidêmico de Kikwit (1995), que mostrou evidências de antigene para o vírus ebola, em várias estruturas cutâneas incluindo glândulas do suor. A viremia em infecções experimentais em macacos rhesus com vírus ebola cresce dramaticamente nos estágios tardios da doença, atingindo concentrações de 106-107 partículas/mL de sangue. Esta elevada concentração viral em doentes terminais, em conjunto com o aumento de diarreia e de vômitos e hemorragias, provavelmente explica o aumento do risco para os membros familiares expostos aos estágios tardios da doença. No entanto, a exposição a pacientes em estágios precoces da doença não pode ser descurada. Este aspecto tem importância em termos de saúde pública (medidas de controlo e prevenção), uma vez que pessoas que apresentem um quadro de sintomas menos marcado, podem constituir risco, por exemplo, como transmissores da doença. Relativamente à transmissão aérea, a ocorrência em 1989 de um surto em macacos, em Reston, Virginia, que não partilhavam jaulas nem estavam nas mesmas divisões e que, ficaram infectados com o subtipo Reston, levantou a hipótese da transmissão por aerossóis, portanto aérea. Em laboratório estes vírus mostraram alguma capacidade de infecção através de pequenas partículas aerossóis, em macacos Rhesus, infectados experimentalmente, não tendo sido, no entanto, a dispersão pelo ar, claramente demonstrada entre humanos. Nos surtos do Congo e do Sudão, foram registados poucos casos de infecção sem exposição direta a outros casos, o que sugere que se existir transmissão pelo ar entre humanos, esta terá tido um papel menor, se algum, nesses casos ocorridos. Estes dados devem, pois, alertar-nos para a necessidade de novas medidas de precaução, contra a possibilidade de contaminações aéreas em futuros surtos epidêmicos. A transmissão do vírus ebola aos humanos ocorre também pelo contacto com chimpanzés, doentes ou mesmo mortos, como ficou documentado na Costa do Marfim e no Gabão. Em Novembro de 1994, na Costa do Marfim, um novo subtipo de ebola foi isolado de um paciente febril – uma investigadora que estudava o comportamento de uma comunidade de chimpanzés livres, e que realizou a autópsia de um deles, sem utilização das barreiras básicas de proteção – bata, máscara e luvas de látex, pelo que terá sido altamente provável que ela tenha sido contaminada pelo contacto como o sangue do chimpanzé nas suas mãos ou, por salpicos no seu rosto. Este é assim, o primeiro caso de ebola com febre hemorrágica relatado na África Ocidental e o primeiro caso documentado de infecção humana associada à infecção natural de primatas não humanos. As doenças causadas por filovírus são zoonoses, na medida em que são transmitidas para os humanos a partir de ciclos que se desenvolvem em animais. Os primatas em cativeiro sofrem uma infecção tão grave como a dos humanos e sabe-se que os macacos selvagens também não possuem anticorpos para o vírus. O reservatório natural do vírus ebola parece residir nas florestas de África e da Ásia, no entanto, as suas origens permanecem indeterminadas, pelo que, diferentes hipóteses têm sido sugeridas para explicar a origem dos surtos epidêmicos do Ebola. O facto de primatas não humanos terem sido a fonte de infecção de humanos, não os permitiu considerar como reservatório, uma vez que eles são infectados, tal como os humanos, diretamente do reservatório natural ou através de uma cadeia de transmissão a partir do reservatório natural. Assim, inicialmente suspeitou-se de roedores, como no caso da febre de Lassa, cujo reservatório é um roedor selvagem do gênero Mastomys. Uma outra hipótese sugeria referia que um vírus de uma planta podia ter causado a infecção em vertebrados. Por outro lado, em laboratório demonstrou-se que, em morcegos experimentalmente infectados com o vírus ebola, este conseguia replicar-se mas os animais não morriam. Este dado parece sugerir que certas espécies de morcegos podem desempenhar um papel na manutenção destes agentes infecciosos nas florestas tropicais, de onde são nativos, podendo mesmo funcionar como vectores da doença. Permanece, no entanto, desconhecido o modo como o vírus é transmitido do reservatório natural para os humanos, num surto ou em casos isolados. Uma vez infectado, a transmissão humano-humano é o meio pelo qual surgem as futuras infecções. Mais especificamente, a transmissão envolve um contacto de perto entre o indivíduo infectado ou os seus fluídos corporais e o outro indivíduo são. Durante os surtos epidêmicos de febre hemorrágica causada por filovírus, as pessoas que cuidaram (alimentaram, lavaram, medicaram) ou que tenham trabalhado muito de perto com indivíduos infectados estiveram particularmente em risco de ficarem infectados. A mortalidade na população humana causada pelos filovírus pode ser superior a 90%. O caso de infecção reportado na Costa do Marfim mostrou a importância de um único caso isolado, como ameaça à saúde pública – as travessias aéreas permitem aos vírus viajar de um continente para outro em poucas horas. A epidemia ocorrida em Kikwit, na RDC em 1995, mostrou que o EBO e outros vírus letais podem matar pessoas durante meses antes que o surto epidêmico e o seu agente infeccioso possam ser identificados. Assim, é urgente que se melhore quer a vigilância nacional quer a capacidade dos laboratórios dispersos pelo mundo, para diagnosticar estas doenças emergentes. Diagnosticar o ebola HF em um indivíduo quando este foi infectado recentemente, torna-se difícil uma vez que os primeiros sintomas não são específicos desta doença e, por isso, frequentes. Mas se alguém apresenta uma variedade de sintomas e há suspeitas de infecção com o vírus do ebola, deverão ser feitos os estudos laboratoriais necessários o mais rapidamente possível. Deve então, ser feito um exame ao sangue tal como é efetuado em caso de malária e, se o paciente também apresentar diarreia juntamente com sangue, é necessário providenciar uma cultura de fezes para posterior análise. Durante a viremia, o diagnóstico pode ser feito pela observação de partículas virais ao microscópio eletrônico, a partir dos fluídos biológicos.O método de diagnóstico mais fácil e mais utilizado tem sido a imunofluorescência indireta, para detectar o vírus em tecidos infectados ou anticorpos antifilovírus, radiação gama. Os métodos que poderão ser utilizados para a diagnose do ebola HF que apresente alguns dias de sintomas, são o PCR (polymerase chain reaction) para detectar o RNA viral, isolamento de vírus, ELISA (antigen-capture enzime-linked immunosorbent assay) para detectar o antigene específico e material biológico suspeito e, IgG ELISA. Já num caso mais avançado, poderão ser utilizados testes para anticorpos IgM e IgG e, poderá também ser diagnosticada retrospectivamente em doentes já falecidos usando testes imunohistoquímicos de material, formalizado, fixado e tratado pela parafina, tem sido igualmente outro método usado na pesquisa do antigênio viral, isolamento de vírus ou PCR. A recuperação total poderá levar um mês ou mais e os doentes terão perdido peso, tido amnésia e estado acamados durante este período. Contudo, a recuperação não significa que o paciente estará totalmente curado e, sem capacidade de contagiar outros.

TRATAMENTO E PREVENÇÃO – Durante os surtos epidêmicos o isolamento de pacientes e o uso de roupas protetoras e o emprego dos procedimentos de desinfecção, designados em conjunto, por precauções da febre hemorrágica viral (VHF) ou barreiras de enfermagem, têm vindo a ser suficientes para interromper transmissões posteriores dos vírus Marburg e ebola e, assim, controlar o fim dos surtos. Devido ao facto de não existir ainda um tratamento efetivo das febres hemorrágicas causadas pelos filovírus, a prevenção da transmissão, pela aplicação das medidas de prevenção e de isolamento das VHF, é correntemente a peça  central do controlo dos filovírus. O único tratamento possível é o sintomático, contudo, ultimamente tem-se procurado evitar este método por se ter encontrado um elevado número de humanos e de símios reagindo positivamente sem que, no entanto, apresentem sinais ou sintomas da doença.Tem sido ensaiada a ribavirina e o interferão humano sem resultados positivos. Plasma humano de convalescente foi também aplicado, no entanto sem grande sucesso. Os grandes surtos humanos terminaram abruptamente, coincidentemente com a implantação das medidas de controlo, como o uso de luvas durante o contacto com os pacientes e os cadáveres. Por outro lado, quando é minimizado o contacto entre pessoas infectadas e não infectadas, o número de novas infecções em humanos, geralmente decresce. O facto de as barreiras terem revelado eficácia na prevenção da doença, demostra o papel dos fluídos corporais e do contacto físico na manutenção da transmissão, pelo menos no ambiente hospitalar. Em outros surtos epidêmicos que ocorram em países mais desenvolvidos, ou em que as práticas universais de precaução hospitalar sejam cuidadosamente respeitadas, a quantificação do risco e dos modos de transmissão predominantes na doença, serão diferentes dos encontrados no surto epidêmico do Kikwit em 1995. Esta observações implica que o uso de barreira de precaução pelos membros familiares e as medidas universais standard dos hospitais poderiam ter prevenido a maioria das infecções e de mortes por EHF no Kikwit. Não existe um tratamento modelo para o Ébola HF. Actualmente, os pacientes recebem um tratamento geral, o qual consiste na estabilização dos fluídos e electrólitos dos mesmos, mantendo a oxigenação e a pressão sanguínea e, tratando-os para qualquer implicação infecciosa que, eventualmente, possa surgir. No entanto, as actuais terapias químicas têm pouco ou nenhum efeito na paragem da doença. A coagulação vascular, choques, edemas cerebrais, falhas nos rins e hipertensão, criam vários problemas a este tratamento. Mesmo em testes efetuados em laboratório, a imunização não tem sido bem sucedida e, a inoculação em testes animais com proteínas virais ou vírus inativos, não tem sido capaz de estimular o sistema imunitário para a proteção contra o vírus. Durante o surto em Kikwit, 8 pacientes receberam sangue de indivíduos que já tinham estado infectados e que recuperaram. Curiosamente, 7 dos 8 pacientes sobreviveram. Contudo, a eficácia do tratamento permanece desconhecida, o que poderá dever-se à dimensão do estudo efetuado, uma vez que foi reduzida, devido às características dos doentes, pois eram relativamente novos e, por isso, este estudo não foi conclusivo. Em 1996, os cientistas iniciaram experiências com esteroides como uma possível ajuda para a recuperação de doentes com ebola HF. Utilizaram o desenvolvimento de antissoros que retiraram a partir de cavalos e conseguiram testes positivos em babuínos. Anticorpos monoclonais a partir da medula e antissoros de sobreviventes do ebola parecem trazer alguma expectativa. Atualmente não existe ainda vacina para esta doença. O desconhecimento acerca da epidemiologia e, como tal, da história natural da doença, faz com que seja recomendado o isolamento absoluto do doente. As precauções universais e as barreiras de enfermagem são efetivas na prevenção de infecções cruzadas. Extensos estudos ecológicos estão a ser desenvolvidos na região da Costa do Marfim, para identificar o reservatório do vírus ebola, do mesmo modo que estão em curso outros estudos para identificar o reservatório do vírus Marburg, na República Democrática do Congo. Em África, ainda é reduzido o número de medidas primárias de prevenção estabelecidas, pois a identidade e a localização do reservatório natural do vírus do ebola permanecem desconhecidos. Se aparecem casos de doença declarada, as condições sociais e econômicas correntes favorecem a propagação de uma epidemia. Por isso, os responsáveis pelos cuidados de saúde, devem esta aptos a reconhecer um caso de ebola HF. Devem também ter a capacidade de elaborar testes diagnósticos e estar prontos a colocar em prática as devidas precauções, como técnicas de isolamento da febre hemorrágica viral e o impedimento de contágio. Estas técnicas incluem a utilização de vestuário de proteção, tal como máscaras, luvas, batas e outros; a utilização de medidas de controlo de infecções, incluindo equipamento completo de esterilização; e o isolamento de pacientes com ebola HF do contacto com pessoas não protegidas. O objectivo de todas estas técnicas é evitar o contacto das pessoas com o sangue e as secreções dos pacientes e se um doente morre, é igualmente importante que o contacto direto com o cadáver esteja protegido. Uma vez que o modo primário de transmissão humano-humano consiste no contacto com sangue, secreções ou fluídos corporais contaminados, qualquer pessoa que tenha tido contacto físico com os pacientes deve ser mantido em estreita vigilância, ou seja, a temperatura corporal deve ser observada duas vezes por dia, com imediata hospitalização e isolamento para temperaturas acima dos 38.3ºC. Os contactos casuais devem ser assim, postos em alerta pelo controlo da temperatura. A vigilância dos casos suspeitos deve continuar durante 3 semanas depois da data do último contacto. O pessoal hospitalar que tenha contactado de perto com pacientes ou materiais contaminados, sem barreira de protecção de enfermagem, deve ser considerado exposto a infecção e colocado sob vigilância. Em 1976 durante a epidemia no Zaire (RDC), todos os casos de infecção pelo vírus Ébola, cuja contaminação ocorreu por seringas e agulhas, morreram, tendo correspondido o encerramento do hospital de Yambuku, no Zaire, à mais importante medida de controlo do surto.

As crianças foram relativamente poupadas no surto epidêmico do Kikwit, como ocorreu tipicamente nos anteriores surtos de ebola e de outras febres hemorrágicas virais. Apenas 9% das pessoas que desenvolveram ebola HF no Kikwit, tinha idades inferiores a 17 anos e, relativamente a estes, os membros familiares adultos que contactavam com os doentes, estavam em risco adicional. Assim, parece possível que em adição ao facto de estarem menos expostas ao ebola, as crianças sejam menos susceptíveis de contraírem infecção ou doença severa. Este é um aspecto que necessita de investigação futura. Os cientistas deparam-se com a grande dificuldade de encontrar o vector viral, porque a úmida floresta africana compreende uma alta diversificação de formas de vida. Este seria o grande passo que permitiria encontrar a cura e prevenir a infecção. Tem-se verificado que na região de Mt. Elgon, a qual se situa entre o Uganda e o Quênia, 2% a 7% da população tem anticorpos para o ebola. Da população de outros primatas, 10% também tem anticorpos, o que significa que nesta região existe um alto nível de exposição ao vírus. Opostamente ao HIV, ou outro vírus de RNA, o ebola tem mostrado ter uma baixa taxa de mutações e de deriva genética, pois apresenta sequências genéticas altamente conservadas, o que poderá ser importante na pesquisa de vacinas e de medicamentos. No passado, a letalidade do vírus impedia a pesquisa em qualquer outro ambiente que não o de proteção de Nível 4. Com os avanços da tecnologia em DNA recombinante, as proteínas podem agora ser sintetizadas a partir de culturas bacterianas e estudadas sem perigo de infecção. Apesar de todas as dificuldades encontradas na pesquisa de uma cura ou de uma vacina, alguns avanços têm sido feitos, no entanto, faltam estudos mais eficazes e conclusivos.

8cc06aa947846dfc7071449392971fb5Copyright © 2014 UrbsMagna

Escócia: uma nação dividida

Posted in MUNDO, POLÍTICA by dibarbosa on 20 de setembro de 2014

APÓS DERROTA NO REFERENDO QUE DISSE NÃO À SUA INDEPENDÊNCIA DO REINO UNIDO, ESCÓCIA TEM SEQUELAScapture-20140920-043409

UK - Edinburgh - Scottish Independence Rally

Igreja escocesa apela para reconciliação dos dois lados e o “não” se queixa da pressão nacionalista.

Amizades foram desfeitas. Pessoas, insultadas. Propriedades, danificadas por vandalismo. Hoje, a Escócia é uma nação dividida como jamais havia sido. A coisa ficou tão séria que até um famoso jornal local publicou um apelo para que a população ficasse unida, mesmo diante destas divergências políticas existentes em cada cidadão. Mas os ativistas do “sim” ainda ameaçam e tentam intimidar em uma situação que fugiu ao controle de seus mentores. Nas vésperas das votações que garantiram a vitória do “não” com 55% contra 45% do “sim”, os conservadores revelaram que se sentiram pressionados e intimidados pelos independentistas. Fizeram uma votação silenciosa, com medo de represálias pois queriam continuar no Reino Unido com sempre estiveram há mais de 300 anos juntamente com Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte. Até mesmo repórteres que cobriram as apurações foram ameaçados pelos manifestantes da independência. Mas, enfim, o “não” ganhou causando um alívio ao parlamento inglês. A Escócia, agora, investiga suspeita de fraudes e os incansáveis adeptos da liberdade prometem voltar em breve.

O gibão e a origem do câncer

Posted in ANIMAIS, MUNDO, SAÚDE by dibarbosa on 10 de setembro de 2014

GIBBONUm trabalho com este exótico e pequeno primata brindou a ciência com uma nova visão do genoma humano.

cover_natureA análise do genoma do gibão, um exótico e pequeno símio que habita os bosques tropicais do sudeste asiático, oferece aos cientistas novas pistas sobre a origem de algumas enfermidades humanas como o câncer. Uma investigação dirigida por pesquisadores da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon (OHSU), do Centro de Sequenciação do Genoma Humano do Colégio Baylor de Medicina, em Houston, Texas, e o Instituto do Genoma da Escola de Medicina da Universidade de Washington, conseguiu, pela primeira vez, completar a sequenciação (todos os cromossomos). Graças ao trabalho publicado na revista “Nature” onde participaram pesquisadores do Instituto de Biologia Evolutiva (CSIC-UPF) e do Centro Nacional de Análise Genômica (CNAG), se sabe agora por quê este curioso macaco tem uma rápida taxa de reordenações cromossômicas.

Os cromosomos, essencialmente os que contém a informação genética armazenada na sequencia de DNA, são fundamentais para a função celular e a transmissão da inormação genética de uma geração a outra. Sua estrutura e função estão também intimamente relacionada com as enfermidades genéticas humanas, especialmente o câncer. “Tudo o que aprendemos acerca da sequencia do genoma deste primata em particular e outros analisados no passado recente nos ajuda a compreender a biologia humana de uma maneira mais detalhada e completa”, explica o autor principal do informe, o doutor Jeffrey Rogers, professor associado no Centro de Sequenciação do Genoma Humano em Baylor. Ao seu juizo, “a sequencia do gibão representa um ramo de árvore evolutivo dos primatas que fecha a brecha entre os macacos do Velho Mundo e os grandes símios e que ainda não foram estudados desta maneira. A nova sequencia do genoma fornece dados importantes de seus reordenamentos cromossômicos únicos e rápidos”.

Durante anos, os especialistas sabiam que os cromossomos do gibão, junto com os outros símios (oragotangos, gorilas, chimpanzés e bonobos) os parentes mais próximos do ser humano, evoluíram rapidamente com muitas pausas reestruturadoras, mas até agora não havia explicação alguma, de acordo com Rogers. A sequencia do genoma, agora, ajuda a detalhar o mecanismo genético único dos gibões que resulta nestes reordenamentos de grande escala. O descobrimento também brinda a ciência com uma nova visão do genoma humano, levando-se em conta a similaridade genética entre macacos e humanos. “É o último símio a ser sequenciado e o fim de uma era genômica comparada”, afirma Tomás Marquès-Bonet. “Agora temos erramentas – os genomas – para todas as espécies mais próximas aos seres humanos”, acrescentou. 

A sequenciação oi realizado pelo doutor Kim Worley, proessor do Centro de Sequenciação do Genoma Humano, e Rogers, ambos de Baylor, e os doutores Wesley Warren e Richard Wilson, da Universidade de Washington. A análise foi dirigida por Lucia Carbone, professora assistente de Neurociência do Comportamento na Escola de Medicina de OHSU e cientista assistente na Divisão de Neurociências do Centro Nacional de Investigação de Primatas da OHSU. “Fazemos este trabalho para aprender toda possibilidade acerca dos gibões, que são algumas das espécies mais raras do planeta”, afirma Carbone. “Mas também fazemos este trabalho para compreender melhor nossa própria evolução e obter algumas pistas sobre a orígem das enermidades humanas”, acrescentou.

Os cromossomos têm um papel essencial na construção do DNA, segundo Worley. “HÁ 3.000 milhões de pares de bases de DNA em todas as células e se constituem em 23 pares de cromosomos”, complementa Worley, também autor principal do informe, acrescentando que quando há reordenamentos nos cromossomos, os genes e a regulação dos genes quien añade que cuando hay reordenamientos en los cromosomas, los genes y la regulación de genes muitas vezes se desintegram ou quebram. “O câncer é claramente o maior exemplo médico do impacto dos reordenamentos cromossômicos. A sequência do gibão nos dá uma visão mais clara deste processo – celebra Worley. Também há um número de outras enfermidades genéticas que resultam destes eventos. O número de reordenamentos cromossômicos nos gibões é notável. É como se o genoma simplesmente explodisse e logo se agrupasse – disse Rogers. Até pouco tempo era impossível determinar como um cromossomo humano podia estar alienado a qualquer cromossomo do gibão porque há muitos reordenamentos”.

O projeto de sequenciação revelou um novo e único elemento de repetição genética (segmentos de DNA que se produzem em múltiplas cópias no genoma) que se insere nos genes associados com a manutenção da estrutura da cormatina. Os elementos de repetição têm a capacidade de alterar um gene e trocar sua função biológica, segundo Worley. Nos gibões, a equipe identificou o LAVA, un novo elemento repetido que apareceu exclusivamente nos gibões e preferentemente golpeia os genes implicados na segregação dos cromossomos (um passo essencial na división celular, onde os cromossomos se correspondem com seus cromossomos homólogos similares). “A leitura do DNA do gibão é um marco no campo da sequenciação genética porque é uma espécie com características extraordinárias que nos darão chaves para entender as reorganizações genômicas e transladar esse conhecimento à prática clínica”, concluiu Ivo Gut, diretor do CNAG e co-autor do artigo.

Coréia do Norte deve à Suécia €300mi por 1.000 volvos roubados

Posted in GEOGRAFIA, HISTÓRIA, MUNDO by dibarbosa on 7 de setembro de 2014

Volvo Norte CoreanoOs veículos, os comunas ainda estão usando, foram encomendados há 40 anos e jamais foram pagos.

A maior dívida comercial da Coreia do Norte para o mundo ocidental é bizarra: 4 décadas atrás Kim Il-sung deu um golpe na Suécia em 1000 Volvos 144 sedan.

Tudo começou após o armistício coreano de 1953, quando a linha que divide o norte do sul cresceu mais firme, o que deixou outras fronteiras mais frágeis chamando a atenção de muitos países europeus neutros. A Cortina de Ferro subiu em uma parte totalmente nova. Um pequeno Estado efervescia marcado pela postura militar e sonhos de auto-suficiência graças a um superávit impressionante que registrava um crescimento econômico alucinante de 25%. A Suécia foi um dos primeiros países a aproveitar a oportunidade. Os laços de Estocolmo e Pyongyang no início de 1970 surgiram de uma rara convergência de interesses industriais e de esquerda: grupos socialistas locais queriam que a Suécia reconhecesse formalmente o novo Estado comunista, ao passo que empresários suecos queriam explorar a indústria de mineração nascente da região. Para Kim Il-sung e seus camaradas, a iniciativa ocidental representava um passo importante da Coréia do Norte como uma força global. E aquele regime tão impressionado com seu próprio logotipo começou a desenvolver gostos caros. “Dentro de um 144 GL você senta no couro”, dizia o marketing de 1970 que a Volvo enviou a seus compradores norte-coreanos. Juntamente com gigantes da indústria contemporânea como a Atlas Copco e a Kockums, a Volvo foi uma das primeiras empresas europeias a realizar uma incursão no mercado norte-coreano, o que prontamente lhe rendeu uma encomenda de 1.000 veículos, os primeiros dos quais foram entregues em 1974. Mas, menos de um ano depois, numa feira industrial sueco-coreano em Pyongyang, as relações empreendedoras começaram a dar sinais de que o regime de Kim não pagaria pelas mercadorias que importava – nem mesmo as máquinas que encomendara para tal evento. Então as contas foram acumulando, pois os exportadores perceberam que o empreendimento fora uma armadilha de incontáveis ​​horas gastas em laços diplomáticos e industriais. Os suecos, com sua sede de ampliar suas negociações, foram cegados pelo impressionante crescimento econômico da Coréia do Norte. Ajustada por juros e inflação, a dívida para com o Estado sueco já ultrapassa três bilhões de coroas suecas, ou € 300 milhões de Euros. Desde 2008, o regime norte-coreano considera a Suécia como uma nação mentirosa e manipulada pelos imperialistas dos EUA, mas a indignação não paga as contas. Antes de Kim Jong-un iniciar a elaboração de prospectos para parques aquáticos e bangalôs turísticos, como anunciou há alguns meses atrás, ele deve dar uma olhada na garagem do papai.

%d blogueiros gostam disto: