Urbs Magna

Um mapa que mostra a aceitação de gays e lésbicas em todo o mundo

Posted in Sem categoria by dibarbosa on 4 de junho de 2013

A aceitação dos gays na sociedade varia muito

Publicado no Washington Post em 04 de junho de 2013

Mapa da aceitação da sociedade de gays e lésbicas no mundo inteiro. Imagem de cortesia do Centro de Pesquisa Pew – Porcentagem dos que dizem que a homossexualidade deve ser aceita pela sociedade.

A maioria dos americanos estão aceitando a homossexualidade na sociedade, mas os níveis de tolerância são muito maiores em muitos outros países da Europa e América Latina, conncluiu a nova pesquisa do Centro Pew.

pesquisa do Centro Pew Research realizada em 39 países encontraram diferenças geográficas gritantes quando as pessoas foram questionados se os homossexuais devem ser aceitos na sociedade.

Conhecer alguém que é gay é o maior motivo citado por pessoas que mudaram suas mentes para apoiar o casamento do mesmo sexo.

 A ampla aceitação foi encontrada em países onde a religião não é central para a vida, como o Canadá (80%), França (77%) e Austrália (79%). No entanto, a pesquisa também revelou altos níveis de tolerância para com as pessoas homossexuais em alguns países fortemente católicos, incluindo a Espanha (86%), Itália (74%), Argentina (74%) e Filipinas (73¨%o). Nos Estados Unidos, 60% do público, disse que os gays devem ser aceitos na sociedade.
Em contrapartida, houve rejeição generalizada da homossexualidade em países predominantemente muçulmanos, assim como na África, Rússia e partes da Ásia. Na maior parte do Oriente Médio, incluindo Egito e Jordânia, mais de nove em cada 10 pessoas disseram que a homossexualidade deve ser rejeitada. Esse também foi o caso na maioria dos países africanos, incluindo Quênia, Uganda e Nigéria.

Ásia e região do Pacífico tiveram resultado mista, com a maioria Japão, Filipinas e Austrália apoiando a aceitação das pessoas homossexuais. Mas havia fortes níveis de desaprovação na Coréia do Sul (59%), China (57%), Malásia (86%), Indonésia (93%) e Paquistão (87%).

Israel, em particular, ilustrou o papel que a religião desempenha nas atitudes em relação às pessoas homossexuais. Seis em cada 10 judeus seculares em Israel disseram a Pew que a homossexualidade deve ser aceita, mais que o dobro dos 26% dos judeus religiosos e ultra-ortodoxos que pediram urgência neste aceite. Apenas 2% dos muçulmanos israelenses concordaram.

Apenas nos Estados Unidos a idade foi um fator. O estudo Pew disse que os menores de 30 são mais aceitáveis como homossexuais na sociedade do que as pessoas na faixa de 30 a 49. Ambos os grupos são mais propensos a expressar tolerância de gays do que as pessoas de 50 anos ou mais.

O Pew encontrou pouca diferença nas opinião de homens e mulheres do mundo. Mas em países onde há uma diferença, as mulheres são mais tolerantes à homossexualidade do que os homens.

Na maioria dos países, as atitudes sobre a sexualidade mudaram pouco desde 2007, a última vez que Pew realizou uma pesquisa sobre atitudes em relação a gays. Mas nos Estados Unidos, Canadá e Coreia do Sul, a aceitação cresceu mais de 10% nos últimos seis anos. E em alguns países, incluindo a França, a Rússia e a Turquia, a aceitação caiu.

A pesquisa Pew, realizada em março e abril, é a maior de seu tipo.

Um pequeno estudo, realizado em 2011 pelo Centro Nacional de Pesquisas de Opinião da Universidade de Chicago, encontrou apoio para o comportamento homossexual crescente em 27 dos 31 países. O maior nível de aceitação foi no norte da Europa, enquanto a desaprovação manteve-se forte na Rússia e vários outros países do Leste Europeu que faziam parte da União Soviética.

Gary Gates, demógrafo do Instituto Williams, com foco em questões homossexuais na Universidade da Califórnia em Los Angeles, disse que atitudes para com as pessoas homossexuais são muitas vezes divorciadas da igualdade jurídica na forma de casamento do mesmo sexo, uniões civis e adoções gay.

Por exemplo, disse ele, o apoio à homossexualidade é alta na Alemanha e na Grã-Bretanha, embora nenhum país tenha aprovado o casamento do mesmo sexo. Por outro lado, na África do Sul, onde a discriminação com base na orientação sexual é inconstitucional, seis em cada 10 pessoas dizem que a homossexualidade não deve ser aceita pela sociedade.

Gates disse que a cultura e a religião desempenham um papel na diferença de atitudes do estudo Pew.

“Há culturas em que a religião é um fator muito, muito importante, como uma parte normal da vida diária”, disse ele. “Nesses países, é mais difícil distinguir o que é religioso e o que é cultura. Mas, em outros países, como a Itália ou a Espanha, a cultura sempre teve uma dimensão viva. Mesmo com uma forte presença religiosa, você vê esse tipo de atitude que vem de fora. ”

A pesquisa sobre as atitudes internacionais é o primeiro de três trabalhos que envolvem os gays que Pew pretende tornar pública nas próximas duas semanas.

Tagged with:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: