Urbs Magna

Wikileaks: Golpe tira Brasil do BRICS

Posted in BRASIL, BRICS, EUA, POLÍTICA by dibarbosa on 11 de junho de 2017

EUA quis nos afastar da China e TEMER foi informante

Julian Assange e imagem de Temer e Serra recepcionados por John Karry nos EUA

RELEMBRANDO:
Quando presidente, Dilma Rousseff, denunciou a espionagem da NSA contra o Brasil como “uma violação do direito internacional” em discurso da Assembléia Geral e propôs que a ONU estabelecesse diretrizes legais para impedir que o ciberespaço fosse usado como arma de guerra. John Kerry, na época Secretário de Estado do Governo Barack Obama, posteriormente apareceu em fotografia que confirmou a intimidade com os políticos brasileiros Michel Temer e José Serra (o boca de chupa ovo, segundo Janaína Paschoal).

Durante o governo de nossa ex-presidenta afastada, o fundador do Wikileaks, Julian Assange, disse que Temer forneceu informações estratégicas sobre o Brasil à embaixada norte-americana, em troca de apoio dos Estados Unidos ao golpe parlamentar de 2016. Entretanto, a Secretaria de Imprensa da Presidência da República afirmou que isso jamais aconteceu e que o pior presidente de nossa história (abaixo de 90%) jamais compareceu a nenhuma embaixada para tratar desses assuntos. Mas Assange insiste que Michel Temer teve reuniões privadas na embaixada americana onde entregou informações valiosas.

Hoje sabemos que o governo americano da época de Barack Obama, com John Kerry no cargo de secretário de Estado, apoiou três golpes recentes na América do Sul que foram, consecutivamente em Honduras, Paraguai e finalmente no Brasil. Por este motivo, Temer e Serra torceram por Hillary Clinton na disputa do ano passado.

Esquerdistas concluem que o apoio americano pode de fato ter ocorrido com o fim de ganhar a confiança do Brasil e ampliar a parceria econômica com os Estados Unidos, afastando nosso país da República Popular da China numa tentativa de frear sua ascenção como potência mundial. Além disso, muitas empresas estariam na lista entreguista de José Serra.

EUA e CUBA no caminho da abertura

Posted in EUA, MUNDO by dibarbosa on 20 de março de 2016

obamaApós 88 anos, enfim um presidente dos Estados Unidos visita Cuba novamente. Neste momento, Barack Obama está lá (20mar2016-18:00GMT). O último líder da potência a pisar em Havana foi Calvin Coolidge em 1928.

O povo cubano, desconfiado, teve que ser preparado antes. Afinal, desde 1961 um embargo econômico e outras restrições impostas pelos EUA, em detrimento do alinhamento de Cuba com a União Soviética durante a guerra fria, cortou completamente quaisquer relações amistosas entre seus povos transformando-os em inimigos.

Para isso, um ator cubano de nome Luis Silva, que interpreta o personagem Pánfilo em um programa humorístico da TV cubana, foi convocado para a produção de um vídeo que teve uma real participação do chefe de estado Barack Obama, o qual foi transmitido pela Cubavision com antecedência.

No programa entitulado “Vivil del Cuento”, que detém uma invejável audiência de 96%, Pánfilo conversou com o presidente dos Estados Unidos às vésperas de sua visita à Ilha, a qual havia sido tomada dos americanos por Fidel Castro e Che Guevara em 1959. O vídeo foi produzido pela TV Cubana e pela Casa Branca.

“BIN LADEN ESTÁ VIVO E PASSA BEM”, afirma EDWARD SNOWDEN

Posted in EUA, MUNDO, SNOWDEN by dibarbosa on 24 de novembro de 2015

LOGO-NOVO-URBSMAGNA-M-animfacebook-redondotwitter-redondogoogle+
osama

Segundo Edward Snowden, CIA mantém Bin Laden vivo

terça-feira, 24 de novembro de 2015 – 18:30 GMT

Moscou | Edward Snowden, famoso por denunciar a NSA – Agência de Segurança Nacional (dos EUA) – afirmou ter provas de que Osama bin Laden ainda está vivo.

Snowden, que vive como um fugitivo na Rússia por ter revelado documentos secretos sobre programas de vigilância da NSA, afirmou em entrevista ao Moscow Tribune que Bin Laden está tendo uma vida luxuosa nas Bahamas graças a pagamentos regulares da CIA.

“Tenho documentos mostrando que Bin Laden ainda está na folha de pagamento da CIA”, afirma Edward Snowden. “Ele ainda está recebendo mais de cem mil dólares mensais que estão sendo transferidos através de algumas empresas e organizações de fachada diretamente para sua conta bancária em Nassau (capital das Bahamas). Não estou certo de onde ele está agora mas em 2013 ele estava vivendo tranquilamente em sua casa de campo em um luxuoso subúrbio com cinco de suas esposas e muitos filhos.”

“Osama Bin Laden foi um dos operadores mais eficientes da CIA por um longo tempo”, afirma o famoso denunciante. “Eles organizaram sua morte falsa com a colaboração dos serviços secretos paquistaneses. Todo mundo acreditou que ele realmente foi morto naquela ocasião, por isso ninguém o procurou mais, assim ficou muito fácil para ele ‘desaparacer’ sem a barba e a jaqueta militar ficando irreconhecível”.

Snowden, por diversas vezes foi chamado controversamente de herói, denunciante, dissidente, patriota, e traidor por suas revelações de milhares de documentos das agências de espionagem NSA e CIA. Ele foi contratado pela primeira agência  em 2013 após deixar a Dell e a CIA. Mas em junho do mesmo ano, ele revelou milhares de documentos aos jornalistas.

O governo dos Estados Unidos apresentou acusações de espionagem contra ele pouco depois que suas revelações foram tornadas públicas. Ele tem vivido sob asilo em Moscou, depois de fugir os EUA por Hong Kong, na esteira dos vazamentos. Em 28 de julho de 2015, a Casa Branca rejeitou uma petição de quase 168 mil signatários que pediam seu perdão.

fonte: worldnewsdailyreport

De volta, Anderson Silva bate Nick Diaz no UFC 183

Posted in BRASIL, ESPORTES, EUA, MUNDO by dibarbosa on 1 de fevereiro de 2015

013115-UFC-back-in-business-2-LN-PI.vresize.1200.675.high.48Por THE ASSOCIATED PRESS 01 DE FEVEREIRO DE 2015

O SPIDER ESTÁ DE VOLTA!

LAS VEGAS Talvez Anderson Silva não seja mais o mesmo Spider. Após 13 meses fora com uma perna quebrada, uma vitória confortável sobre o oponente insultor foi o suficiente para fazê-lo cair em lágrimas. Silva ganhou por decisão unânime em sua luta de retorno sábado à noite, derrotando Nick Diaz no UFC 183.

Silva (34-6) desferiu a maioria dos golpes contra Diaz controlando uma luta que ocorreu coincidentemente no MGM Grand Garden Octagon, mesmo lugar onde ele quebrou sua perna com um chute no joelho do campeão dos médios Chris Weidman em dezembro de 2013. Depois de meses de reabilitação e treinamento, Anderson Silva, 39, ainda não se parece com o velho campeão que deteve o cinturão de 185 libras por sete anos que ganhou o apelido por sua capacidade atlética incomparável . No entanto, ele não teve muita dificuldade para deter Diaz (27-10-1), que não pôde usar sua ofensiva consistentemente .

“Obrigado Deus por me dar mais uma chance”, disse Silva. “Este é um momento muito importante para mim. Eu passei por muito sofrimento no ano passado. Pensei que eu não seria capaz de voltar.” Silva chorou de alívio quando a decisão foi anunciada. Em uma luta que mostrou muita arte, às vezes Diaz atormentava Silva com gestos cada vez mais elaborados, e ao mesmo tempo desafiava-o para a briga. “Eu senti como se estivesse em vantagem na maior parte do tempo”, disse Diaz.”Eu não sei como ele ganhou. Todos os rounds eram meus … mas esses juízes, eles não gostam de minha atitude fora do ringue.”

“Eu vou voltar para a minha família, a minha casa, falar com os meus filhos”, disse Silva, quando questionado sobre o seu futuro. Ele havia ganhado 10 títulos ao longo de sete anos se tornando o campeão mais dominante do UFC, até Weidman detê-lo em julho de 2013. Sua revanche terminou com a perna quebrada de forma grotesca e necessitou de cirurgia antes que pudesse voltar. No entanto, ele nunca vacilou publicamente em sua determinação para voltar à luta, mesmo que fosse contra os desejos de sua esposa e cinco filhos. Ele voltou a treinar no ano passado depois de aceitar essa luta com Diaz, o ex-campeão dos médios do Strikeforce.

Embora ambos os lutadores sejam conhecidos por suas palhaçadas, além de suas habilidades, poucos previram o primeiro round. Diaz esperou 20 segundos para atacar Silva e acertá-lo. Ele, então, estendido sobre a tela, ficou imóvel, e ficou apoiado por todo o caminho de volta até a cerca com um encolher de ombros. Silva entrou em ação com uma série de golpes no final do primeiro round, enquanto Diaz ficava, gradualmente, mais sério. O Campeão meio-pesado Jon Jones levantou-se no meio da multidão quando Silva voltou ao seu banquinho, exortando-o a respirar profundamente.

Diaz manteve suas palhaçadas no segundo round e Spider mostrou aumento da confiança em seus chutes. Manteve a ofensiva e Diaz, suas provocações nas três rodadas finais. Diaz abriu o quinto round agachando-se e dizendo: “Vamos lá, um golpe ” e Anderson se manteve circulando. Centenas de fãs brasileiros de Anderson Silva embalaram Las Vegas com um show à parte elevando cânticos em língua portuguesa ao longo da noite.

Sogra de Will Smith, 61 anos, aparenta 35

Posted in CINEMA, EUA, FACEBOOK, Imagens, INTERNET, MUNDO, SAÚDE by dibarbosa on 30 de novembro de 2014

Brasileiros pediram intervenção dos EUA contra o PT de Dilma e Lula

Posted in BRASIL, ELEIÇÕES 2014, EUA, MUNDO, OPINIÃO, POLÍTICA, PROTESTOS NO BRASIL, VERGONHA DE SER BRASILEIRO by dibarbosa on 3 de novembro de 2014

O INÍCIO: COMO SURGIU A IDEIA DO GOLPE 2016
Da série infinita
 Vergonha de Ser Brasileiro
Petição online em site da Casa Branca pediu que EUA intercedesse na “expansão comunista bolivariana no Brasil”
Brasileiros pediram ajuda a Barack Obama contra o PT

Um site da Casa Branca, que oferece um espaço para que o cidadão se manifeste acerca de vários temas, registrou uma petição inédita em toda sua existência no ar.

Em 28 de outubro de 2014, alguns brasileiros resolveram pedir ajuda a Barack Obama contra Dilma e o PT de Lula para que fosse evitada uma “expansão comunista na América Latina”. Veja abaixo:

petição site casa branca

O site do governo dos Estados Unidos, no entanto, alegou que poderia se recusar a agir em resposta a qualquer petição com o fim de evitar que aparentemente estivesse sofrendo alguma influência. A petição, hoje removida da página, reproduzia-se como segue:

 Em 26 de outubro, Dilma Rousseff foi reeleita, e continuará com o plano de seu partido em estabelecer um regime comunista no Brasil – o modelo bolivariano proposto pelo Foro de São Paulo. Nós sabemos que aos olhos da comunidade internacional, a eleição foi totalmente democrática, mas as urnas de votação utilizadas não são confiáveis, sem contar com o fato que as cabeças do Judiciário são em sua maioria membros do partido vencedor. As políticas sociais também influenciaram a escolha para presidente e as pessoas foram ameaçadas de perderem seu subsídio para comida se eles não reelegessem Dilma. Nós pedimos por uma posição da Casa Branca em relação à expansão comunista na América Latina. O Brasil não quer e não será uma nova Venezuela e os EUA precisam ajudar os promotores da democracia e da liberdade no Brasil”.  

O efeito:

Após alguns blogs, inicialmente, divulgarem sobre eleitores denunciando uma suposta fraude nas urnas eletrônicas das eleições 2014, desencadeou-se um grande descontentamento com o resultado das eleições presidenciais que reelegeu Dilma Rousseff (PT) e abateu Aécio Neves (PSDB) por uma diferença de aproximadamente 3,5 milhões de votos. A partir daí, iniciou-se o “terceiro turno” em campanhas que dividiram o país ao meio entre acusações de um noticiário falso, o que culminou com várias manifestações independentes, como foram os casos ocorridos na avenida Paulista em São Paulo, SP, a menos de uma semana após a apuração pelo TSE. No dia 1 de novembro, quase 2,5 mil pessoas compareceram, convocadas pela rede social Facebook, para exigir o impeachment da presidenta. Ela já tinha uma petição no site Avaaz desde junho de 2013 contando com mais de 1,8 milhão de assinantes. O país foi tomado por pessoas que ddiziam e publicavam coisas sem a menor responsabilidade. Até o cantor Lobão, em sua decadência moral e psicológica, omprometeu sua imagem e a imagem do PSDB. Na ocasião, ele disse que se Dilma ganhasse sairia do país. As pessoas não podem ser impedidas de falar porque é uma democracia, por isso devemos utilizar o discernimento inteligente que favoreça a seleção das melhores idéias. Nos EUA, com a democracia sendo o motor do congresso, obviamente Mister Barack Obama e todo o pessoal da Casa Branca deve ter dado boas gargalhadas com nossa crise moral. A petição foi mantida democraticamente por algum tempo e o mundo inteiro conferiu e morreu de rir, o que causou e causa, em muita gente aqui, uma grande vergonha de ser brasileiro.

 

Gene Simmons diz a pessoas com depressão: “Matem-se”

Posted in EUA, MÚSICA, OPINIÃO, SAÚDE by dibarbosa on 30 de agosto de 2014

Fox's "American Idol" XIII FinalePoucos dias depois de dizer que imigrantes dos EUA deveriam aprender o ‘maldito inglês’ durante uma aparição ao vivo, Gene Simmons, o baixista do Kiss está nas manchetes mais uma vez para proferir comentários profundamente ofensivos sobre dependência de drogas e depressão durante uma entrevista a um site de música americano. Em 31 de julho, durante outra entrevista, Simmons disse que não se dava bem com viciados em droga que têm uma nuvem negra sobre a cabeça e que se julgam vítimas de tudo. Leiam suas próprias palavras:

Os viciados em drogas e alcoólatras dizem sempre coisas do tipo: “O mundo é um lugar cruel”, “Minha mãe estava em um campo de concentração na Alemanha nazista”, e eu não quero ouvir porra nenhuma sobre “como o mundo é um lugar difícil” Uma mãe se levanta todos os dias, cheira suas rosas e ama viver, mas tem um filho de 20 anos que sempre diz: “Eu estou deprimido e moro em Seattle” Foda-se, e mate-se em seguida!

Eu nunca entendo´os babacas que sobem em cima de um edifício e grita: “É isso aí, eu não aguento mais, eu vou pular”. Eu sou o cara que grita: “Pula logo!” Ele só pode estar brincando. Por que está anunciando isso? Que ele cale a boca, tenha um pouco de dignidade e salte logo, pois tem uma multidão pra ver!

 
 

Os comentários de Simmons provocaram furor nos fãs. Durante um recente episódio de um programa de rádio, um outro baixista chamado Sixx de uma banda americana criticou o imortal do Kiss por suas palavras dizendo: “Eu gosto de Gene mas não nesta situação, pois um garoto de 20 anos ouve ou lê isso e diz: Quer saber? Ele está certo e eu deveria me matar“. Sixx acrescentou: “Para as pessoas que estão deprimidas, não é uma saída. Há muitas, muitas maneiras de se sair de uma situação… Não dêem ouvidos a pessoas que não sabem o que estão falando.”

A última foto do ator Robin Williams

Posted in ARTE, CINEMA, EUA, MUNDO by dibarbosa on 15 de agosto de 2014

ultima-foto-robin--644x362Vestido de preto e com aspecto frágil porém de bom humor, o ator é visto em uma galeria de arte um dia antes de morrer. 

Seguem chegando as informações sobre as últimas horas do ator Robin Williams. Agora o tablóide britânico Daily Mail publica as últimas fotografias do ator de 63 anos de idade. Foram tiradas um dia antes do suicídio, quando se encontrava com sua esposa Susan Schneider em uma galeria de arte em um sábado à tarde. A galeria que visitaram, Bay Area está situada próxima à sua casa na área da Baía de São Francisco, onde um dia depois o ator se enforcou com seu próprio cinto. Williams estava magro e frágil, ainda que várias testemunhas da casa cultural tenham dito que ele estava de bom humor. A esposa do ator foi a público fazer um comunicado onde declarou que Robin padecia do mal de parkinson em sua etapa inicial, já que havia pouco tempo que havia sido diagnosticado. O ator estava sóbrio no momento de sua morte por isso descarta-se que estivesse sob efeitos de álcool ou drogas, o que em outros tempos causaram-lhe graves problemas. É a última imagem de um ator mítico de Hollywood que visitou uma galeria de arte vestido totalmente de negro em sua última aparição pública.

Petrobras pode falir em 2 anos

Posted in BRASIL, ECONOMIA, EUA, MUNDO, OPINIÃO, PERDENDO A RAZÃO, POLÍTICA, PROTESTOS NO BRASIL by dibarbosa on 16 de abril de 2014

Uma publicação de um blog em 15 de abril de 2014 afirma que a Petrobras é a empresa mais endividada do mundo e corre risco de falir nos próximos 2 anos.

compartilhar no facebook

Petrobras é a empresa mais endividada do mundo e corre risco de falir nos próximos 2 anos

Segundo o blogueiro, a Petrobras, que vem passando por graves problemas e está na mídia nos últimos meses, corre risco até mesmo de falir. A publicação acrescenta que a empresa é a mais endividada do mundo atribuindo esta afirmação à uma pesquisa realizada junto ao Bank of America Merril Lynch onde possui dados recentes sobre o endividamento da estatal, o qual foi divulgado pela própria Petrobras em agosto de 2013 e relata uma dívida líquida de R$ 176,280 bilhões. Ainda, o Blog Revolta Brasil envolve o jornal Financial Time dizendo que este fez uma matéria onde relata que o governo do Brasil, com seu intervencionismo na estatal está transformando a Petrobras numa bomba relógio que pode explodir a qualquer momento, e que a consultoria norte-americana Macroaxis afirma que a possibilidade da empresa decretar falência nos próximos dois anos é de 32,4%.

Uma coisa é certa e estamos de acordo com a afirmação do blogueiro ao afirmar que a explosão destes escândalos só tem piorado a imagem da Petrobras junto aos seus investidores. O BRV salienta que o valor de mercado da PETROBRAS caiu 50% desde 2010 e a empresa enfrenta a pior crise de sua história, e que o valor atual da estatal é de R$ 179 bilhões, enquanto em 2010 era de R$ 380 bilhões. Até mesmo o comentarista fidelizado pela Rede Globo de Televisão, Arnaldo Jabor, entrou no ar dizendo que a PETROBRAS tem sofrido com o governo do Brasil que a utiliza para “tampar buracos” de outros setores e com isso o PT destrói a si mesmo, ao Brasil e a Petrobras. Nas palavras de Arnaldo Jabor “este governo está destruindo a si mesmo, ao Brasil e a Petrobras”dilma-rindo obama e chines

De fato, como o blog ainda publicou no fechamento de sua matéria, há, atualmente uma batalha política para definir a abertura ou não de uma CPI para investigar os escândalos envolvendo a estatal que tem por foco principal a investigação da compra da refinaria de Pasadena nos EUA, que gerou prejuízo de mais de U$1bi para a empresa e o governo brasileiro quer vetar de todas as formas ao tentar impedir ofuscando as investigações e ludibriando a todos colocando outros temas para serem investigados juntamente com a Petrobras, como o caso do superfaturamento dos metrôs. Nisso, a oposição tenta uma saída para conseguir que seja instaurada a CPI para investigar exclusivamente a Petrobras. Tudo isso é uma grande lástima e só vem sugerir que os últimos governantes de nosso querido Brasil estão mergulhados até o pescoço neste imenso lamaçal verde e amarelo. Enquanto isso, a imprensa internacional dá sinais ao mundo inteiro de que não somos este país do futuro como pensávamos. Na verdade, somos, para o resto do mundo, uma vergonha eterna desta tão amada terra. Só o que podemos fazer é torcer para que não acabem com os bens de nosso país.

compartilhar no facebook

Dançarina robô te olha e apavora enquanto dança com sensualidade

Posted in ARTE, CIÊNCIA, EUA, MUNDO, TECNOLOGIA by dibarbosa on 25 de março de 2014

compartilhar no facebook
A imaginação do aclamado artista Jordan Wolfson trouxe esta figura animatrônica para a vida com uma pequena ajuda de seus amigos especialistas em Spectral MotionA boneca está sendo exibida na David Zwirner Gallery, em Nova York. A figura incorpora tecnologia de reconhecimento facial, o que permite concentrar a atenção e olhar para uma pessoa. A dançarina robô é capaz de apavorar irritantemente qualquer um dos visitantes da exposição.

compartilhar no facebook

 

Alguns esclarecimentos importantes sobre Pasadena

Posted in BRASIL, ECONOMIA, EUA, GEOGRAFIA, POLÍTICA by dibarbosa on 23 de março de 2014

Os brasileiros foram enganados mais uma vez pela mídia

23 de março de 2014 | 17:53 Autor: Miguel do Rosário

InglêsEspanhol

GERMAN

FrancêsVietnan

Agora as coisas ficaram mais claras. As notícias sobre a refinaria de Pasadena trazem informações vergonhosamente manipuladas. O assunto foi politizado com fins eleitorais, de maneira que o PT tem a obrigação de vencer o seu medo já patológico da mídia e enfrentá-lo de cabeça erguida. Até porque está em jogo aqui muito mais do que o PT. Estão jogando contra a Petrobrás e, portanto, contra a nossa soberania econômica. Mais que isso, estão tentando passar a perna nos brasileiros e matar vários coelhos com uma só pancada. Desgastar a presidente, tirando-lhe e votos, e de bucha forçar a Petrobrás a vender por alguns trocados uma refinaria que, para ser construída novamente, num lugar tão estratégico como o canal de Houston, custaria talvez mais de 2 bilhões de dólares. Talvez muito mais que isso. Eu tiro esse valor de duas fontes. Em 2003, em sua coluna no Baltimore Sun, o jornalista Jay Hancock estima que construir uma refinaria igual à de Pasadena custaria mais de 1 bilhão. O New York Times, por sua vez, informa que a estimativa inicial do governo do Paquistão para construir uma refinaria de petróleo com capacidade para 40 mil barris por dia, é de 600 milhões de dólares. A construção da Abreu Lima, em Pernambuco, com capacidade de 230 mil barris por dia, está custando US$ 17 bilhões. Qual o objetivo em nos fazer acreditar que uma refinaria situada no coração do corredor petrolífero dos EUA, funcionando a pleno vapor, com capacidade para processar até 120 mil barris por dia, não vale os US$ 1 bilhão pagos pela Petrobrás? Sem contar que, neste bilhão estão incluídos estoques e milionários custos processuais. O preço efetivamente pago pela refinaria foi a metade disso.

Pasadena, aliás, vale mais que dinheiro. Como tudo que envolve segurança energética, ela também possui um valor estratégico e político. Para adaptar-se às novas exigências ambientais, a refinaria de Pasadena passou a adotar, a partir de 2005, um sistema que reduz drasticamente a emissão de gases poluentes na atmosfera. A implantação dessa tecnologia pela Astra foi um dos motivos que fizeram seu preço subir tanto de 2005 para 2006. Uma coisa é comprar uma refinaria com gravíssimos problemas ambientais, trabalhistas e logísticos. Outra coisa é comprar uma refinaria que investiu mais de US$ 100 milhões para se adaptar às rígidas exigências ambientais vigentes hoje nos Estados Unidos, e que também resolveu suas outras pendências. A mídia repete que a Petrobrás pagou US$ 360 milhões por uma refinaria que tinha sido vendida por apenas US$ 42 milhões no ano anterior. E aí houve uma incompetência incrível por parte da comunicação da Petrobrás e do governo. O próprio Gabrielli confundiu a opinião pública ao dar a informação, até hoje não confirmada, aliás, por nenhum documento, nem mesmo por um mísero link para alguma reportagem, sem contextualizá-la adequadamente. Fica parecendo que estamos falando de um carro que alguém compra por 42 mil reais e depois revende por 360 mil. Refinaria não é carro. O valor de uma refinaria é medido pelo seu posicionamento estratégico (no caso de Pasadena, ela está localizada no coração do principal “corredor” energético da maior potência do planeta), pelo maquinário usado, assim como pela existência ou não de pendências tributárias, trabalhistas e ambientais. A Astra comprou uma refinaria cheia de problemas. Pasadena tinha vivido, a partir de meados dos anos 90, a maior greve da história da indústria petrolífera, a qual apenas foi resolvida em 2002. A poderosa OCW, o principal sindicato de trabalhadores da indústria petrolífera dos EUA, vinha lutando há muitos anos contra a Crown Central Petroleum (nome da refinaria antes de ser comprada pela Astra, em 2005). A Crown era acusada de violar direitos humanos, racismo, poluição, falta de segurança, entre outros problemas.

Em 1999, a estatal petrolífera da Noruega informa que não iria mais trabalhar com a Crown Central Petroleum enquanto ela não respondesse às denúncias. Todos pareciam odiar a refinaria, e com razão. A empresa, então controlada por Henry Rosenberg, era acusada de racismo contra trabalhadores afrodescendentes, e de não tomar cuidado para evitar a poluição jogada sobre a vizinhança pobre, a maior parte composta de latino-americanos. Para piorar, uma série de explosões vinham causando transtornos à refinaria. Só em 2001, foram três. É preciso considerar todos esses fatores quando se analisa o negócio feito pela Astra no início de 2005. Sob a nova direção, todos esses problemas seriam resolvidos. Astra ainda ganharia a sorte grande, na forma de uma tragédia, ocorrida no mesmo ano. Os furacões Katrina e Rita causaram danos a inúmeras refinarias do Texas. Pasadena sofreu alguns danos, mas poucos. Entretanto, com a redução da oferta causada pela paralisação de dezenas de refinarias da região, as cotações do produto refinado disparariam, aumentando exponencialmente o faturamento daquelas que permaneceram em atividade. E aí entra a Petrobrás na história. O ano é 2006 e o seu presidente era Sérgio Gabrielli. A Petrobrás ainda vivia a era anterior à descoberta do pré-sal. Mas já tinha planos ambiciosos de expansão internacional. Quer dizer, à luz dos projetos atuais da estatal, de centenas de bilhões de dólares, o plano de investimento da Petrobrás em 2006, para o período 2007 a 2011, parece até tímido. Em 2006, Gabrielli viaja à Londres, Nova York e Boston para apresentar o novo plano de investimento da empresa. Segundo esta apresentação, a empresa pretendia investir US$ 75 bilhões no período, sendo US$ 12 bilhões fora do país

 

Grande parte desses investimentos internacionais seria feito na exploração de petróleo no golfo do México. A empresa esperava aplicar, fora do Brasil, o seu know how de prospecção e exploração em águas profundas. Deu certo. De 2001 a 2005, a Petrobrás vinha anunciando várias descobertas no Golfo. Comprar uma refinaria nos EUA era um sonho da companhia desde 1999. Com sua entrada no golfo do México, a ideia agora parecia ainda melhor. A razão é simples. A Petrobrás exploraria petróleo no golfo e usaria a refinaria de Pasadena para processar o óleo cru e vendê-lo ao consumidor norte-americano. Negócios com refinaria, como qualquer outro do setor de petróleo, sofrem com as variações bruscas de preço. Naquele momento, o preço dos derivados vinha subindo rapidamente, e as perspectivas eram excelentes. É muito fácil, hoje, criticar Gabrielli e o Conselho de Administração por decisões feitas em 2006. Os anos de 2006 a 2007 foram férteis em decisões que se revelaram, no mínimo, questionáveis, ou mesmo desastrosas, nos anos seguintes. Em 2008, algumas das melhores e mais tradicionais empresas do mundo, como a General Motors e a Lehman Brothers, declaram-se à beira da falência. A primeira é praticamente estatizada pelo governo americano, em mais uma prova de que a ideologia neoliberal é um dogma apenas para economistas subdesenvolvidos. A secular Lehman, por sua vez, vai pro saco. A utopia hegemônica pós-queda do muro de Berlim, de que um mundo regido pelas leis do mercado e pela competência da iniciativa privada traria uma longa e estável prosperidade, terminou em pesadelo. Governos do mundo desenvolvido tiveram que torrar trilhões de dólares para tampar o buraco deixado pela má-gestão temerária de até então respeitadas corporações privadas.

Em 2008, a crise financeira mundial faz o preço dos derivados de petróleo despencarem, reduzindo a lucratividade das refinarias. É neste momento que a Petrobrás, que vinha descobrindo, sucessivamente, novas reservas gigantes de petróleo em águas ultraprofundas da costa brasileira, decide suspender, por tempo indefinido, seus planos de investir na refinaria de Pasadena. Até então, a Petrobrás planejava investir quase US$ 2 bilhões em Pasadena para dobrar a sua capacidade de refino, dos então 100 ou 120 mil barris para algo próximo de 200 mil barris/dia. O projeto previa a construção de uma nova unidade processadora, dentro da refinaria, voltada para óleos pesados, como é o petróleo brasileiro até hoje extraído nas áreas do pós-sal. Desistiu disso, por enquanto. Paradoxalmente, o pré-sal trouxe um grave problema de caixa à Petrobrás. Para que a empresa possa converter aquele óleo sujo e malcheiroso, situado a milhares de metros abaixo da superfície marinha, em dinheiro para aplicarmos em educação, ela antes tem que investir dezenas ou mesmo centenas de bilhões de dólares em maquinários, plataformas, tecnologia e mão-de-obra. A empresa está numa caça alucinada por recursos, vendendo seus ativos no mundo inteiro, numa tentativa de fazer caixa e focar investimentos nas novas reservas descobertas. Está vendendo inclusive alguns ativos que possuía no Golfo do México. No momento, a Petrobrás parece não saber o que fazer com a refinaria de Pasadena. Vender agora não valeria a pena, porque não conseguiria o preço que deseja. Desde 2012, entretanto, o mercado de refino tem melhorado, elevando a lucratividade das refinarias. Em outubro de 2012, o New York Timespublicou um artigo cujo título, traduzido livremente por mim, significa: “Refino de petróleo volta a criar fortunas”.

A descoberta de novos campos de gás e petróleo no golfo e no Texas trouxe vida nova às refinarias da região, onde também se localiza a de Pasadena, porque lhes deu competitividade sobre suas concorrentes no exterior. Ao invés de pagar altos preços por petróleo importado do oriente médio, as refinarias texanas agora podem se beneficiar de novos campos descobertos no sul do estado, que lhe fornecem matéria-prima a um custo muito menor. Segundo o New York Times, o lucro das refinarias da região cresceu 400% de 2008 a 2012. Em julho do ano passado, o site especializado Oil Price fez uma entrevista com Fadel Gheit, diretor e analista sênior de uma respeitada empresa do setor, na qual Gheit afirma que o negócio com refinarias, que durante tanto tempo foi o patinho feio da indústria do petróleo, agora estava se tornando num lindo cisne. O título da matéria vai direto ao ponto: “O negócio com refinaria nos EUA serão a gema da indústria do petróleo”. Repare bem o que ele disse: refinarias nos EUA. É preciso muito cuidado, portanto, para evitar que interesses obscuros utilizem o momento eleitoral para pressionar a Petrobrás a vender uma refinaria estratégica, situada no centro do cinturão petrolífero do país mais rico do mundo.

fonte: Tijolaço

compartilhar no facebook

Banqueiros dos EUA e UK se suicidam – um novo ‘crash’?

Posted in BRASIL, BRICS, ECONOMIA, EUA, MUNDO, POLÍTICA by dibarbosa on 1 de fevereiro de 2014

Na Inglaterra o vice-presidente da JPMorgan saltou do 33º andar. No domingo, um ex-executivo do Deutsche Bank foi encontrado enforcado em sua casa em Londres. Nos EUA, Mike Dueker, economista-chefe da Russell Investments, empresa dedicada à gestão de ativos, foi encontrado morto perto de uma estrada em Tacoma Narrows no Estado de Washington. Dueker caiu de uma ponte situada a uma altura de 15 metros, de acordo com a polícia, foi suicídio. 

x435Será um sinal de um novo colapso como na década de 20? Precisamente em 1929, quando mais de 20 pessoas ligadas a bancos que quebraram se suicidaram na América do Norte. Suicídios tendem a aumentar durante os colapsos do mercado de ações, o que não corresponde à situação atual, uma vez que o índice  Dow Jones  atingiu um mês recorde passado, mas nos últimos dias algumas empresas sofreram grandes perdas. Enquanto isso, especulações de que estes suicídios ocorrem com outra  potencial crise financeira  que está sendo desenvolvida no horizonte. De fato, os mercados caíram um pouco recentemente, mas eles não implodiram. Poderia haver mais sobre essas mortes do que os olhos nos dizem? Talvez nunca saberemos e tudo seja apenas uma coincidência afinal as pessoas morrem o tempo todo. Historicamente, os banqueiros têm sido estereotipados como os mais propensos a cometer suicídio. Isto tem muito a ver com o famoso crash de 1929 do mercado de ações, o que resultou em 1.616 bancos falidos e mais de 20.000 empresas que faliram. O número de banqueiros que cometeram suicídio logo após o o crash foram cerca de 20, com mais de 100 pessoas ligadas ao setor financeiro que morreram por suas próprias mãos no mesmo ano. Mas o mercado não está falhando ainda. Então, por que os banqueiros estão se matando? Essa é uma boa pergunta. Algumas outras coisas estranhas aconteceram ultimamente que parecem não fazer sentido como a postagem de Matt Drudge(do Drudge Report) no Twitter muito enigmática: “Tenha um plano de saída …” O que afinal ele quer dizer com isso? Outra coisa foi que um banco russo proibiu todos os saques de dinheiro até a próxima semana. Mais uma: um relatório do Wall Street Journal no início desta semana, afirmou que o banco central da Alemanha está defendendo “o imposto sobre a fortuna” para os países europeus que precisam de um resgate. O Fundo Monetário Internacional disse que um imposto de 10% traria os níveis de endividamento de uma amostra de 15 países membros da zona do euro de volta aos níveis pré-crise de 2007. O que tudo isso significa? Um mau presentimento é evidenciado pelo caos financeiro que estamos testemunhando nos mercados emergentes em todo o mundo agora. Aqui no Brasil, por exemplo, o dólar disparou sento cotado nesta sexta-feira a R$2,41. Nosso país foi colocado pela imprensa internacional como um dos “cinco frágeis”, termo usado pelo banco Morgan Stanley para identificar os países que sofreriam mais com a mudança da política econômica e o fim dos estímulos nos EUA. O grupo engloba Brasil, África do Sul, Índia, Indonésia e Turquia.

NSA instalou spywares em Iphones ainda na fábrica

Posted in EUA, MUNDO, SNOWDEN by dibarbosa on 1 de janeiro de 2014

rindo obama e meme22InglêsEspanholAlemãoRussoArábia SauditaFrancêsA imagem de Barack Obama rindo com o chinês que deu vida ao meme mais conhecido da net nada tem a ver com a notícia, mas representa o pensamento do consumidor final quando percebe que foi enganado pela segunda maior potência econômica mundial. 

Parece que as revelações do programa espião da NSA jamais terão um fim. Certamente, agora é que as coisas vão mesmo piorar. Novos documentos vazam revelando que a agência espiã reencaminhou laptops e iphones, encomendados on-line, para instalação de spywares e hardwares maliciosos nas máquinas. O nome do programa é DROPOUTJEEP. que utiliza aplicações de missão modulares para fornecer uma funcionalidade específica que puxa os arquivos dos dispositivos, tais como recuperação de SMS, lista de contatos, correio de voz, geolocalização, gravações do microfone, da câmera, localização da torre de celular e dados do GPS, tudo secreto e devidamente criptografado.S3222_DROPOUTJEEP

Muitas empresas de tecnologia têm se manifestado publicamente contra o programa PRISM desde que foi revelado no início do ano passado. Em um âmbito geral, cada revelação que surge pincela um retrato que vai se formando muito sombrio do governo dos Estados Unidos da América. E as sociedades do mundo inteiro começam a se indagar sobre quais atitudes tomar contra esta invasão de privacidade e liberdade. Mas as autoridades do governo não estão dispostas, sequer, a comentários. E por mérito de homens como Edward Snowden, as consequências de tais revelações podem determinar os caminhos políticos do mundo inteiro.

Anderson Silva quebra a perna e perde

Posted in BRASIL, EUA, MUNDO by dibarbosa on 29 de dezembro de 2013

andersonquebrapernagif

Anderson Silva quebra a perna durante segundo round da revanche contra Chris Weidman e perde a chance de recuperar o cinturão dos pesos médios no UFC.

Quase cinco meses depois da derrota, Anderson Silva, o ídolo brasileiro de Curitiba, também conhecido por Spider, vai à Las Vegas para a 168ª edição do Ultimate Fighting Champioship, realizada neste sábado (28/12), e novamente é derrotado, desta vez de uma forma muito bizarra. 

A luta:

Anderson Silva, o desafiante, começa a sua batalha para reconquistar o título das mãos de Chris Weidman. Tentando a queda logo nos primeiros instantes do primeiro round, Weidman recebeu uma resposta do ex-campeão, que se recolocou de pé. Entrentanto, conseguindo um knockdown na sequência, Chris Weidman aplicou um ground and pound agressivo quase encerrou a luta em sua primeira parte. Anderson Silva estava novamente em apuros e de costas pro chão por praticamente todo o assalto inicial.
Na segunda parte da luta, o inesperado aconteceu. Depois de aplicar um chute baixo, Anderson Silva fraturou sua perna e não teve condições de continuar no combate. Um triste desfecho na luta principal do UFC 168, que consagrou Chris Weidman como o ainda campeão dos médios do Ultimate.


No fim da Era do Dólar dos EUA, vem aí uma nova moeda

Posted in ÍNDIA, BRASIL, BRICS, CHINA, ECONOMIA, EUA, GEOGRAFIA, MUNDO, POLÍTICA, RÚSSIA, SOUTH AFRICA by dibarbosa on 26 de outubro de 2013

Bloco econômico BRICS cria um novo sistema financiero mundial

Corbis / RT

O mundo precisa de um novo consenso. A nova era exige novas instituições que substituam o Banco Mundial, o FMI e a OMC. Os países que compõem o bloco econômico BRICS têm a responsabilidade de materializá-las.

Um artigo do diario RBC Daily destaca que a crise das antigas instituições financieras criadas no marco do sistema de Bretton Woods depois da Segunda Guerra Mundial permitiu que se intensificasse o protagonismo dos países BRICS que vão trocar toda arquitetura financieira global. Supunha-se que o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional e a Organização Internacional do Comércio iriam garantir a estabilidade econômica mundial.

Moeda chinesa YUAN já é uma das 10mais negociadas do mundo.
Clique para ler.

 Porém, desde a década de 1970 estas instituições se inclinaram ideologicamente para uma política extremista de mercado e ordem neocolonial. De certa maneira, foram estas políticas fundamentalistas que propiciaram a crise d 2008.

Neste sentido, a nível internacional, ocorrerá uma reconfiguração da arquitetura financeira global que recairá nas mãos dos países que compõem o bloco BRICS. Sua influência irá crescer. Haverá, assim, a utilização da economia integrada em lugar de se seguir as políticas do consenso de Washington, de um fundamentalismo de mercado. E para consegui-lo, BRICS cumpre todos os requisitos. Os países alcançaram acordos comerciais bilaterais fora da OMC, estabelecendo os preços dos bens dentro dos limites dos cestos de moedas mixtas, o que faz um cambio radical da precepção da economia mundial. Agora os países BRICS estão preparando a criação de um novo banco de desenvolvimento, um fundo de estabilização e um mecanismo para a resolução de disputas comerciais que possam substituir as funções do Banco Mundial, do FMI e da OMC.

Para ter a possibilidade de influenciar nos assuntos econômicos globais, a China e outros países BRICS decidiram que é hora de criar um novo consenso global. Em março de 2012, BRICS emitiram a Declaração de Nova Delhi, dizendo que urge um novo sistema financiero. Em março de 2013, na África do Sul, BRICS sugeriu a criação do banco BRICS como alternativa ao Banco Mundial. Acordaram estabelecer um Conselho de Negócios BRICS que atuará como órgão de adminstração da zona de livre comércio, criado para trabalhar paralelamente com a OMC.

Pode-se esperar como alternativa que o banco BRICS oferecerá empréstimos não limitados por condições, mas a taxas de interesses mais altas com um enfoque mais empresarial. Ademais, poderá financiar projetos em setores que o Banco Mundial atualmente não trabalha, como por exemplo no campo dos biocombustíveis ou energia nuclear. O passo seguinte mais lógico seria a criação de um fundo de estabilização BRICS como uma alternativa ao FMI, o que pode requerer a criação de uma nova moeda de reserva global. É possível que se inclua na cesta o Real, o Rublo, a Rúpia, o Yuan e o Rand. Claro que BRICS se esforçam para ser menos dependentes do dólar dos EUA.

Ao converter-se numa alternativa viável ao FMI, o fundo de emergência será capaz de trocar o financiero global. O fundo de estabilização BRICS poderia alcançar 240 bilhões de dólares en moeda estrangeira, que é mais que o PIB combinado de 150 países. Isto aumentará o prestígio dos países BRICS não só como centro de poder regional, mas também como uma força para se distanciar do subdesenvolvimento.

fonte: rt.com

Glenn Greenwald na CPI da Espionagem dos EUA

Posted in BRASIL, EUA, MUNDO, SNOWDEN by dibarbosa on 15 de outubro de 2013

Brasília – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Espionagem ouve o jornalista Glenn Greenwald sobre as denúncias de espionagem do governo dos Estados Unidos ao Brasil. E/D: Glenn Greenwald, e a presidenta da CPI, senadora Vanessa Grazziotin
FONTE: AGENCIABRASIL

Glenn Greenwald, o jornalista americano que ajudou a revelar a espionagem digital do governo dos EUA, tem mais revelações.

O jornalista, que agora vive no Rio de Janeiro junto a seu companheiro brasileiro David Miranda, com quem na semana passada participou da CPI da Espionagem presidida pela senadora Vanessa Grazziotin, disse que irá continuar publicando tudo sobre o escândalo americano revelado por Edward Snowden, agora com novidades sobre África e França. E mesmo após sofrer ameaças dos Estados Unidos e Reino Unido, Greenwald acrescentou que a NSA espiona quase todos os países do mundo com interesses em suas economias e ampliação de seu poderio. Disse ainda que muitos países da África se deixam espionar indiscriminadamente e sem limites.

David Miranda e Glenn Greenwald

Greenwald lamentou que sua vida privada esteja em foco: “Só uso o telefone para falar de coisas banais, pois todos os meus correspondentes são espionados e têm que vir ao Rio para se reunirem comigo.

Fontes: RT e Agência Brasil

O Colapso dos EUA em 2013

Posted in ECONOMIA, EUA, GEOGRAFIA, MUNDO, POLÍTICA by dibarbosa on 9 de outubro de 2013

OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO FALINDO? O IMPÉRIO MUNDIAL VAI MESMO RUIR? COMO OS AMERICANOS PODERÃO ENCONTRAR UMA SOLUÇÃO PARA SUA ECONOMIA SEM TER QUE APELAR PARA AS GUERRAS?

Os Estados Unidos estão vivendo um declínio econômico catastrófico. Você que está buscando dados que possam comprovar o burburinho sobre a economia da superpotência número um do mundo, sim, isso é verdade. E, lamentavelmente, é um resultado esperado por muitos ante uma triste previsão decorrente de décadas de decisões políticas extremamente ruins.

Para ter uma ideia, a dívida nacional dos EUA, que era de 1 trilhão de dólares há 30 anos atrás, hoje é de quase 17 trilhões de dólares. E o montante total da dívida que há 40 anos foi de 2 trilhões de dólares, está em mais de 56 trilhões de dólares. Ao mesmo tempo, parece que os americanos estão perdendo a capacidade de produzir riqueza. Desde 2001, os Estados Unidos perderam mais de 56 mil instalações de produção e, com isso, milhões de bons empregos foram transferidos para o exterior. Sua participação no PIB mundial caiu de 31,8% em 2001 para 21,6% em 2011, uma diferença de mais de 10%.  Pra complicar ainda mais, o percentual de americanos que trabalham por conta própria está em baixa, e o número de cidadãos que passaram a depender de bolsas cedidas pelo governo subiu assustadoramente.

Em resumo, a economia dos EUA está uma bagunça total, e gradativamente seu povo começa a conhecer a verdade para enfrenta-la. Até mesmo blogueiros americanos começam a disponibilizar uma infinidade de material com anexos de links que comprovam suas postagens sobre a fortaleza que inicia sua deriva num mar de areia movediça. Dizem que quanto mais tentam se salvar, mais afundam na lama. A seguir são apresentadas 40 provas e acusações do que se está falando deste naufrágio americano que, até então, imaginava-se impossivelmente absurdo de se crêr:

  1. Em 1980, a dívida nacional dos EUA foi de menos de um trilhão de dólares e hoje está se aproximando rapidamente dos 17 trilhões de dólares.
  2. Durante o primeiro mandato de Obama, o governo federal acumulou mais dívidas do que com os primeiros 42 presidentes dos EUA juntos.
  3. A dívida nacional dos EUA é, agora, mais de 23 vezes maior do que era quando Jimmy Carter tornou-se presidente.
  4. Se os EUA começarem a pagar apenas sua dívida mais recente (acumulada durante a administração Obama) a uma taxa de um dólar por segundo, a quitação ocorreria dentro de 184 mil anos.
  5. O governo federal americano está roubando mais de 100 milhões de dólares de seus filhos e netos a cada hora de cada dia.
  6. Em 1970 o montante total da dívida nos Estados Unidos (a dívida do governo + dívida de negócios + dívida do consumidor, etc) foi de menos de 2 trilhões de dólares. Hoje é de mais de 56 trilhões de dólares.
  7. De acordo com o Banco Mundial, o PIB dos EUA representaram 31,8 por cento de toda a atividade econômica global em 2001. Esse número caiu para 21,6 por cento em 2011.
  8. Os Estados Unidos têm caído no ranking de competitividade da economia global compilado pelo Fórum Econômico Mundial há quatro anos seguidos.
  9. Segundo The Economist, os Estados Unidos eram o melhor lugar do mundo para se nascer em 1988. Hoje, os Estados Unidos apenas empatou em 16 º lugar.
  10. Incrivelmente, mais de 56 mil instalações fabris nos Estados Unidos têm fechado definitivamente suas portas desde 2001.
  11. Há menos americanos que trabalham em fábricas hoje do que havia em 1950, apesar da população do país ter dobrado.
  12. De acordo com o New York Times, já existem cerca de 70 mil edifícios abandonados em Detroit.
  13. Quando NAFTA foi empurrado pelo Congresso em 1993, os Estados Unidos tiveram um superávit comercial com o México de US$1,6 bilhões. Em 2010, tivemos um déficit comercial com o México de US$61,6 bilhões.
  14. Em 1985, o déficit americano comercial com a China foi de cerca de US$6 milhões para o ano inteiro. Em 2012, o mesmo déficit comercial com a China foi nada menos do que US$315 bilhões. O maior déficit comercial de uma nação com outra em toda a história.
  15. Em geral, os Estados Unidos têm um déficit comercial de mais de US$8 trilhões com o resto do mundo desde 1975.
  16. De acordo com o Instituto de Política Econômica, os Estados Unidos estão perdendo meio milhão de empregos para a China a cada ano.
  17. Em 1950 mais de 80% de todos os homens nos Estados Unidos tinham empregos, o que hoje caiu para menos de 65%.
  18. Hoje, espantosamente, 53% de todos os trabalhadores norte-americanos ganham menos de US$30.000 por ano.
  19. Pequenas e médias empresas estão falindo muito rapidamente nos Estados Unidos. Apenas cerca de 7% de todos os trabalhadores não-agrícolas dos Estados Unidos são autônomos. Essa baixa é um recorde de todos os tempos.
  20. Em 1983, 95% dos assalariados dos Estados Unidos tinham 62 centavos de dívida para cada dólar que ganhou. Em 2007, esse número tinha aumentado para 1,48 dólares.
  21. Nos Estados Unidos, hoje, o mais rico de 1% de todos os americanos têm um maior valor líquido que os 99% restantes juntos.
  22. De acordo com a Forbes, os 400 americanos mais ricos têm mais riqueza juntos do que todo o restante do povo com economia ativa, o que representa  150 milhões ao mesmo tempo.
  23. Os seis herdeiros do fundador do Wal-Mart, Sam Walton, têm tanta riqueza quanto a parte inferior de 1/3 de todos os americanos juntos.
  24. De acordo com o Census Bureau, mais de 146 milhões de americanos são “pobres” ou têm “baixa renda”.
  25. Ainda, de acordo com o Census Bureau, 49% de todos os americanos vive em uma casa que recebe benefícios monetários diretos do governo federal. Em 1983, menos de um terço de todos os americanos viviam em uma casa que recebeu benefícios monetários diretos do governo federal.
  26. O governo federal tem cerca de 80 diferentes programas de benefícios para a população e mais de 100 milhões de americanos estão matriculados em pelo menos um deles.
  27. Em 1965, apenas um em cada 50 americanos estava no Medicaid, um sistema de saúde americano para pessoas de baixa renda. Hoje, um em cada seis americanos já está inscrito no plano e as coisas estão prestes a ficar muito pior. Está previsto que o Obamacare, que na verdade é a reforma do seguro social americano denominado Affordable Care Act, criado para uma abrangência ainda maior e assinado por Barack Obama em 2010, vai adicionar mais 16 milhões de norte-americanos  ao benefício.
  28. Assim, como foi dito no item anterior, está previsto que o número de americanos no Medicare irá crescer de 50,7 milhões em 2012 para 73,2 milhões em 2025.
  29. Portanto o Medicare funcionará passivo e descoberto em mais de 38 trilhões de dólares ao longo dos próximos 75 anos, pois representa aproximadamente 328.404 dólares para cada família nos Estados Unidos.
  30. Atualmente existem cerca de 56 milhões de americanos usufruindo dos benefícios da Previdência Social. Em 2035, esse número deverá subir para espantosos 91 milhões.
  31. O Sistema de Segurança Social estará operando com um déficit de 134 trilhões de dólares ao longo dos próximos 75 anos.
  32. O número de norte-americanos com déficit de Segurança Social já ultrapassa toda a população da Grécia , e o número de norte-americanos com vale-refeição já ultrapassa toda a população da Espanha.
  33. De acordo com um relatório recentemente publicado pelo Centro de Pesquisas Pew, em média os americanos com idade superior a 65 anos têm 47 vezes mais riqueza que os americanos com idade inferior a 35 anos.
  34. Famílias norte-americanas que têm como chefe alguém abaixo dos 30 anos de idade têm uma taxa de pobreza de 37 por cento.
  35. A taxa para a casa própria nos Estados Unidos está agora em seu nível mais baixo em quase 18 anos.
  36. Existem hoje 20,2 milhões de norte-americanos que gastam mais da metade de sua renda com habitação. Isso representa um aumento de 46% a partir de 2001.
  37. Aproximadamente 45% de todas as crianças de Miami estão vivendo na pobreza, mais de 50% em Cleveland, e cerca de 60% em Detroit.
  38. Mais de um milhão de estudantes de escolas públicas dos Estados Unidos estão sem teto. Inédito em toda a história dos EUA.
  39. Quando Barack Obama entrou pela primeira vez na Casa Branca, cerca de 32 milhões de americanos utilizavam vale-refeição. Agora, mais de 47 milhões o utilizam.
  40. De acordo com um cálculo, o número de americanos com vale-refeição já ultrapassa as populações combinadas do Alaska, Arkansas, Connecticut, Delaware, Columbia, Havaí, Idaho, Iowa, Kansas, Maine, Mississippi, Montana, Nebraska, Nevada , New Hampshire, Novo México, Dakota do Norte, Oklahoma, Oregon, Rhode Island, Dakota do Sul, Utah, Vermont, Virgínia Ocidental e Wyoming.

Fontes: blogs americanos

A internet brasileira

Posted in BRASIL, CIÊNCIA, EUA, INTERNET, PROTESTOS NO BRASIL, SNOWDEN, TECNOLOGIA, TENDÊNCIAS by dibarbosa on 23 de setembro de 2013

Na semana passada o Gizmodo, um blog pertencente ao Washington Post, publicou uma matéria onde afirma que a presidente do Brasil Dilma Roussef quer fundar a internet nacional isolando-a dos EUA quando, para isso, o país teria que construir uma extensão de fibra óptica submarina até a Europa, evitando o território do Tio Sam, e criando-se até mesmo um endereço de e-mail dos Correios como alternativa emergencial à suspensão do Yahoo e G-mail. A partir daí, imediatamente, o país inteiro iniciou uma sequencia de comentários contrários e também favoráveis sobre esta medida que se inspirou nas desagradáveis revelações de Edward Snowden sobre a espionagem da NSA, CIA e FBI incidente na nossa promissora Petrobrás. E nessa manifestação oportuna a expressão livre, objetiva e cheia de sensibilidade, mas nem por isso tão substanciosa assim, revelou que grande parcela dos nossos compatriotas caprichou na provisão percentual de uma desordenada ingenuidade permitida – o que faz e sempre fez a festa da politicada nacional que sempre consegue nos situar às margens de nosso tão amado Brasil.

Em alguns textos liam-se coisas como “nossos governantes já perderam o controle da economia nacional há muito tempo e estão jogando o lixo para baixo do tapete” e que “a ANATEL já desconversou diversas vezes sobre melhorias em comunicação, com certeza em agrado a lobistas estrangeiros”. Outra observação fazia alusão à existência de “uma 3ª guerra mundial, só que virtual. A China ataca os EUA, que atacam a Rússia, Irã e por aí vai”. Também, me chamou a atenção um comentário em uma conceituada revista eletrônica que dizia que os EUA não gostariam de perder tráfego de dados. Que eles estão quebrados e buscam solucionar uma crise interna, ao passo que aqui nunca se conseguiu realizar a infraestrutura necessária para integralizar a nação desde o norte até o sul do Brasil. E para não alongar demais este texto, alguns extremistas deste debate acreditam que toda essa situação é mais do que uma oportunidade para “controlar a internet Brasileira” e que “daqui a pouco não vamos poder nem mesmo acessar o twitter.”

O fato é que o Brasil não possui um satélite sequer que seja de propriedade nacional. São todos locados. A previsão é que iremos atingir uma independência no setor apenas após 2020, quando está previsto o lançamento do primeiro satélite inteiramente com tecnologia brasileira. Como poderemos alcançar uma soberania interna satisfatória nos setores da comunicação via internet se sempre estivemos carentes de investimentos suficientes para uma autonomia segura? Esta idéia de independência é maravilhosa, lógico, mas requer toda uma preparação, mesmo de áreas indiretas para dar suporte eficiente. Não queremos viver mais no sonho e recentemente o Brasil inteiro tem dito isso nas ruas de todas as nossas principais capitais. “A impressão que dá é que estão tentando nos enganar o tempo todo” afirma uma outra nota. “Falar é fácil mas difícil é fazer.”

Uma lei dos EUA permite aos cegos portarem armas de fogo.

Posted in EUA, MUNDO, PERDENDO A RAZÃO by dibarbosa on 9 de setembro de 2013

As autoridades do estado de Iowa nos EUA se encontram diante de uma nova polêmica social. Vários cegos obtiveram permissão para portar e usar armas de fogo em lugares públicos.

De acordo com o jornal DesMoinesRegister quatro condados emitiram licenças para portadores de deficiência visual e cegos, o que é permitido de acordo com emendas legislativas de 2011.

“Ainda que cegos possam participar da maioria das experiências na vida, portar armas de fogo pode ser uma das poucas excessões. Nenhuma lei afirma que a pessoa tem que enxergar para usar revólveres, pistolas, rifles, etc.“, disse o diretor de uma escola de braille, Patrick Clancy.

Bem… Que os EUA parecem cegos, com todas as investidas no planeta, atirando para todos os lados, disso todo mundo já sabia.

U.S.ARMY, as forças armadas dos EUA, não querem ir à SÍRIA

Posted in EUA, MUNDO, Síria, SNOWDEN, Syria by dibarbosa on 3 de setembro de 2013

 

“EU NÃO ADERÍ ÀS FORÇAS ARMADAS PARA ME ENVOLVER NA GUERRA CIVIL DE OUTROS PAÍSES. FIQUEM FORA DA SÍRIA!”

“EU NÃO ADERÍ A MARINHA PARA LUTAR PELA AL QAEDA EM UMA GUERRA CIVIL DA SÍRIA!”

Mesmo os mais bravos soldados das Forças Armadas dos Estados Unidos são contrários à qualquer decisão americana que conduza à Síria.

O povo e a sociedade militar dos EUA estão fartos da movimentação bélica promovida planeta afora por seu país. Já não era muito boa, a confiança na relação direta povo-governo, e agora os militares também duvidam das palavras ditas em cadeia nacional. E essa imagem tem se tornado cada vez mais enfraquecida, especialmente devido aos últimos acontecimentos com repercussão mundial negativa: o caso da espionagem da agência americana NSA revelado ao mundo por Edward Snowden. Provavelmente os americanos estão envergonhados e em dúvida quanto à idoneidade moral dos dirigentes dos Estados Unidos, finalmente achando que sempre foram enganados por seus presidentes e políticos.

Em treze anos de guerra no Iraque os EUA já contabilizam 5.000 baixas militares. A perda destas vidas parece que foi em vão, uma vez que agora o presidente Barack Obama quer invadir a Síria e colocar seus homens lado a lado com antigos inimigos históricos, que são os grupos extremistas como a Al Qaeda, numa guerra contra a ditadura do Oriente Médio.

Na semana passada, nas redes sociais apareceram vários depoimentos e imagens que mostram soldados americanos falando contra um ataque contra Damasco. No Twitter, os militares relataram as seguintes mensagens: “Nós não queremos outra guerra”, “Por favor, não vá para a Síria”, “Nós não precisamos de uma Terceira Guerra Mundial” e “Pare de exigir que americanos morram em guerras em outros países”.

De um modo geral todos podemos perceber que os Estados Unidos, há muito tempo, perderam a moral e acham que podem recuperá-la com uma afronta bélica contra quem quer que seja, neste caso agora a Síria. Em sua visão egoísta, tendenciosa e oportunista estão sempre tentando ludibriar o mundo com palavras bem colocadas, discursos patrióticos e até mesmo filmes melodramáticos muito bem elaborados no sentido de “tocar” profundamente o público, geralmente sob o tema do terrorismo o qual os posiciona no papel da vítima eterna. Assim, a diplomacia mundial precisa de muita atenção e estrutura com o fim de jamais vacilar para não cair nas jogadas e ciladas interesseiras dos americanos.

Quem está acompanhando as notícias da tensão EUA x ORIENTE MÉDIO sabe muito bem que há indícios de que, por trás das manobras pronunciadas por Obama, existe muito para se entender. Você poderá gostar de:

Facebook colabora com espionagem dos EUA,

EUA querem a Síria desde 2011,

Fidel Castro sempre advertiu que os EUA querem dominar o Mundo

EUA vão quebrar (falir) em Outubro 2013

Snowden diz que CIA matou Martin Luther King

EUA querem a guerra para lucrar com indústria bélica

Boa leitura e “NÃO À GUERRA CONTRA A SÍRIA!”

 

Motivos históricos para os EUA, França e aliados acharem que devem atacar a Síria

Posted in EUA, MUNDO, Síria, Syria by dibarbosa on 1 de setembro de 2013

Bandeira da Síria

SÍRIA – País asiático do Oriente Médio, banhado pelo Mar Mediterrâneo, limitado ao norte pela Turquia, a leste e sudeste pelo Iraque, ao sul pela Jordânia e a oeste por Israel e Líbano. A origem de seu nome é incerta. Há fontes que garantem provir de Assíria, povo mesopotâmico da antigüidade, outras afirmam vir de Suri, um distrito da Mesopotâmia.

Embora haja achados arqueológicos e documentos atestando ocupação feita há mais de 50 séculos, a Síria, tal se conhece hoje, surgiu como país independente ao término da Segunda Guerra Mundial, abrangendo uma área administrada pela França desde o início do Século XX. Mas em tempos primórdios, a região foi inicialmente habitada por povos semíticos. Ao longo das eras, o território sofreu invasões de elementos de outros grupos étnicos (canaanitas, fenícios, arameus, hebreus, egípcios, sumérios, assírios, babilônios, hititas, persas, macedônios, gregos, romanos e bizantinos), foi dividida em principados autônomos ou fez parte de poderosos impérios. Depois de 700 anos sob domínio de Roma, as terras do que hoje é a Síria foram ocupadas pelos árabes islâmicos, em 636 d.C. A cidade de Damasco, atual capital síria, foi, de 661 a 750, capital do império árabe, que se estendia da Espanha até a fronteira com a China. Posteriormente, aquelas terras foram disputadas e ocupadas por egípcios, turcos seldjúquidas, por cruzados (de 1098 a 1124), por sarracenos comandados por Saladino e seus herdeiros, mongóis, até ser ocupada por turcos islâmicos, em 1516. A partir daí e até a Primeira Guerra Mundial, ela estará sob domínio otomano. Com o fim do conflito mundial, em 1918, o território sírio passou a ser administrado pela França.
O nacionalismo ganhou expressão durante a Primeira Guerra Mundial, na Grande Revolta Árabe contra o domínio turco, liderada pelo xeque Hussain. Em 1918, Faisal, filho de Hussain, conquista Damasco. O Reino Unido, traindo a promessa de independência feita aos árabes, assina um acordo secreto com a França dividindo uma vasta região do Oriente Médio.
O mandato da Síria e do Líbano é outorgado aos franceses, e Faisal, então rei da Síria, é obrigado a fugir do país. O domínio francês vai até o final da Segunda Guerra Mundial. Em 1946, por decisão da ONU, tropas francesas e inglesas abandonam a Síria e o Líbano. A Síria torna-se independente em 17 de abril daquele ano.
O primeiro governo independente sírio é deposto por um golpe militar em março de 1949. Novo golpe restabelece o regime constitucional em 1954. Cresce a partir daí a influência do Partido Baath. A Síria afasta-se politicamente dos EUA e passa a receber armas da União Soviética (Federação Russa).
Nacionalismo, estadismo, não-alinhamento (em relação aos EUA e à URSS) aproximaram a Síria do Egito durante a década de 50. Em fevereiro de 1958, um plebiscito aprovou a fusão dos dois países na República Árabe Unida, com hegemonia egípcia. O objetivo era o primeiro passo para o pan-arabismo. Logo, porém, surgem divergências e um golpe militar separa a Síria do Egito em 1961. Mas a autonomia não pôs fim imediato à instabilidade política – resultado de interesses conflitantes dos diversos grupos da sociedade local.
A forte oposição a Israel marca a política externa da Síria. Até hoje, o país reivindica a devolução das Colinas de Golã, tomadas por forças israelenses na Guerra dos Seis Dias, em 1967.
O governo sírio já foi várias vezes acusado de apoiar ataques a Israel realizados por grupos extremistas baseados no Líbano. A partir de 1974, o país passou a intervir diretamente na guerra civil do Líbano com a intenção de manter os cristãos maronitas no poder. Em 1990, a Síria patrocinou um acordo de paz no país vizinho.
No âmbito doméstico, o regime vem sendo caracterizado pelo autoritarismo e pelo tratamento em estilo linha dura destinado a qualquer forma de oposição, sobretudo antes da morte do presidente Hafez al-Assad, em 2000.
Com a morte do presidente al-Assad, o governo tornou-se mais tolerante e dezenas de presos políticos foram libertados.
A liberdade de imprensa é bastante restrita pelo regime do país. A prisão de jornalistas não é incomum. Todos os veículos de comunicação pertencem ao governo, com exceção de algumas estações de rádio, que só têm autorização para transmitir músicas. Notícias consideradas embaraçosas ou que poderiam colocar em risco a segurança do país são alvo de censura. Apesar disso, os veículos de comunicação fazem críticas à corrupção e à ineficiência do estado. A Síria é atualmente governada pelo presidente Bashar al-Assad, filho de Hafez Al-Assad, e pelo primeiro-ministro Muhammad Naji al-Otari.

Fonte: IBGE

%d blogueiros gostam disto: