Urbs Magna

URGENTE: Lula anuncia candidatura em 2018″ 

A partir de agora vou reivindicar do PT o direito a me colocar como postulante à candidatura à presidência em 2018

Luiz Inácio Lula da Silva

Em sua primeira fala após a condenação na Justiça em primeira instância, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou oficialmente sua intenção de ser candidato à presidência pelo PT em 2018. 

“Vou reivindicar algo que eu não tinha reivindicado até agora; a partir de agora vou reivindicar do PT o direito a me colocar como postulante à candidatura à presidência em 2018.” 

“Quando os economistas de direita não tiverem mais solução, por favor, permita que a gente coloque o pobre no orçamento outra vez; a gente faz o país voltar a crescer, e faz o povo voltar a sorrir e ter o otimismo que tinha durante todo o tempo em que governamos esse país.”

Ele disse que, aos 71 anos, está “disposto a brigar como se tivesse 30 anos. Quem afirmou que é o fim do Lula vai quebrar a cara, porque só o povo tem o direito de dizer que eu estou fora do jogo.” 

Urgente: MORO é denunciado 

Desembargadores do TRF acusam Moro. LEIA

Desembargadores da 8° Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, denunciaram o juiz golpista Sérgio Moro de tentar engessar os tribunais superiores com decisões suas sobre as delações premiadas.

Segundo os desembargadores, em pelo menos duas oportunidades, nos processos criminais envolvendo o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o ex- diretor da Petrobrás Renato Duque, o Mussolini de Maringá (Sérgio Moro) atuou no processo passando por cima de suas competências legais.

Segundo o desembargador e relator do processo de Duque, João Paulo Gebran Neto, Moro teria concedido benefício ao réu por delação premiada depois que o processo já estava para ser avalizado pela Corte, apresentando que a Corte superior teria que acatar o beneficio e vinculando a pena previamente definida.

Além disso, Moro, um juiz de primeira instância, tomou deliberações acerca de seu processo e de outros, vinculando de forma equivocada o tribunal e o juiz de execução, extrapolando suas competências. Realizando ato que pode ser nulo, já que os juízes de primeira instância não podem tomar decisões vinculadas à decisão de instância superior, pois obviamente ela pode ser modificada, reformada pelos juízes dessas cortes superiores.

Diante da denúncia, Moro foi notificado pelos desembargadores afim de que pare de atuar como “Mussolini”, e se contenha apenas a realizar atos judiciais dentro de suas competências de juiz de primeiro grau.

Com a crise e o aprofundamento do golpe, tudo indica que o fim do reinado do golpista Sérgio Moro está chegando ao fim. A missão de Moro, de prender petistas, derrubar o governo do PT e destruir as empresas nacionais se esgotou, e o golpe deve se estabelecer em outras bases.

Tagged with: , , ,

José Dirceu: “A única solução é uma revolução”

Posted in #FORATEMER, BRASIL, CURITIBA, POLÍTICA, VERGONHA DE SER BRASILEIRO by dibarbosa on 18 de junho de 2017

Vídeo

“Os golpistas cometeram o crime de alta traição à democracia

Após deixar a prisão, José Dirceu já está de olho na política.
Já tem um vídeo
(clique) e uma matéria publicada no site PMP.

Leia:

Em visita recente, o produtor Luiz Carlos Barreto lembrou-me de que o filme “Terra em Transe”, clássico de Glauber Rocha, completa meio século. Não pude deixar de comentar que, novamente, o Brasil está em transe.”

A única solução razoável, antes como agora, é uma catarse, uma revolução política, econômica, social e cultural. Não é possível um acordo com quem rasgou o pacto constitucional de 1988 e atropelou a soberania popular.

Os golpistas e seus avalistas, ao derrubarem um governo legal e legítimo no intuito de revogar direitos e conquistas históricas do povo brasileiro, puxaram a faca e cometeram crime de alta traição à democracia.

Romperam o fio da história e colocaram em risco nossa soberania. Querem nos reduzir, de novo, à linha auxiliar do império.

A coalizão golpista deu origem a um governo abarrotado de históricos corruptos. Nada disso, porém, importa aos falsos santarrões que incensam a Operação Lava Jato, desde que os usurpadores fossem úteis para a aplicação de reformas que destruíssem o legado petista, a herança trabalhista e os êxitos do último processo constituinte.

Olhando e revisitando a história de nosso país, sabemos o que está em jogo: o desmonte do recente e precário Estado de bem-estar social, previsto na Constituição de 1988 e implementado durante as administrações de Lula e Dilma Rousseff.

Assalta-se a renda do trabalho para garantir o pagamento de juros exorbitantes, a ampliação da taxa de lucro das grandes corporações e a retomada dos fundos públicos pelas camadas mais ricas.

Os golpistas não hesitaram em sabotar o governo Dilma. Decretaram verdadeiro apagão nos investimentos e créditos, ampliando a recessão, levando pânico aos cidadãos e paralisando o país.

Tratou-se de um vale-tudo para recuperar o comando do Estado e impor uma agenda rejeitada pelos eleitores desde 2002.

Não se vacilou em pisotear as regras democráticas e forjar um arremedo de regime policial, no qual se opera a serviço de objetivos político-ideológicos.

O Brasil precisa de liberdade para decidir seu futuro, com eleições diretas, um novo governo popular e a convocação de Constituinte soberana. É vital romper a camisa de força do rentismo e da concentração de riqueza, reformar os sistemas financeiro e tributário. Só assim viabilizaremos o desenvolvimento econômico, social e cultural.

Essa tarefa é histórica e pressupõe superar os limites comprovados dos governos petistas -apesar dos avanços reformistas, ainda não transformamos as estruturas de nossa sociedade e do poder político.

Não há espaço para conciliação. É necessário, para o bem-estar social do país, dar fim à armadilha de uma falsa harmonia nacional e um ludibrioso salvacionismo contra a corrupção.

O horizonte das forças populares e de esquerda deve ir além das próximas eleições presidenciais, agora ou no próximo ano. Podemos até vencer, mas sem ilusões: sob quaisquer circunstâncias, nosso norte é o avanço no rumo de uma revolução política e social, democrática.

A meta é lutar, resistir e preparar um governo de amplas reformas. Sob a proteção de um novo pacto constitucional, originário das urnas, se a casa-grande voltar ao leito da democracia. Pela força rebelde das ruas, se nossas elites continuarem de costas para a nação.”

fonte:portaldomovimentopopular

Menos bala, mais giz – somos todos professores

Posted in BRASIL, CURITIBA, EDUCAÇÃO, POLÍTICA by dibarbosa on 2 de maio de 2015

O Centro Cívico, região do conflito da PM do Paraná com os Professores ocorrido em Curitiba em 29 de abril, amanheceu com várias cruzes afixadas em uma das rotatórias de acesso às suas saídas principais. Muitas delas com a frase “MENOS BALA, MAIS GIZ – Somos Todos Professores”. Várias outras, com fotos (veja infográfico) dos 31 deputados da base governista envolvidos diretamente na votação que aprovou a lei da previdência no fim da tarde da mesma data e que foi sancionada pelo governador do estado, Beto Richa, em 30 de abril. Segundo o governo o projeto acarretará em economia de R$125mi mensais aos cofres do estado. Os protestos foram baseados na premissa de que. com o tempo, alterações no ParanaPrevidencia faria com que a instituição tivesse mais a pagar do que a receber.
O ParanaPrevidencia é composto pelos fundos Militar, Financeiro e Previdenciário e pagava mais de R$502mi mensais em aposentadorias e pensões. Mais de 33 mil beneficiários acima de 73 anos de idade passarão do fundo Financeiro – bancado pelo governo do estado – para o Previdenciário – composto por contribuições dos servidores estaduais. Este último, segundo o governo, está capitalizado em mais de R$8,5bi em investimentos, o que preservará todas as garantias aos funcionários públicos do estado além de iniciar aporte de R$1bi em 2021 com o reinício do repasse dos royalties da usina de Itaipu ao Estado, o que garantirá a solvência do sistema por pelo menos 29 anos.

Por trás do “confronto” dos professores

Posted in BRASIL, CURITIBA, OPINIÃO, POLÍTICA by dibarbosa on 1 de maio de 2015

Em fevereiro, o Governo do Estado encaminhou à Assembléia um pacote de medidas para reestabilizar sua economia em função da retração nacional e da insuficiência de investimentos por parte do Governo Federal durante o primeiro governo de Dilma Rousseff, segundo representantes, o que também promoveu uma revisão do sistema previdenciário que absorverá mais de 30 mil inativos em 5 anos. Assim, a APP Sindicato mobilizou uma greve durante a qual o plenário foi invadido, depredado e deputados contrários aos interesses da categoraia foram impedidos de trabalhar. Finda a primeira greve que durou 29 dias, e após dois meses de discussões, o governo apresentou uma proposta à APP mas esta se desviou de sua própria legitimidade dando demonstrações que seus objetivos são políticos. Com isso, a segunda greve foi declarada ilegal pelo TJ-PR que ordenou a volta às aulas sob pena de multa de 20 a 40 mil diários mas o comando do sindicato dos professores e a APP ignoraram a decisão do Judiciário.
Em face aos acontecimentos passados e às dificuldades de entendimento, a Alep solicitou antecipadamente a interdição da Assembleia com reforço policial, desde 25/04, prevendo que a APP organizaria novo cerco e invasão (iniciado em 27/04) para inviabilizar a votação do projeto de lei em 29 de abril. Antes do “confronto”, professores e aliados bloquearam ruas de acesso à Alep e revistaram carros numa tentativa de impedir que deputados tivessem acesso à Assembléia. Algumas mídias noticiaram que os professores foram massacrados covardemente no Centro Cívico em Curitiba – PR,resultando em imagens comoventes. Mas em uma análise mais objetiva das imagens de quarta-feira, vemos que a categoria e aliados partiram para confronto com a PM usando máscaras de gás lacrimogênio, coquetéis molotov, bombas caseiras, paus e pedras, e que a PM apenas se defendeu sendo obrigada a cumprir uma deliberação judicial tomando medidas para a contenção da desordem iniciada. Imaginem este cenário sem a imagem da segurança pública. Avaliem dois tempos nas fotografias.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: Reinaldo Azevedo. Leia o texto na Íntegra.

Tagged with: , , , , ,

Bombas, balas de borracha, jato d’água, helicóptero e até cães policiais contra professores em Curitiba

Posted in BRASIL, CURITIBA, EDUCAÇÃO by dibarbosa on 29 de abril de 2015

capture-20150429-195224o dia dos professores terá uma nova data. o dia 29 de abril entrará para a história como o dia da violência física e moral contra uma das mais belas classes de profissionais do mundo

Agora é só aguardar a repercussão mundial desta covardia ilimitada. E o mais espetacular disso tudo é que a imprensa noticia toda a ação policial como “confronto” quando na realidade foi um verdadeiro massacre. Professores não usam armas. Mais de 50 PMs que se recusaram a atirar contra os indefesos serão exonerados. Pois eles pensam o óbvio como todo mundo: Pra que jatos d’água? Pra que balas de borracha, Pra que spray de pimenta? Pra que bombas de gás lançadas de helicóptero? Pra que cães policiais? Tudo o que aconteceu no Centro Cívico em Curitiba macula gravemente a democracia. As imagens ficarão na história causando vergonha. Muita vergonha.

2014: preços de imóveis em queda

Posted in BRASIL, CURITIBA, ECONOMIA, GEOGRAFIA, MUNDO, OPINIÃO, POLÍTICA, VIDA URBANA by dibarbosa on 6 de julho de 2014


Bolha Imobiliária no Brasil não estoura mas começa a murchar.

home-pricesNos últimos dias surgiram comentários que o Brasil acompanhará uma crise após a Copa do Mundo, ou seja, haverá outro “crash” no planeta que se originará nos EUA e que será sentido aqui, especialmente no trato com o setor imobiliário. Agora, investidores deste mercado estão dizendo que tudo não passa de boato quando, visivelmente, estão tentando defender seu ganha-pão garantindo que está tudo bem e tentam acalmar os ânimos dos envolvidos no ramo em um contra-ataque meramente apaixonado, pois que sua didática argumentativa carece de uma boa base de dados com fundamentação na realidade econômica do país.

Chaves Imóvelfacebook-redondotwitter-redondog+redondoOra, eles precisam sobreviver, não é? Mas todos nós também, por isso não nos deixemos iludir com suas recentes publicações em que preveem um insistente aquecimento do mercado de imóveis. Isso é impossível, uma vez que os preços dos imóveis já atingiram, historicamente, seu ápice derradeiro.  Lembrando que este teve uma ascensão recorde (maior que a do Japão) a nível mundial tendo elevado seus preços em mais de 200%, extraordinariamente acima do PIB e da inflação nacionais em um período de pouco mais de 5 anos deixando muita gente com um lucro exorbitante em suas negociações oportunistas e especulativas. A grande realidade é que a economia do país padece e carece de soluções muito mais morais do que práticas, a exemplo do conhecido e já folclórico tráfico pútrido de influências que insiste em ocorrer nas três esferas do poder nacional e que é denominado de corrupção. Mas isso é uma outra história.

money-graphics-2008_871220aVoltando à questão, o Sindicato das Empresas de Habitação paulista, em uma previsão notadamente ilusionista, publicou em fevereiro que acredita em uma estabilização dos preços, mas revelou o óbvio: não há mais espaço para o crescimento do ramo. Em outra publicação, um diretor com mais de 20 anos de experiência financeira de uma empresa de investimentos voltada para pessoas físicas aconselha a espera para a aquisição de um imóvel explicando que a inflação corrói seu valor real quando estabilizado, acrescentando que a tendência é um esfriamento do mercado nos próximos anos.

a_ready_to_move_house_or_an_under_construction_houseEsse desaquecimento será, ainda, ajudado pelo lançamento de mais unidades ainda em construção, quando ocorrerá a inevitável luta pela sobrevivência de um setor que também tem contas a pagar. Esperam-se que tais imóveis novos tenham preços mais competitivos forçando à uma queda dos preços dos usados em um verdadeiro murchamento da dita bolha. Isso sim devemos esperar e não um estouro como ocorreu nos EUA onde as características das negociações são bem diferentes das nossas.

E para provar tudo o que digo, novamente menciono o Índice Fipe Zap que trata especificamente da performance e estatísticas dos imóveis dentro de seu mercado.o qual é um espelho confiável das práticas de preço em todo o Brasil. Selecionei alguns exemplos abaixo onde é possível notar a variação de queda entre alguns bairros pesquisados em Curitiba, notadamente nos últimos três meses. Claro que há bairros onde a curva está ascendente, mas ocorre especialmente onde o poder aquisitivo supera os demais bem como pelo fato de acompanhar o padrão de cidades diretamente influenciadas de maneira abrangente pela Copa do Mundo, no caso o Rio de Janeiro que teve seus gráficos com linha em aclive neste mês demonstrando uma realidade especulativamente falsa.

rebouas.pnghugolange.pngcapture-20140706-161802.png

 8cc06aa947846dfc7071449392971fb5Copyright © 2014 UrbsMagna

Infográfico do turismo na COPA

Posted in BRASIL, Copa do Mundo do Brasil 2014, CURITIBA, ESPORTES by dibarbosa on 10 de junho de 2014

JMalucelli investirá R$250mi em 2 condomínios

Posted in BRASIL, CURITIBA by dibarbosa on 5 de janeiro de 2014

O grupo JMalucelli, atuante dos setores de seguros, construção pesada e energia, entre outras áreas, instalará dois condomínios residenciais no Paraná –um em Curitiba e outro em Morretes, na região litorânea do Estado. Esses serão o segundo e o terceiro projeto da companhia no segmento de construção civil. O primeiro, que foi divulgado em outubro do ano passado, será em Itapema (SC) e demandará um aporte de cerca de R$ 150 milhões. Juntos, os dois novos empreendimento terão um VGV (valor geral de vendas) de R$ 500 milhões –80% desse valor será apenas do projeto da capital. “Em Curitiba, será um condomínio de primeira residência. Por isso e pelo próprio preço dos imóveis na cidade, terá um VGV mais alto”, afirma Joel Malucelli, fundador do grupo. Enquanto o residencial da cidade terá 2,2 milhões de metros quadrados e mil lotes, o de Morretes somará 2 milhões de m2 e 400 terrenos. Também será reservado um espaço para a instalação de um hotel. “Mas a construção dele dependerá do sucesso do empreendimento. Ainda não conhecemos a real necessidade hoteleira”, diz. Os projetos surgiram para ocupar áreas que já pertencem à empresa. Em 2013, o grupo anunciou outros empreendimentos que nasceram da mesma forma: um aeroporto de cargas e um outlet, ambos no Paraná.

Grupo J. Malucelli é um grupo empresarial paranaense fundado em 1966. Desde sua fundação é dirigido pelo seu presidente-fundador, Joel Malucelli. O grupo possui mais de 40 empresas, atuando desde a construção pesada até meios de comunicação, intercalando usinas hidrelétricas, sistema financeiro, futebol entre outros. Em 2008 constitui a primeira resseguradora privada do Brasil. O Grupo J. Malucelli foi, por meio de sua seguradora, a pioneira na emissão de apólices pela internet. São empresas do JMalucelli o Paraná Banco,  Fundo Paraná, Fundo J.Malucelli, Rádio CBN Curitiba, Rádio CBN Paranaguá, Rádio Globo Curitiba, TV Maringá, TV Bandeirantes Curitiba.

Fontes: wikipedia e folhadesaopaulo

Curitiba convida:

Posted in CURITIBA, HUMOR by dibarbosa on 1 de dezembro de 2013

Armazém da Família do Carmo foi fechado pela Prefeitura de Curitiba

Posted in ALIMENTAÇÃO, BRASIL, CURITIBA by dibarbosa on 10 de agosto de 2013

O prefeito do Município de Curitiba, Gustavo Fruet, é novamente motivo de insatisfação de mais outro grupo de curitibanos,  uma vez que a administração da cidade fechou, há cerca de dois ou três meses e sem mais nem menos, o Armazém da Família do Carmo, que atendia os bairros Hauer, Boqueirão, Carmo, Uberaba, além das comunidades Tapajós e Vila São Pedro.

O Armazém da Família do Carmo está fechado há mais de dois meses.

O Armazém da Família do Carmo está fechado há mais de dois meses.

O Armazém foi inaugurado no ano de 2008 como  parte de um programa da prefeitura onde, após cadastramente específico, os cidadãos podem comprar mercadorias até 30% mais baratos. No local mais de 6 mil famílias e clientes diversos eram atendidos com produtos do gênero alimentício da alimentação básica como arroz, feijão, massa, biscoito, leite entre outros, bem como material de higiene e limpeza.

Com o fechamento os antigos clientes habituais migraram para o Armazém do Terminal do Boqueirão, um tanto distante segundo moradores da região que dizem que ao entrarem em contato com a Secretaria de Abastecimento tiveram como resposta que o fechamento é definitivo, porém o motivo não é divulgado.

Recentemente, um programa de televisão divulgou o caso do fechamento como alvo de uma série de críticas, em especial porque a prefeitura não elucidou a população sobre os motivos reais para o encerramento das atividades do Armazém, que funcionava na rua Anne Frank, 3644, de segunda a sábado.

Internauta registra a CHUVA CONGELADA que caiu antes da NEVE em Curitiba

Posted in BRASIL, CURITIBA, GEOGRAFIA, INTERNET by dibarbosa on 23 de julho de 2013

Curitiba, 23 de julho de 2013 – 06:00 a.m.

Foi muito rápido e nada quantitativo. A Neve aguardada, até por pessoas de plantão com suas câmeras, aqui em Curitiba não caiu ainda. O fenômeno que ocorreu foi uma CHUVA CONGELADA, registrada apenas pelas afirmações de alguns internautas no fim desta madrugada, por volta das 05:40h e com temperatura de 1ºC.
“Fui olhar pela janela e tive a nítida impressão da tal Chuva Congelada. Infelizmente o registro não tem a qualidade que os nossos olhos conseguem captar. Mas já está valendo desde já.” disse.
ASSISTAM:

Ilusões populares e a loucura das massas

Posted in BRASIL, CIÊNCIA, CURITIBA, ECONOMIA, GEOGRAFIA, JOSÉ PIO MARTINS, MUNDO, OPINIÃO by dibarbosa on 28 de junho de 2013

Última atualização em 15 de abril de 2016

Atualização 25/jun/2016 03:35GMT

livro-ilusoes-populares-e-a-loucura-das-massas-charles-macka-230101-MLB20266037154_032015-F

Charles Mackay

Ilusões Populares e a Loucura das Massas é o título de um livro escrito pelo jornalista escocês Charles Mackay no ano de 1841 e é considerado um clássico do estudo psicológico dos mercados e do comportamento irracional das pessoas em “manada”.

Já pensou na possibilidade de “eles” estarem decidindo sua vida de uma forma ou atitude que não é a sua e você apenas está seguindo essa opinião simplesmente pelo fato de ser a “tendência” atual ou a “última moda” no Brasil?
Obviamente estamos fartos de toda esta corrupção que parece envolver a todos os políticos da nação, lógico! Mas de que adiantará o impeachment de Dilma Rousseff? Já parou para pensar que isso pode ser a maior loucura que a política nacional poderá cometer?
Que tipo de soluções poderão trazer para nossa economia o vice Michel Temer e o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, ambos na condição de Presidente da República e seu Vice, uma vez que ambos são acusados de envolvimento em escândalos financeiros?

Assim, viver uma situação tão semelhante ao tema daquele livro escrito ainda no século XIX com menções subjetivamente pareadas às nossas dores políticas presentes,  nos faz retroceder no tempo. Aliás,  este retrocesso é um assunto polêmico pois há quem afirme que a democracia estará ameaçada por um golpe de estado sem precedentes e após o impeachment o cinismo imperará no Congresso Nacional por mais alguns anos.
Na época em que a obra foi publicada no ano de 1841 o mundo conheceu algumas loucuras coletivas no terreno das bolhas financeiras. Segundo o autor do livro, ao agir de forma totalmente irracional numa espécie de delírio econômico coletivo as multidões podem jogar os preços de determinados produtos nas alturas e cujo episódio final é uma queda profunda.

Nesse tipo de situação, os preços atingem um nível exagerado, muito acima dos custos de produção, invariavelmente resultante de especulação que faz a demanda subir demais, até que um dia, assim como uma bolha, tudo se esfarela e os preços despencam. Ato seguinte, a multidão vê seu dinheiro evaporar.
primeiro exemplo notório de bolha, conforme conta o livro, foi a mania da tulipa holandesa, ocorrida em 1630. As tulipas de Constantinopla haviam ficado muito populares entre os ricos da Holanda e da Alemanha, e passaram a ser objeto de desejo em toda a Europa. Como até mesmo a classe média holandesa ficara obcecada pelas tulipas, estas passaram a ser negociadas na Bolsa de Amsterdã. A procura foi às alturas, os preços dispararam, uma legião de pessoas investiu em tulipas, até que a paixão passou, a bolha estourou e milhares de investidores perderam seu dinheiro.

O livro de Mackay relata algumas bolhas de sua época e se dedica a explicar o comportamento irracional das massas. Mas podemos trazer o exemplo para mais perto de nós. Em março de 2000, tivemos o estouro da bolha da internet. O mundo se encantara exageradamente com as empresas da internet, levando as multidões a comprar freneticamente suas ações. As cotações na bolsa dispararam e, quando estavam muito acima do valor das empresas, a bolha estourou, o valor das ações despencou e milhões perderam suas poupanças.
Muito se falou, pouco tempo atrás, que o Brasil poderia estar vivendo uma bolha imobiliária, a exemplo do que aconteceu nos Estados Unidos em 2007/2008. O mercado brasileiro teve alguns ingredientes de bolha: a demanda por imóveis subiu muito, os financiamentos ficaram fáceis, os preços cresceram bem mais que a inflação e muitos imóveis atingiram preços irreais. De repente, a demanda começou a cair, as vendas se retraíram; muitos acreditaram que uma bolha explodiria.

Mas apesar de o mercado brasileiro ter problemas, não é parecido com os Estados Unidos. O governo norte-americano incentivou os bancos a emprestar dinheiro para quem quisesse comprar imóveis – mesmo a pessoas desempregadas e sem renda – e os bancos só entraram na onda porque o governo oferecia aval por meio de duas agências estatais. A bolha foi inflada pelo governo dos EUA, com suas intervenções malfeitas.
De qualquer forma, quando a multidão começa a querer demais uma coisa e os preços sobem ano a ano acima da inflação, em geral a coisa não termina bem e muitos perdem dinheiro. Em Ilusões Populares e a Loucura das Massas, Charles Mackay alertava que o instinto de rebanho conduz milhões a tomar decisões sem reflexão, apenas copiando o que os outros estão fazendo.

Aí é onde o perigo começa, especialmente também quando a mídia apóia uma idéia plantada com o fim de colher frutos podres, como o que está ocorrendo com a política brasileira atualmente. 

Manifestações em Curitiba acabam em praça de guerra na Av. Cândido de Abreu

Posted in BRASIL, CURITIBA, GEOGRAFIA, OPINIÃO, POLÍTICA, PROTESTOS NO BRASIL by dibarbosa on 21 de junho de 2013

Manifestações em Curitiba começam em clima festivo e acabam com muito vandalismo e brigas entre torcida de um time versus manifestantes na Av. Cândido de Abreu.

Feridos em meio a violência. Prefeitura e tubos de ônibus totalmente destruidos. Bombas, rojões, tiros.

Vândalos retiram mesas de um restaurante e ateiam fogo na avenida.

Ações de vandalismo na Cândido de Abreu em Curitiba é de grupos isolados e não apoiados pelo movimento pacifico.

21/06/2013 – Imagem da Avenida Cândido de Abreu, rua totalmente tomada pelos manifestantes. Imagem da @gileoncio pic.twitter.com/JLN5TG2JQM

21/06/2013 – wmaccormick Willian Mac-Cormick 3 h Cândido de Abreu. CURITIBA agora pic.twitter.com/ihKqFgmFV8

Anderson Stabelini ‏@anderstabelini 12 min Manifestações acabam em confronto em frente do meu prédio aqui em Curitiba.  Torcida do Atlético PR X Manifestantes

21/06/2013 – Anderson Stabelini ‏@anderstabelini 22:18h
Manifestações acabam em confronto em frente do meu prédio aqui em Curitiba. Torcida do Atlético PR X Manifestantes

Inflação em Curitiba fica em 0,18%

Posted in CURITIBA, ECONOMIA by dibarbosa on 18 de junho de 2013

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do município de Curitiba dos últimos trinta dias terminados em 07 de junho apresentou variação de foi de 0,18%, conforme apurado pelo Instituto Paranaense Desenvolvimento Economico Social (IPARDES).
Dentre os grupos de despesas, Saúde e Cuidados Pessoais, com alta de 1,17%, foi o que exerceu maior influência sobre o resultado final.
No que tange aos itens pesquisados as principais contribuições, na ordem da maior para a menor, foram gasolina comum (-3,76%), plano de saúde (3,77%), automóvel de passeio nacional zero km (1,32%), pacotes turísticos nacionais (-3,94%), álcool combustível (-6,32%), aluguel residencial (0,79%), conserto de veículos (2,23%), almoço e jantar – refeição (0,96%), tarifa de água e esgoto (1,90%) e passagem aérea (5,79%).
Anexa a tabela com as variações de cada grupo e do índice geral.

Passeatas são organizadas em Curitiba mas prefeitura adota diálogo estratégico e contém as manifestações.

Posted in CURITIBA by dibarbosa on 17 de junho de 2013

A Prefeitura de Curitiba se coloca à disposição dos organizadores das manifestações para discutir a segurança dos participantes. Guarda Municipal, Setran e Secretaria de Relações com a Comunidade, que têm mantido relacionamento sereno com os manifestantes, entendem que o possível crescimento do número de pessoas envolvidas exige planejamento e compromisso recíproco de responsabilidade. Os organizadores estão convidados para reunião nesta segunda, 14h30, no salão nobre da Prefeitura. O Ministério Público Estadual será convidado para acompanhar o diálogo.

COMPROMISSO PARA A SEGURANÇA A Prefeitura de Curitiba e representantes do movimento que organiza uma passeata para hoje na cidade, discutiram a segurança. Os manifestantes se negaram a informar o trajeto, que consideram informação estratégica. O avanço possível foi o compromisso de que uma comissão de segurança da passeata informará as vias à Setran, durante o deslocamento. Apesar da dificuldade para fechar ruas nessas condições, a Setran procurará bloquear os cruzamentos no caminho dos manifestantes para evitar acidentes. A Guarda Municipal acompanhará à distância, como fez nas passeatas anteriores, já que o movimento em Curitiba é pacífico.

%d blogueiros gostam disto: